1. América Latina
  2. Arquivos

UnoAmérica adverte EUA e Arias: Zelaya pode estar ligado ao narcotráfico

23 de julho de 2009 - 6:56:00

Segundo UnoAmérica, Zelaya não somente tentou dar um golpe à Constituição, pelo qual foi deposto legitimamente, senão que durante sua gestão Honduras estava se convertendo em um narco-Estado.
“Não é por acaso que Zelaya tenha auspiciado o avanço do narcotráfico, porque todos os demais integrantes da ALBA também o fizeram”, afirma o comunicado da UnoAmérica.

Na nota enviada hoje à mídia, UnoAmérica faz a seguinte recapitulação:

Apenas ontem se deu a conhecer um vídeo onde as FARC asseguram ter financiado a campanha eleitoral de Rafael Correa. Como é sabido, as FARC são, além de um grupo terrorista, o maior e mais poderoso cartel de cocaína da América Latina.

No passado 16 de julho transcendeu que um informe do Congresso dos Estados Unidos assinala “uma forte penetração do narcotráfico na Venezuela, com um aumento muito significativo do volume de exportações de drogas e da cumplicidade no negócio de importantes funcionários civis e militares do regime, que colaboram e protegem a guerrilha e organizações criminosas colombianas”. A reportagem, que será dada a conhecer no final deste mês, descreve o nascimento de um “narco-Estado” na Venezuela.

Os vínculos de Chávez com o narcotráfico colombiano estão plenamente comprovados e foram ratificados nos correios eletrônicos que aparecem nos computadores do segundo homem das FARC, Raúl Reyes. Quando Reyes foi abatido, Chávez fez um minuto de silêncio em honra de sua memória. Chávez disse publicamente que todos os dias consome pasta de coca que Evo Morales lhe envia.

Quanto a Daniel Ortega, em 1999 condecorou o chefe máximo das FARC, Manuel Marulanda, cognome Tirofijo, com a ordem “Sandino”, a distinção máxima do FSLN. Ortega chamava Tirofijo de seu “querido irmão”, por isso rendeu homenagem póstuma a esse chefe guerrilheiro quando se inteirou de sua morte.

Com relação ao terceiro integrante da ALBA, Evo Morales, ele é nada menos que o líder dos cocaleros bolivianos. Durante seu governo a produção de coca na Bolívia aumentou consideravelmente. Líderes opositores bolivianos assinalam que o governo executou o massacre de Pando para justificar o controle absoluto dessa região, e desta maneira facilitar as atividades do narcotráfico nessa zona selvática. Atualmente Evo Morales está propiciando a migração de milhares de cocaleros do Chapare para o estado de Pando.

O nome do quarto integrante da ALBA, Mel Zelaya, ainda não foi identificado nos computadores de Raúl Reyes, porém duas das organizações que o apóiam aparecem sim: a Federação Unitária dos Trabalhadores (FUT) e o Partido da Unificação Democrática, ambas assinaladas no correio datado de 11 de março de 2005. Além disso, durante a gestão de Zelaya o narcotráfico incrementou notavelmente suas atividades em Honduras, usando principalmente avionetas (monomotor) com matrículas venezuelanas.

UnoAmérica finaliza seu comunicado pedindo a Obama, a Hugo Llorens e a Oscar Arias “suma prudência”, e lhes recomenda empreender uma investigação séria sobre o conteúdo dos computadores de Reyes, antes de continuar opinando sobre a crise de Honduras. A não ser que com sua atitude estejam favorecendo – sem o propor – os interesses das máfias do narcotráfico na América Central.

 

* Presidente de UnoAmérica

Tradução: Graça Salgueiro

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}