1. América Latina
  2. Arquivos

Sordidez criminosa

2 de outubro de 2009 - 2:16:11

Há ainda um documento que UnoAmérica encaminhou aos parlamentares brasileiros e ao STF, pedindo para frear as ações de Lula em Honduras e finalmente, um vídeo (não deixem de ver no final!) onde o próprio Zelaya afirma que sua ida para a embaixada brasileira foi de comum acordo com Lula e Celso Amorim. Portanto, não adianta ficar empurrando para cima de Chávez uma responsabilidade que é, em primeiríssimo lugar, desses dois senhores mas que foi gestado e parido por todos eles juntos no XV Encontro do Foro de São Paulo, no México, conforme escrevi no dia 22 pp. no artigo “Brasil: opção preferencial pela ilegalidade – Parte 2”, publicado nesse dia no site do Heitor De Paola e dias depois no Mídia Sem Máscara. Aliás, não deixem de acessar o site do Heitor diariamente, pois como não canso de dizer, é uma das melhores e mais corretas fontes de informação sobre Honduras.

Ontem eu dei duas notícias que me encheram de alegria, que foi o reconhecimento da Biblioteca do Senado americano de que não houve golpe em Honduras, e as declarações do representante dos Estados Unidos na OEA, que chamou de irresponsável a atitude do governo brasileiro de abrigar Zelaya na sua embaixada, além de responsabilizar diretamente Lula pelos atos de vandalismo ou mortes que possam decorrer de seu ato insano.

Pois bem, hoje o Comissionado Nacional dos Direitos Humanos, Ramón Custodio, pediu à OEA que respeite a dignidade dos hondurenhos dizendo que “Honduras continua sendo um Estado, que continua sendo um povo e que a ONU e a OEA, devem nos respeitar como a qualquer outro governo”.

Com relação ao Brasil – malgrado os deboches do psicopata presidente -, disse o senhor Custodio: “O governo brasileiro tem que responder ante um foro internacional, em algum momento, e se chegar a haver algum banho de sangue neste país, por culpa do senhor Lula, ele será responsável e podemos ir aos tribunais penais internacionais para acusá-lo de qualquer ato e derramamento de sangue hondurenho, de qualquer lado que seja”.

Agora, vejam só como operam canalha e criminosamente os seguidores de Zelaya. No dia 25 pp. o candidato a deputado Marcos Canales, opositor de Zelaya, foi assassinado na porta da igreja da Santidade onde ele se encontrava com a esposa e suas duas filhas pequenas, participando de uma celebração religiosa para orar pela situação de Honduras. Segundo relatou um amigo seu que presenciou os fatos, quando Canales saiu da igreja para pegar o carro dois sujeitos numa moto, da chamada “resistência”, ao vê-lo disseram: “Matemos este” e lhe dispararam dois tiros no estômago.

Em seguida, esses bandidos pegaram seus celulares para tirar fotos e telefonar para os canais “36” e “Cholusat”, duas emissoras zelaystas, enquanto Canales sangrava no chão. Imediatamente esses canais começaram a divulgar que “assassinaram mais um da resistência” enquanto os assassinos alegavam ser um dos seus e que, inclusive, havia participado das marchas pró-Zelaya. Isto foi categoricamente desmentido pela viúva, pelo pároco e pelas inúmeras pessoas que presenciaram a cena trágica, alegando ser uma mentira infame pois durante a marcha a vítima se encontrava na igreja com o testemunho de todos os assistentes ao ato religioso.

cheque-zelaya-canal36Vocês pensam que a sordidez é só essa? Não! Foram descobertas provas de um pagamento milionário feito por Zelaya ao tal Canal 36, cujo cheque o Notalatina apresenta nesta edição com exclusividade. Este canal foi um dos fechados por Micheletti porque retransmitia os pronunciamentos de Zelaya insuflando seus seguidores à rebelião e à desordem, além de divulgar notícias falsas, como a do “mártir da resistência”, sendo necessária a intervenção da viúva e do pároco para desmentir a falsidade e a calúnia.

Ontem eu comparei o decreto que Micheletti expediu ao nosso AI-5, e hoje, depois dessas informações recentíssimas e que a mídia comprada brasileira não divulga, confirmo o que expus anteriormente. Esta gente está lá disposta a qualquer coisa, pois são pagos para isso pelos petro-dólares chavistas, com a conivência do governo brasileiro. E reitero o que venho dizendo e agora autoridades confirmam: toda a desgraça, toda a destruição, toda e qualquer perda sofrida pelo povo hondurenho, sobretudo de vidas humanas, é de inteira responsabilidade do senhor Lula e sua corja de psicopatas travestidos de autoridade. Que a Justiça Divina lhes chegue muito em breve e com a severidade que eles merecem.

Fiquem com Deus e até a próxima!

