1. Arquivos
  2. Governo do PT

Sarney e Lula

30 de junho de 2009 - 7:41:25

Convém lembrar que, desde a eclosão da crise, Lula tem dado declarações protocolares de apoio a Sarney sem, no entanto, entrar no mérito das denúncias. Ao mesmo tempo, o PT age dentro do Congresso contra o ex-presidente. Qual a lógica dessa dança política?

Em primeiro lugar, Sarney sempre foi aliado de Lula, mas sempre foi mal aceito pelas hostes petistas. Sarney ligou seu nome ao Regime Militar e isso é inesquecível para as esquerdas. Por outro lado, foi Sarney quem abriu a avenida para a conquista do poder pelas esquerdas, coroada com a chegada de Lula Lá. Sem a morte de Tancredo Neves a trajetória de ambos, Sarney e Lula, seria bem outra. Sarney foi a semente e Lula é o fruto maduro dessa simbiose reciprocamente proveitosa. Para ambos, vale a paráfrase a Caminha: “Em se pagando, tudo dá“. Ou, relembrando o velho Severino Cavalcanti: “É dando que se recebe“.

Um segundo ponto que precisa ser sublinhado é o instinto de sobrevivência político amoral do ex-presidente. Sarney, desde a origem, sempre fez qualquer acordo e qualquer aliança para se manter no poder, sem perguntar nem como nem de onde viria o apoio. Essa é a sua característica mais saliente.

Mas Sarney, embora seja afável ao ponto da subserviência a Lula, tem agenda própria, por vezes conflitante com a do presidente em exercício. Sua história é a de um político tinhoso e vencedor. Só em 2009 dois fatos maiúsculos aconteceram, em favor de Sarney e em prejuízo do PT: a eleição da Mesa do Senado, quando Sarney peitou os interesses da agremiação governista, fazendo-se presidente da Casa, e a cassação de Jackson Lago, muito ligado ao PT, que deu lugar à própria filha de Sarney,  Roseana, no governo do Maranhão.

Vi esses fatos acontecerem e fiquei a imaginar qual seria o contra-ataque vermelho. Está aí. Essa sucessão de denúncias, vindas a público em doses homeopáticas diárias, tem autor. E o único grupo com organização e fontes capazes de gerar esse estremecimento é o PT, partido que se infiltrou por todos os recantos do Estado brasileiro, agindo de forma revolucionária, com acesso a tudo. Essa campanha contra Sarney tem autor: é o PT.

A troca de gentilezas públicas entre Lula e Sarney não passa de ritual que esconde a realidade. Sarney infligiu duras derrotas ao PT, com sérias implicações para a sucessão presidencial, motivando a vingança ora em curso. Por outro lado, Sarney sabe disso, mas faz o discurso oposto, como se o inimigo não fosse o próprio Lula. Ambos os políticos têm índole conciliatória, o que favorece esses rapapés públicos. A demonstração recíproca de cinismo chega a ter recorte literário, tal a radicalidade. Mas não se engane, meu caro leitor: a luta que se trava é entre dois colossos. Mas o velho Sarney está em desvantagem, porque não dispõe dos meios de espionagem e de ação de mídia que tem o PT. Entrou nessa luta perdido. Seus aliados são de ocasião, enquanto a tropa do PT tem sólida formação ideológica e comando centralizado.

Enquanto não temos o desfecho estamos vendo o desfilar da sordidez das nossas práticas políticas, pois decidiram abrir os baús do velho sótão maranhense. É o lado bom e profilático do processo, embora eu não creia que as práticas venham a mudar. Ao contrário. A esquerdização escancarada das ações políticas leva a essa degenerescência crescente. Pense, meu caro leitor: o que representa a meia dúzia de parentes do Sarney nomeados, por mais repugnante que seja o fato, perto dos milhares e milhares de cabos eleitorais que a corriola petista tem empregado no Poder Público? Dos concursos inúteis abertos apenas para acomodar a corriola? Sarney saiu mais barato e mais limpo que o PT. Infelizmente, a opinião pública ignora esses fatos elementares. Lembrando que um erro não paga outro: Lula e Sarney são farinha do mesmo saco. Merecem-se.

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}