1. Arquivos
  2. Desinformação

As impessoas e la bloguera cariñosa

21 de novembro de 2009 - 7:28:20

Esta reação reforça a tese de que Yoani Sánchez, não passa de um enigma embrulhado numa fraude, pois só pessoas ou situações fraudulentas despertam a ira da claque organizada sempre que são contestadas, a verdade não precisa ser defendida. O enigma é somente o que se refere a ela pertencer ou não aos quadros da DGI e estar a soldo do regime. Os indícios são fortes, como já apontei anteriormente, mas como obter provas de que alguém é agente secreto? Só se não fosse secreto! Todos parecem acreditar que o José Dirceu foi, mas alguém tem provas? Quanto a ser uma fraude, não tenho a mínima dúvida.

Vejamos. O que fala la bloguera em seu tão badalado blog? Um monte de historinhas sobre a vida em Havana que espremendo bem sobra o que todo mundo que se interessa pelo assunto já sabia: em Cuba falta tudo, não se pode viajar, a polícia tudo controla, há áreas só para estrangeiros, a educação é uma porcaria, a medicina não presta para nada, etc. Yoani despolitiza a situação cubana, queixa-se de que o povo vive mal sob o regime, mas jamais o contesta política ou ideologicamente, jamais diz que o Partido Comunista tem que ser derrubado do poder. Nunca ataca a ideologia comunista, apenas diz que o povo vive mal. Sua crítica mais grave é que ‘hace más de doce años no se renueva el Comité Central del Partido Comunista’ (ver post Funerales,de 16/11). Fica implícita a sugestão de que o CC deve ser renovado e não derrubado e seus membros fuzilados! Ao despolitizar a política, segue à risca o ideal dos tiranos (Bernard Crick escreveu um livro sobre isto: In Defence of Politics, Weidenfeld & Nicholson, 1975) e, portanto, não representa nenhuma ameaça concreta ao regime.

No mesmo post esperei encontrar alguma denúncia sobre as mortes por assassinato. Ledo engano, em Cuba as pessoas estão morrendo de velhice! E do assassinato e sofrimento dos seus supostos correligionários dissidentes, dos quais quer distância? Nada! Parece que em Cuba só existem distritos policiais de uma polícia normal, comum a todos os países, nada de penitenciárias, masmorras, centros de tortura e desova de cadáveres. É como se na década de 30 um judeu de posse de um rádio-transmissor de ondas curtas (só os mais velhos lembram o que era isto!) falasse do cotidiano sofrido dos seus irmãos no regime nazista sem sequer mencionar os pogroms, a Kristallnacht, o desaparecimento de seus amigos, as queimas de sinagogas ou os campos de concentração! Ou um russo que descrevesse as agruras dos moscovitas para comprar um mísero pão, a falta de liberdade, a obrigatoriedade do passaporte interno, mas nada de Gulag, clínicas ‘psiquiátricas’ para ‘doentes’ de dissidentofrenia ou dos porões da Lubyanka.

É exatamente isto que a ‘intelectualidade’ ocidental e a mídia chic adoram, nada de coisas horripilantes para não estragar o humor e o apetite! O povo cubano não tem o que comer? Dá mais fome ainda! Os dissidentes cubanos comem excrementos e baratas entre sessões de tortura? Argh!, xô coisa ruim, que mau gosto falar destas coisas!

Agressões só as supostamente sofridas por ela mesma ou sua turminha. Mesmo assim há cheiro de fraude no ar. Muito oportunamente, após o lançamento de seu livro no Brasil e de sua autenticidade ter sido contestada, Yoani foi ‘agredida’ por agentes da polícia. Observem bem o vídeo que ela postou. O rosto dela está limpo, não há hematoma visível em lugar nenhum. Ser filmado de muleta com cara sofrida qualquer um pode fazer. O mais curioso, no entanto, é que nas cenas de rua não aparecem os agressores nem cenas de agressão! Da mesma forma que no vídeo mostrado no artigo anterior, na hora do bem bom acaba o vídeo e só resta o áudio. Que pena, tsk, tsk…

Yoani resolveu fotografar seus perseguidores. Fotografou várias pessoas na rua e disse serem seus perseguidores. OK, vou sair por aí batendo fotos de transeuntes e colocar aqui no site dizendo que são meus perseguidores. Alguém acreditará? Claro que não, mas Yoani é blindada, tudo o que diz é verdadeiro por princípio, é matéria de fé e quem duvida é uma espécie de herege. Aliás, tudo o que se sabe sobre Yoani é o que Yoani diz. Não há provas, testemunhos, seu passado anterior ao lançamento do blog é totalmente desconhecido, também é totalmente desconhecida dos outros dissidentes, não trabalha, nem seu marido, mas se sustentam e, segundo fotos que ela mesma põe no blog, vivem muito bem para os padrões cubanos, alega que só usa a internet duas vezes por semana, mas faz postagens quase todos os dias (postou dias 12, 15, 16, 2 vezes no dia 18 e uma no dia 19).

No mundo atual que cultua Obama – um sujeito que gastou 2 milhões de dólares com advogados para não mostrar a certidão de nascimento, um documento que qualquer cidadão comum tira por internet – que acredita que a causa do ‘aquecimento global’ é a produção de CO² e que o comunismo acabou em 89, Yoani merece ser integrada ao panteão fraudulento de heróis.

 

Nota:

[i] Não estou falando da mídia brasileira, a mais corrupta e fraudulenta de todas por sua unanimidade burra. Esta é inexpressiva em termos internacionais (quem mais lê Português?), mas me refiro à de todo o mundo, com as honrosas exceções de praxe.

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}