1. Foro de São Paulo
  2. Arquivos

Uruguai: Chávez financiando campanha de ex-guerrilheiro

5 de setembro de 2009 - 18:29:00

Porém, essa não é a verdade, porque Chávez já interveio nos assuntos internos do país sulista. A razão do cancelamento foi a descoberta de uma artimanha que serviu para enviar uns trinta e dois milhões de dólares destinados a financiar a campanha do candidato presidencial da Frente Ampla, o partido do governo, o ex-guerrilheiro Tupamaru e atual senador socialista José Mujica. Este ex-guerrilheiro é um amigo íntimo do presidente Chávez.

O escândalo foi denunciado pelo senador do Partido Nacional, Ruperto Long, e está sendo investigado pela juíza Graciela Gatti, especializada no crime organizado, assim como pelo procurador Ricardo Perciballe.

O incidente-desastre da valise com uns 800 mil dólares, que foi o segundo (não o primeiro) dos envios de Chávez à atual presidenta da Argentina, a Srª Cristina Fernández de Kirchner, e que lhe serviu para ganhar as eleições naquele país, fez com que ele se decidisse a buscar métodos mais criativos e “seguros” de enviar os dinheiros para financiar as campanhas de seus camaradas.

Desta vez decidiram, com um esbanjamento de imaginação para as tramóias, comprar no Uruguai cinqüenta mil livros de texto com destino ao Exército venezuelano. Os livros levavam o logotipo do Ministério do Poder Popular para o Ambiente e do Instituto Geográfico da Venezuela Simón Bolívar. A transação despertou suspeitas porque o valor de cada livro era de uns cinco dólares e oitenta centavos, e Chávez os estava pagando a quatrocentos e noventa e oito dólares cada um. Esta era uma maneira de pôr nas mãos do candidato oficialista, o Tupamaru senador José Mujica, uns trinta e dois milhões de dólares. Todo mundo sabe que Chávez reparte milhões de dólares a seus camaradas. Em algumas ocasiões, fez como com Evo Morales que, sem um átomo de pudor, admitiu publicamente que ia diretamente à embaixada da Venezuela na Bolívia buscar o dinheiro que Chávez lhe enviava. Outras vezes usou-se valises, ou vôos privados como os que aterrissavam na fazenda do deposto presidente hondurenho Zelaya.

A Operação Uruguai começou em dezembro de 2008. E vejamos que interessante: a empresa de fachada Apliser S.A. que ordenou a impressão dos livros para enviá-los a Chávez, foi fundada no ano passado por um primo da senadora oficialista Lucia Topolansky, que é nada menos que a esposa do Tupamaro aspirante à presidência, e esta empresa fantasma que enviou os livros JAMAIS havia feito nenhuma exportação de nada; foi criada somente para esta operação fraudulenta que permitiria a Chávez enviar trinta e dois milhões de dólares por baixo da mesa a quem qualificou como “um velho guerrilheiro” e “muito amigo”. A firma que comprou e pagou os livros na Venezuela está registrada como fornecedora do Estado Bolivariano… Ainda pode caber alguma dúvida?

Seria interessante saber o que diz o secretário da OEA, o inefável socialista chileno Insulza, desta nova ingerência de seu protetor, o presidente Hugo Chávez…

 

__________________
* Armando Valladares é ex-preso político cubano. Escritor, poeta e pintor, foi embaixador dos Estados Unidos ante a Comissão de Direitos Humanos da ONU. Recebeu a Medalha Presidencial do Cidadão. Este ano lhe foi concedido na Itália o prestigioso prêmio de Jornalismo Internacional ISCHIA.

Fonte: Diario Las Américas, Miami (FL), 31 de agosto de 2009. Publicado com o título “Descubren que Hugo Chávez está financiando la campaña del candidato oficialista en Uruguay

Tradução: Graça Salgueiro

{slide=Artigos Relacionados}{loadposition insidecontent}{/slide}

{slide=Artigos do Mesmo Autor}{loadposition insidecontent2}{/slide}