1. Arquivos
  2. Foro de São Paulo

Colômbia vive momento dramático

3 de dezembro de 2009 - 5:45:17

O testemunho de um terrorista desmobilizado do ELN é categórico. As FARC e o ELN treinam milícias bolivarianas e os comitês de defesa da revolução chavista na Venezuela. São protegidos pela Guarda Nacional venezuelana, têm nexos com os organismos de segurança desse país, portam documentos de identidade venezuelanos e conspiram em conluio contra a integridade nacional colombiana [1].

Uma “ingênua” militante chavista na Colômbia levou à Venezuela mais de duas mil pessoas para que os “bondosos” médicos cubanos e o generoso erário venezuelano lhes pratiquem operações médicas nos olhos e tratamentos de optometria e, aproveitando a ocasião, lhes dêem cédulas de identidade venezuelana para que possam votar nas eleições pelos candidatos do “Socialismo do Século XXI”.

No estado de Risaralda, membros das FARC vestidos de civil não só recrutam jovens para os rombos milicianos das FARC, senão que de forma descarada estruturam comitês bolivarianos a partir das juntas de ação comunal para incrustar as idéias chavistas na região onde, por “coincidência”, esteve há alguns meses um funcionário da embaixada venezuelana fazendo proselitismo político contra o atual governo colombiano [2].

Em outra parte, um jovem de Barrancabermeja (Colômbia) reconhece que foi “bolsista” pelo “bondoso” governo chavista e agora faz parte dos Círculos Bolivarianos, quer dizer, graças a seu mentor e benfeitor Hugo Chávez, o jovem agora é inimigo da Colômbia [1].

Em síntese, as sérias e muito graves revelações referendam os achados nos computadores de Raúl Reyes, assim como o protagonismo midiático de Teodora [3] e seu bando para explorar a ignorância e carência de imaginação do professor Moncayo, cuja atitude similar à da mãe de Ingrid Betancurt converteu seu filho em um joguete político das FARC.

Em uníssono, a propaganda comunista e a demagogia dos politiqueiros de sempre, assinalam a “teimosia” de Uribe que, segundo os comunistas chiques e os que querem levar a Colômbia a uma miséria igual à de Cuba, ou a um caos como o da Venezuela, é a causadora dos males do país e, portanto, sua saída é imprescindível para que assuma o governo um inepto como Pardo Rueda, ou uma caprichosa dama como Noemí Sanín, ou um terrorista como Petro ou ainda uma linguaruda similar a Chávez como Teodora.

Em vários escritos anteriores tenho sido reiterativo em deixar constância de que a Colômbia atravessa o mais dramático dos momentos históricos, que sua sólida tradição democrática está em suspenso, que os segredos dos computadores de Raúl Reyes e os demais que foram encontrados em outros portáteis apreendidos das FARC devem ser difundidos ante o mundo inteiro, que a diplomacia colombiana está distanciada da realidade nacional, que a conjuntura internacional a favor das FARC está latente pois a ditadura cubana, Lula, Ortega, Chávez, Correa, Morales a Kirchner e demais bandidos de colarinho branco com investidura presidencial, conspiram todos os dias com as FARC, com o desejo de tomar o poder na Colômbia por todos os meios possíveis.

Do mesmo modo, é incrível que os ex-presidentes César Gaviria, Ernesto Samper e Andrés Pastrana tenham tanta sem-vergonhice e tanto cinismo, torpedeando o governante que teve que corrigir muitos dos erros que eles cometeram.

E o que é pior: que Samper, que é sabidamente o mais cínico e inepto dos ocupantes da cadeira de Bolívar durante toda a história colombiana, pois ficou até sem visto para ir aos Estados Unidos por haver recebido dinheiro “quente” em sua campanha presidencial, tenha a cara de pau de visitar Chávez em Caracas no mesmo momento em que o boquirroto e inculto mandatário venezuelano disse publicamente que planeja atacar a Colômbia e, de quebra, que avalize Piedad Córdoba como a solução da paz na Colômbia, não obstante o não muito claro comportamento desta senadora.

Somam-se a eles os leguleios da Corte Suprema de Justiça que quer um Fiscal de algibeira, porém que não cumpre com o dever de julgar os vinculados na para-política. E a estes lhes fazem coro jornalistas medíocres e ansiosos em obter galardões do grêmio ou, em outros casos mais aberrantes, pagos pelos delinqüentes para que coadjuvem na desestabilização do país.

