1. Foro de São Paulo
  2. Arquivos

O novo esperneio de Chávez

2 de agosto de 2009 - 0:42:35

Nas ordens geoestratégica, geopolítica e político-hemisférica, a privilegiada posição geográfica e a ingente riqueza de seus recursos naturais, convertem a Colômbia em um apetitoso manjar para a obsessão castro-chavista de ver o continente afundado em uma miséria ignominiosa similar à cubana. O contraditório do assunto é que, os que não querem ver a realidade e os que a vêem porém recorrem às trapaças politiqueiras, rotulam de retrógrado a quem abra os olhos dos incrédulos para que entendam a gravidade do assunto e a verdadeira intencionalidade dos conspiradores contra a Colômbia.

O show de Correa em conluio com seus comparsas das FARC, para negar que lhe deram dinheiro para sua obscura campanha presidencial, paralelo com a grave evidência de que as FARC têm em seu poder armas anti-aéreas fornecidas pelo governo de Chávez, dissimulada com o argumento de que a autorização para que as Forças Militares dos Estados Unidos utilizem instalações militares colombianas para apoiar a luta contra o narco-tráfico e o terrorismo na região, tem como objetivo agredir a Venezuela, demonstram com clareza meridiana:

1. Que o cavernoso ditador cubano Fidel Castro manipula Chávez a seu bel prazer;

2. Que nem um nem outro evoluíram e ficaram imersos nas supostas bondades do arcaico marxismo-leninismo;

3. Que todos os passos que a facção mais recalcitrante da esquerda latino-americana dá, estão concatenados com os ditames do Foro de São Paulo;

4. Que Lula da Silva, a Kirchner e o indígena boliviano estão tirando a brasa com a mão alheia;

5. Que Chávez pretende distrair a atenção do hemisfério com o problema da Colômbia, enquanto prepara com o governo pró-terrorista nicaragüense a incursão de guerrilhas em Honduras para buscar a restituição de Zelaya;

6. Que pretende fortalecer a imagem de Correa visto aos olhos do mundo hoje como um delinqüente de colarinho branco, eleito com dinheiro do narco-tráfico, do seqüestro e do terrorismo;

7. Que as FARC pediram ajuda a Chávez para que cessem os bombardeios contra os acampamentos de Jojoy, e ao mesmo tempo não lhes descubram outros arsenais entregues pela Venezuela, etc.

Nos computadores de Reyes foi encontrada uma extensa carta na qual Tirofijo deu instruções a Iván Marquez para o envio dos lança-foguetes entregues por Chávez, fez finca-pé para que fossem levados à zona de La Macarena para derrubar aeronaves, e insistiu que, quanto mais longe da fronteira com a Venezuela fossem usados, menos suspeitas recairiam sobre Chávez e seu governo.

Igualmente nos arquivos eletrônicos do terrorista abatido ficou claro que, para as FARC, é prioridade número um a aquisição de armas anti-aéreas e que o ministro venezuelano Ramón Rodríguez Chacín contatou os cabeças do Secretariado das FARC com traficantes de armas australianos, sírios e com um funcionário oficial da Bielorrússia; e inclusive que tais armas seriam compradas com suposto destino a Venezuela, passando previamente pela Nicarágua.

Porém, o cinismo pretende desviar o foco do assunto. As desrespeitosas declarações de Chávez com o congelamento das relações diplomáticas e a retirada do embaixador de Bogotá, nem são novas, nem serão as primeiras nem serão as últimas “canalhadas” deste pé-rapado com investidura presidencial. Ele fará tudo o que Fidel lhe ordenar. E com o característico histrionismo mudará de cor e de posições como camaleão, isto sim, sem perder de vista o objetivo de escravizar a Colômbia dentro da esfera retrógrada do chamado Socialismo do Século XXI.

A Colômbia está na mira dos comunistas. Uribe é a pedra no sapato. Todos estes esperneios e grosserias de Chávez e de Correa, somados à intensa propaganda fariana dos últimos dias com os “bons ofícios” de Lula, são parte do estratagema integral das FARC, se ajustam aos ditames do Foro de São Paulo e apontam para o mesmo alvo: Chávez acredita piamente ser uma distorcida e sinistra reencarnação de Simón Bolívar, enquanto Fidel o manipula como uma marionete, ao tempo em que Rafael Correa é o peão do venezuelano títere de Havana.

É uma verdadeira vergonha histórica para o continente e os povos irmãos da Venezuela e do Equador, que seus eleitores tenham sido tão ingênuos e tenham elegido dois serventes do paleozóico ditador cubano.

Entretanto, por malandragem desta desgraça histórica de equatorianos e venezuelanos, a Colômbia sofre os danos que causam em nosso país os amigos de Correa e Chávez, os mesmos delinqüentes que levam meio século destruindo o país com o fim de impor uma ditadura similar à cubana ou, como primeiro passo, implantar na Colômbia um governo marionete pró-cubano similar ao de Chávez e Correa.

 

*Analista de assuntos estratégicos – www.luisvillamarin.co.nr

Tradução: Graça Salgueiro

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}