1. Arquivos
  2. Editorial

Honduras manda esquerdistas às favas

3 de dezembro de 2009 - 4:19:59

Elvin Santos, candidato derrotado do partido de Manuel Zelaya, alerta a nação para o fato de que agora é dever de todos rejeitar os “interesses particulares e privilegiar os interesses da pátria”. E termina por afirmar: “Ao presidente eleito, conte conosco.” Já Zelaya e as lideranças de países dominados pelo Foro de São Paulo — Brasil, Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia, Uruguai, entre outros –, mais uma vez desprezam as instituições hondurenhas, questionando a legitimidade da eleição e mentindo sobre o índice de abstenções.

A estes, os oportunos recados de Porfírio Lobo já ecoam: que Chávez nem ninguém se atreva a meter o nariz na política do país, que não há pressa para que outros países reconheçam o novo governante, e que “Zelaya é história”.

Dentre os países que reconheceram a validade do pleito estão os Estados Unidos, Israel, Inglaterra, China, Polônia, Taiwan, Colômbia, Peru, El Salvador, México, Panamá, República Tcheca e, com algumas ressalvas, a União Européia.

Com a plena legimitidade ao processo eleitoral dada pelo Congresso de Honduras, que com prudência impediu a reconstituição de Zelaya ao cargo de presidente, mais uma vez a pequena nação dá ao mundo uma aula de soberania, independência e coragem, ao enfrentar o comunismo continental e uma Comunidade Internacional frouxa e cada vez mais conivente com tiranos, ditadores e outros inimigos da liberdade política.

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}