1. Arquivos
  2. Religião

Bancada evangélica quer mesmo vencer o PLC 122/06?

9 de dezembro de 2009 - 7:21:34

A bancada evangélica teve uma oportunidade de ouro de entrar com uma ação logo depois de sua maliciosa aprovação na Câmara dos Deputados em 2006. Mas nenhum deputado evangélico se importou. Nenhum deles agiu.

Hoje, muitos falam de preocupação com o PLC 122/06. Mas cada manobra de Fátima Cleide mostra não tanto a força da esquerda ditatorial quanto o despreparo e descuido da bancada evangélica.

Não há dúvida de que a Frente Parlamentar Evangélica (FPE) conta com recursos e oportunidades para intervir contra o projeto de ditadura gay. Aliás, a FPE poderia ter sepultado esse projeto há muito tempo. Mas não o fez. Por quê? Falta de motivação? Falta de dinheiro?

Quando comecei a mobilização contra o PLC 122/06 no começo de 2007, eu estava absolutamente sem nada. Minha única motivação era e é o amor a Jesus Cristo. Meu único interesse era e é o Reino de Deus e sua justiça. Não havia motivação financeira, porque não havia nenhum dinheiro envolvido. Mas, muito diferente de mim, a FPE conta com muito, muito dinheiro.

Se a FPE estivesse realmente empenhada em agir, contrataria os melhores advogados do Brasil como assessores. Há muitos juristas em condições de lidar com as várias pretensões inconstitucionais pró-aborto e pró-homossexualismo no Congresso Nacional. Com eles, a FPE teria uma equipe preparada para monitorar e deter as manobras para avançar maliciosamente o PLC 122/06 e outros projetos. A FPE alcançaria a vitória.

Contudo, em vez de vitória, o que se vê é confusão. O que se vê é uma FPE com muitos assessores com pouca qualificação. O que se vê é uma FPE que não sabe ou não quer se engajar de corpo e alma na guerra cultural.

Essa falta de qualificação e engajamento poderia ter sido mudada para despertamento e ação. Desde 2003, desafiei deputados da FPE a viajarem para Washington para conhecer líderes evangélicos que têm importantes experiências políticas. Experiências que poderiam ajudar-nos a vencer politicamente no Brasil.

Eles jamais atenderam ao desafio de ir para Washington – pelo menos, não para o propósito por mim apresentado a eles. Em vez disso, eles preferiram a voz da sereia. Em agosto de 2008, o presidente da FPE (Dep. João Campos) e o ex-presidente da FPE (Dep. Manoel Ferreira) e outros líderes evangélicos foram a Washington, para participar de um evento do Rev. Moon. Essa participação foi denunciada por mim em meu blog.

A resposta de João Campos ao meu artigo foi enviar aos membros da FPE um comunicado interno se queixando de mim. Quanto a Manoel Ferreira, eu havia postado no YouTube um vídeo mostrando o filho do Rev. Moon dizendo, em pregação na Igreja da Unificação em São Paulo, que eles conseguiram apanhar um grande peixe no Brasil. E eles deram nome para esse peixe: Manoel Ferreira.

Pouco tempo depois, recebi advertência do YouTube dizendo que, atendendo a uma queixa oficial, meu vídeo foi removido, trazendo-me ainda a ameaça de eliminação total da minha conta no YouTube. Agora, mesmo correndo risco, volto a postá-lo na internet, desta vez em outro local. Para assisti-lo, antes que a turma do Rev. Moon ou do Manoel Ferreira exija sua remoção, siga este link: http://www.liveleak.com/view?i=434_1260235965&p=1

No entanto, Campos e Ferreira não são os únicos que têm problemas na FPE. Hoje, as duas figuras centrais contra o PLC 122/06 no Senado são Marcelo Crivella e Magno Malta. Ambos senadores são velhos apoiadores de Lula, que é uma das principais forças políticas por trás das iniciativas para se estabelecer uma ditadura e censura homossexual no Brasil.

Malta, que denunciou tão bem o PLC 122/06 e as manobras de Fátima Cleide, ajudou a fortalecer a SaferNet, uma organização que quer censurar na internet toda critica ao homossexualismo. A SaferNet é sistematicamente usada pelos militantes gays contra o Blog Julio Severo em acusações do fictício crime de “homofobia”.

Quanto a Crivella, quem pode esquecer seu obsceno comentário de que “o Evangelho é a cartilha mais comunista que existe“? Ele também participou ativamente da eleição de Lula e de Sérgio Cabral, o governador pró-aborto e pró-homossexualismo do Rio de Janeiro.

Com aliados assim, como poderemos derrotar o PLC 122/06? Com aliados assim, quem precisa de inimigos?

Como a bancada evangélica espera vencer quando seus principais líderes fraquejam diante dos falsos messias espirituais e diante do falso messias político? Ou a FPE não sabe que Lula tem um pervertido messianismo pró-aborto e pró-aborto movendo todo o seu governo nessa direção infernal? Ou a FPE desconhece que o Rev. Moon se considera um messias?

Se a FPE quer ser coerente com o Cristianismo que professa, precisa:

* Arrepender-se de seu envolvimento com iniciativas do Rev. Moon.

* Arrepender-se de não denunciar sistematicamente o governo Lula por suas ações sistemáticas contra a vida e a família no Brasil e no mundo.

* Arrepender-se de não repreender Crivella por seu apoio a Lula e a algumas medidas contra a vida e família. Muitos outros deputados têm também necessidade da mesma repreensão.

*Desfazer e renunciar a todo tipo de ligação com todo tipo de aparência do mal, principalmente os falsos messias Lula, Rev. Moon e outros.

* Preparar urgentemente seus assessores, que são muito bem pagos, para honrar compromissos com Deus e a família. Não sendo possível prepará-los agora, deve-se contratar novos e experientes assessores. Há, por todo o Brasil, excelentes homens que poderiam fazer um grande trabalho de assessoria, vigilância e monitoração em favor da causa da vida e da família.

Por último, mas não menos importante, o povo evangélico, responsável pela eleição dos deputados membros da FPE, precisa orar constantemente para que Deus dê a FPE vontade de mudar e fazer diferença no Brasil, desfazendo alianças com os ímpios e fazendo e honrando alianças com Deus.

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}