Entretanto, o governo venezuelano financia dentro e fora da Colômbia intensas campanhas de guerra psicológica contra a Colômbia. Durante o verão passado em New York, os “camaradas” do Polo Democrático se infiltraram dentro das festividades colombianas e, financiadas pelo consulado da Venezuela, distribuíram panfletos ignominiosos contra a Colômbia, o governo nacional e o presidente Uribe, ao tempo em que exaltavam a condição revolucionária não-terrorista das FARC.

Do mesmo modo acontece no Canadá desde vários anos. E quando alguém os desmascara, os terroristas a paisana acodem às ameaças comunistas, escudados em pseudônimos e na clandestinidade e, evidentemente, a declarar-se como vítimas da agressão do “Estado narco-paramilitar”. São os pássaros atirando nas escopetas, sem dúvida alguma!

Em essência, os testemunhos revelados por El Tiempo mereceriam uma explicação do governo nacional e a imediata tirada de máscaras dos “camaradas” do Partido Comunista, gestores de toda a violência atual. É imperioso que, assim como os sapientes jurisconsultos que têm a Colômbia sem Fiscal na propriedade desde vários meses e sem nenhum julgamento aos terroristas das FARC que não usam fuzil, porém que atacam a Colômbia por outros meios de luta comunista, reajam e declarem delitos de lesa-humanidade a todos os crimes cometidos pelas FARC e seus sequazes políticos, para que fiquem inabilitados para o resto da vida para exercer cargos públicos e para que quando se desmobilizem vão para os cárceres para pagar por seus maus feitos.

E, claro, uma vez mais reiteramos para que cônsules, embaixadores e demais plenipotenciários creditados no exterior saiam da modorra consuetudinária, se belisquem e trabalhem sem cessar na disseminação da realidade do que ocorre na Colômbia, e para que, de passagem, os congressistas aterrissem, debatam a fundo estes temas e para que o ministro da Defesa fale menos e faça mais sobre linhas estratégicas definidas e objetivos nacionais concretos.

A agressão chavista é séria. Chávez é um títere manipulado pela ditadura cubana, cujo sonho é escravizar todo o continente. Lula é o hipócrita que os secunda. Ortega, Correa e o índio cocalero boliviano são os peões de briga. E a Colômbia é o objetivo central do Plano Estratégico do Foro de São Paulo. Por isso coincidem: a atitude manhosa de “Colombianos pela Paz” para libertar o cabo Moncayo com as ofensas desde a Bolívia de Evo Morales acerca da presença militar norte-americana na Colômbia, a dupla moral de Correa com o reinício de negociações, porém com questionamentos e demandas contra a Colômbia, a sinistra “boa-vontade de Lula” e o cinismo da ditadura cubana, metida até a medula na conjuntura.

Somam-se a isso o recrudescimento de seqüestros no Paraguai com apoio das FARC aos terroristas locais, a cada vez mais provada presença das FARC na Argentina, os nexos da etnia mapuche com os terroristas colombianos e o incremento de milicianos na Bolívia e na Venezuela treinadas pelas FARC. Atrás de toda esta trama financeira estão os petrodólares chavistas e o dinheiro da coca das FARC.

Eis aqui a gravidade da infiltração chavista na Colômbia e o obscuro projeto totalitário contra o país que, se eleger um inepto ou uma inconstante, ou ainda um terrorista, pode desembocar em uma devastadora guerra civil.

Será que alguém pode fazer com que Gaviria, Samper, os magistrados que vivem em Marte, que Pardo Rueda, Noemí e os idiotas úteis das FARC vinculados ao Colombianos pela Paz compreendam a gravidade do assunto?

* Analista de assuntos estratégicos – www.luisvillamarin.com

Fonte: El Tiempo

Notas da Tradutora:

[1] Prova documental aqui: http://www.youtube.com/watch?v=hQ8VxWzoc1c

[2] Prova documental aqui: http://www.youtube.com/watch?v=A1OzmB5FJQY

[3] Alcunha da senadora colombiana Piedad Córdoba dado pelos “camaradas” das FARC

Tradução: Graça Salgueiro

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}