1. Arquivos
  2. Desinformação

Fazendo a lição de casa

14 de março de 2009 - 4:15:41

Não me incluí entre os esperançosos, pois sempre soube da tendência esquerdista desse jornal, de suas criminosas omissões a fatos de extrema gravidade para o país como o Foro de São Paulo, inexistente por quase duas décadas de suas páginas; de suas bajulações a ditadores comunistas como Fidel Castro, além de ser mestra em distorcer fatos e plantar mentiras aos borbotões, desde que favoreçam a causa comunista. Não levou muito tempo para que a mesma velha e conhecida Folha voltasse a exercer sua prática preferida: embelezar líderes comunistas enquanto, ao mesmo tempo, planta a mais sórdida desinformação sempre que há eleições presidenciais em algum país membro do Foro de São Paulo.

No dia 8 de março, domingo, sob o título “Voto em El Salvador fecha ciclo histórico”, o “especialista em questões internacionais”, jornalista Newton Carlos, faz sua lição de casa com louvor. Diz ele no primeiro parágrafo que “é possível que assuma o poder em El Salvador um partido de ex-guerrilheiros” se referindo ao FMLN (Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional), e em seguida relaciona a morte do arcebispo Dom Oscar Romero ao criador do partido de direita Aliança Republicana Nacionalista que, segundo ele, mantinha “estreitas relações com a CIA”. De fato, Dom Oscar foi assassinado em 24 de março de 1980 enquanto oficiava uma missa e isto é um fato condenável sob todos os aspectos. Entretanto, o “especialista” não diz que este arcebispo é um ícone da comunista teologia da libertação e que, segundo comentou o pseudo frei Leonardo Boff, Dom Oscar era um bispo conservador quando foi enviado pelo Vaticano a El Salvador mas, ao entrar em contato com a miséria e exploração daquele povo, “converteu-se”!

Além desse detalhe omitido, o “especialista” lança a semente podre sobre a possível vitória do FMLN porque este partido já está divulgando aos quatro ventos que “haverá fraude” se a ARENA sair vencedora na contenda. A Folha fez isto com Chávez, nas incontáveis eleições inventadas nesses 10 anos de ditadura venezuelana porque, se de fato o candidato Rodrigo Ávila ganhar, como apontam todas as pesquisas de opinião sérias, os leitores já estarão de sobreaviso para crer que esta vitória é ilegítima, que de fato houve fraude como já antecipara esse jornal.

Mais adiante o “especialista” diz que o FMLN escolheu um candidato que não é ex-guerrilheiro e que “como não pode chamar Funes de terrorista, a direita salvadorenha e seu candidato, Rodrigo Ávila, concentram ataques em Salvador Sánchez Cerén, candidato a vice”. Ora, “seu” Newton Carlos, o senhor não se envergonha de mentir tanto não? A direita não concentra seus “ataques” ao vice, coisa nenhuma! Ela denuncia, com provas, as alianças condenáveis do candidato Mauricio Funes com as FARC, com Chávez – que tem financiado ilegalmente sua campanha, através da venda de petróleo barato para as prefeituras controladas pelo FMLN – e com Fidel Castro.

Não satisfeito com as mentiras que demonizam a ARENA e embelezam o FMLN, “seu” Newton afirma sem qualquer pudor que “o FMLN não toca nem sequer de leve em socialismo e muito menos no ‘Socialismo do Século XXI”. Não, Mauricio Funes “não toca” no Socialismo do Século XXI; ele já respira e vive dos favores desta prática maligna inventada pelo ditador Hugo Chávez. Em um ato público na cidade de Cabimas Chávez manifestou abertamente seu respaldo ao FMLN e a Funes, e depois disse que pensava em fazer de Cuba, Venezuela e El Salvador “uma só pátria”. Merino, por seu turno, disse que se o FMLN ganhar irá adotar em El Salvador o modelo chavista. Nesta ocasião Chávez estava acompanhado dos dirigentes do FMLN, José Luis Merino – que mantém contatos diretos com as FARC e foi citado em vários e-mails no computador de Raúl Reyes – e Orestes Ortez, que aplaudiram sua ingerência nos assuntos internos de El Salvador.

Dentre algumas frases soltas mas de efeito subliminar, o “especialista” Newton Carlos diz que “difundir medo é a estratégia”; ou, “a idéia é mostrar a FMLN como uma opção perigosa”. Todavia, ninguém está infundindo medo através de fraude ou trapaça; o que o ARENA está fazendo é o oposto do que faz “seu” Carlos neste artigo: mostrar a verdade dos fatos para que o eleitor possa fazer uma escolha livre e consciente. El Salvador já viveu uma guerra sangrenta, real, que dizimou incontáveis cidadãos e durou 12 anos, protagonizada pelo FMLN, portanto, reavivar a memória do povo é um dever e uma obrigação daqueles que de fato querem a paz, a liberdade democrática e a prosperidade para o seu país.

Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral salvadorenho investiga um depósito feito na conta bancária particular de Mauricio Funes no valor de U$ 2.2 milhões de fonte não declarada. Funes diz que foi um empréstimo feito por um empresário amigo seu mas até agora não provou nada; há fortes suspeitas de que esta assombrosa soma – que despertou até a curiosidade dos funcionários do banco que por isso informaram ao órgão eleitoral – tenha sido mais um dos “maletinaços” de Chávez, pois isto é prática recorrente no ditador venezuelano para auxiliar nas campanhas de seus candidatos pessoais e do Foro de São Paulo, como foi o caso de Cristina de Kirchner na Argentina.

Mas essas coisas não podem e nem devem ser ditas pela imaculada Folha de São Paulo e muito menos por seu especialista em desinformação que trabalha teleguiado por ordens alienígenas. A fraude que se prenuncia nas eleições salvadorenhas foi a palavra de ordem dada e exemplarmente cumprida neste artigo do jornalista Newton Carlos. Agora, “seu” Newton, pode passar no caixa e receber sua gratificação, pois a lição de casa foi feita e a missão está cumprida.

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}