* * *

Manifesto Público

Nós, brasileiros(as) que formamos com nossos familiares a colônia brasileira de San Pedro Sula, Honduras à comunidade nacional e internacional, fazemos saber que:

1) Lamentamos e nos envergonha profundamente a atitude do nosso ministro das Relações Exteriores Celso Amorim, e do governo do nosso país, ao permitir a presença do Sr. Manuel Zelaya, na sede da Embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

2) Repudiamos veementemente as ações do Itamaraty que marcaram um retrocesso nas relações diplomáticas entre o Brasil e este digno povo hondurenho e seu governo atual.

3) Protestamos por todas as ações pouco diplomáticas que estão causando, não só que o Brasil fique impedido de cumprir a sua liderança na resolução pacífica do conflito interno hondurenho, mas também põe em risco direto a representação diplomática, a nós brasileiros residentes em Honduras, aos funcionários da embaixada, aos vizinhos da embaixada e aos cidadãos de outros países que realizam gestões de procedimentos comuns nessa sede, porque armaram um escudo humano em torno da figura do Sr. Zelaya, que infelizmente foi “hospedado” pelo Itamaraty em nossa embaixada em Tegucigalpa.

4) Nós condenamos o fato de o Itamaraty e o nosso governo não terem levado em conta o nosso bem-estar, o de nossas famílias e dos nossos bens e empresas, ao tomar esta decisão sem precedentes na política externa brasileira.

5) Instamos o nosso governo a tomar as medidas corretivas necessárias, no tempo mais breve possível, para que o Sr. Zelaya não continue usando nossa embaixada para atos de sedição e de incitamento à revolta.

6) Pedimos aos três poderes do Estado brasileiro a tomar medidas adequadas para que o governo mantenha conversações com as autoridades hondurenhas para uma rápida resolução desta situação, mas respeitando a Constituição de Honduras, as leis hondurenhas e as do direito internacional, e sobretudo respeitando o princípio universal da autodeterminação e da não intervenção.

7) Nós convidamos as outras colônias de residentes neste belo país de Honduras para manifestar a seus respectivos governos, devido que é nossa opinião que outros Estados também estão violando os mais elementares princípios de neutralidade, não ingerência e cooperação para a resolução de conflitos internos desta nação nobre de Honduras, que só quer desenvolver-se em PAZ, ORDEM E PROGRESSO.

Elair Schenkel de López

Presidente de la Colonia Brasileira de San Pedro Sula, Honduras

 

* * *


Logo_unoamerica

UnoAmérica pede ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal do Brasil para parar as ações de Lula em Honduras

Senhores,

Deputados e Senadores do Congresso Nacional

Magistrados da Corte Suprema de Justiça

República Federativa do Brasil.

Tenho a honra de dirigir-me aos senhores na oportunidade de expor-lhes o seguinte: o aval de Lula à operação que permitiu o regresso clandestino de Zelaya a Honduras – assim como o apoio logístico que a Embaixada do Brasil lhe presta, para que desde lá coordene ações destinadas a provocar uma guerra civil – afeta a estabilidade da região centro-americana e prejudica gravemente os interesses nacionais de vossa nação.

Aparentemente, as ações internacionais de Lula procuram defender a democracia e incrementar a presença do Brasil na América Latina. Entretanto, isso é só na aparência.

Na realidade, as manobras de Lula no exterior estão desenhadas para favorecer única e exclusivamente seus aliados do Foro de São Paulo [1], organização que pretende destruir as instituições de nossas nações e colocar o Poder Executivo acima dos demais poderes públicos, como ocorre na Bolívia, Equador e Venezuela, e como Zelaya pretendia fazer em Honduras.

Até agora Lula se comportou como um socialista “moderado”, porque as sólidas instituições brasileiras o impedem de atuar de outra forma. Todavia, a estratégia de Lula consiste em apoiar os radicais na periferia, para facilitar o avanço do socialismo radical dentro do vosso próprio país. Sem dúvida, Lula tem favorecido a Chávez de maneira inaceitável [2].

Para entender a relação tão estreita que existe entre Lula, Chávez e Zelaya, assim como o pano de fundo das manobras do governo brasileiro em Honduras, é de vital importância que vossas instituições tenham acesso às informações contidas nos computadores de Raúl Reyes.

Faço um respeitoso chamado a investigar seriamente por que o Congresso e a Corte Suprema de Honduras se viram obrigados – por mandato constitucional – a destituir Zelaya. Também me atrevo a sugerir-lhes que impeçam que o presidente Lula continue provocando conflitos em Honduras.

Sem outro particular a que fazer referência, aproveito para fazer-lhes chegar meus mais sinceros desejos pelo bem-estar e o progresso de vossa grande nação.

Muito atenciosamente,

Alejandro Peña Esclusa

Presidente de UnoAmérica

www.unoamerica.org

 

(1) Ver artigo – El Foro de Sao Paulo a los 16 años de fundado. Disponível em: http://www.fuerzasolidaria.org/WebFS/Escritos/FSP16anos.html

(2) Ver artigo – La verdad sobre Lula. Disponível em: http://www.fuerzasolidaria.org/WebFS/Escritos/LaVerdadSobreLula.htm

 

{youtube}7K_SkqK7B4g{/youtube}

 

Traduções e comentários: G. Salgueiro

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}