1. Brasil
  2. Cultura
  3. Educação

Por que tantos professores de história são comunistas?

17 de julho de 2017 - 1:55:17

Perdi a conta do número de vezes em que participei de debates de natureza política ou ideológica tendo do outro lado da mesa professores de História que não dissimulavam suas convicções comunistas, ou marxistas, ou socialistas. Não são poucas, por outro lado, as mensagens que recebo contendo relatos de alunos sobre a doutrinação política desenvolvida nesses cursos tão importantes ao desenvolvimento intelectual e cultural dos estudantes. Por outro lado, sempre que conheço algum professor ou aluno fora desse mainstream doutrinário, sei que estou diante de um valoroso resistente.

Afinal, por que tantos professores de História são comunistas? E, numa extensão disso, por que, embora em grau menor, igual tendência ocorre em outros cursos das Ciências Humanas? Creio que se trate da convergência de dois fatores. De um lado, a prévia doutrinação dos colegiais no ensino fundamental e médio; de outro, a conveniência política dos partidos mais à esquerda do leque ideológico que sabem quanto vale o domínio da narrativa histórica para as determinações políticas do presente e para os alinhamentos do futuro.

Não se peça da ciência aquilo que ela não pode proporcionar. Os eventos da História sempre admitem várias interpretações, notadamente quando envolvem conflitos. Nestes casos, obviamente, as partes em disputa têm divergentes pontos de vista sobre os acontecimentos e farão deles relatos desiguais.

É nessa tensão que entram Marx e suas convicções sobre o futuro. Ao se assumir como profeta, o alemão fundou uma religião, e seus seguidores são convocados a um ato de fé. Como bem ensinou Olavo de Carvalho, ao ver a história desde seu ponto de chegada, os seguidores de Marx com estrado de professor, púlpito de pregador, teclado de jornalista ou escritor, microfone de comunicador passam a ver tudo que acontece entre o ponto de partida e o ponto de chegada como pá e picareta para abrir o caminho. Portanto, não há limites para a manipulação dos fatos e não há verdades que se mantenham além do tempo necessário a dar um passo adiante.

Eis o motivo pelo qual o que antes se chamava, de modo adequado “interpretações da História”, passou a ser denominado pelos marxistas como “guerra de narrativas”, desdobramento de sua indispensável luta de classes. Danem-se as perspectivas dos atores nos fatos narrados! Aliás, danem-se os próprios atores! O único interesse do relato é obter vantagem para o processo político do momento.

Assim fica fácil entender, também, o processo pelo qual militantes comunistas insistem em dizer que lutavam pela democracia contra o regime militar nos anos 60 e 70. Ora, eles tinham e mantêm ojeriza pela democracia que denominam burguesa e, por isso, tanto se empenham, ainda hoje, em implantar seus conselhos populares (sovietes). No entanto, com vistas aos fins, reconstroem a própria história. Lutaram para implantar uma ditadura comunista de inspiração cubana em nosso país e hoje negam haver crido no que creram, pelo que pegaram em armas, e ainda creem.

Não é possível fazer política nesses moldes sem usar e abusar da História e sem meter o dedo na jugular dos fatos.

http://puggina.org

 

 

  • Charles Moura

    Há muitos cursos de licenciatura nas universidades, principalmente no modo EAD e em diversas áreas do conhecimento. Uma excelente estratégia para disseminar os ensinamentos do patrono da ‘iducassão brazilera’.

  • Robson La Luna Di Cola

    A própria História oferece munição para os salvadores da pátria: um rio de sangue, com mortes, violência, opressão, e exploração. Claro que não foi coincidência que o pensamento marxista aparecesse no auge da Revolução Industrial. que criou condições de trabalho terríveis, inclusive para mulheres e crianças. E cidades submersas em uma nuvem de fumaça preta das chaminés das fábricas. Com guetos onde viviam um monte de famílias miseráveis. Nas minas de carvão, milhares de mineiros morrendo por desmoronamento e asfixia.

    • nando_bv

      Nossa, antes da revolução industrial era uma paraíso.
      Era Muito pior

      • Robson La Luna Di Cola

        Muito melhor. Nas regiões rurais, mesmo os funcionários mais humildes trabalhavam somente na estação de plantio e colheita. O resto do tempo, ficavam em seus sítiozinhos, vivendo de comida estocada, E participando de festinhas tocadas à dança e música folclórica. E hoje, nas grandes cidades, como SP? O cara levanta às 6:00 para chegar às 8:00 no trabalho, chega às 20:00 em casa. Toma banho, janta e vai dormir. Maravilha, certo?

        • nando_bv

          Tu esqueceu de um fator importante.
          A revolução Industrial possibilitou empregos (aumento da população ), coisa que o campo jamais iria conseguir suprir
          E a revolução industrial possibilitou todo o progresso atual, desenvolvimento e melhorias das condições de vida atuais
          Qualquer pobre hoje tem muito melhor condição que um Monarca do século XVIII

          • Robson La Luna Di Cola

            Um monarca do século XVIII, se entrasse em uma máquina do tempo e visse nossos cidadãos de hoje, o dia todo com a cara enfiada no celular, ouvindo sertanejo universitário, certamente voltaria correndo. Voltaria para o Palácio de Versalhes, para ouvir concertos de música barroca. Mas para os burguesotes, interessa QUANTIDADE, e não qualidade. Já os miseráveis que moram nas periferias das grandes cidades, muitos pediriam para entrar na máquina do tempo para se transformarem em um servo de gleba medieval. Pelo menos não morreriam de fome, e nem morto por uma bala perdida de um tiroteio entre quadrilhas do narco-tráfico…..

          • jorge santos

            Falso novamente! Se entrasse em uma máquina do tempo, um monarca daquele tempo ia preferir ficar por aqui, cumprindo expediente, com mulheres cheirosas, pra depois curtir uma soirée com os amigos. Em casa, teria centenas de canais à disposição: esportes, filmes, séries, sexo…Tomaria um bom vinho ou, na pior das hipóteses, uma cerva gelada vendo seu time jogar.
            Sabe por quê? Naquele tempo morria-se de varíola, catapora, sarampo. Banho era coisa rara e os vasos sanitários eram asquerosos! Somente a realeza e a aristocracia, além dos clérigos, tinham alguma regalia. O fato de se ouvir sertanejo, funk, samba, é questão de gosto e escolha, coisa que não havia naquele tempo.

          • Robson La Luna Di Cola

            Falso novamente! Não confunda quantidade com qualidade! Cinco minutos dentro do Palácio de Versalhes vale mais do que duas horas assistindo um FlaxFlu no Maracanã. Ou vendo o program da Faustão. Pobres burgueses decadentes…

          • Newton (ArkAngel)

            Se era tão bom, por que a expectativa de vida aumentou em relação aos dias de outrora?
            Naquela época não havia higiene tal qual a conhecemos, e este foi um dos motivos do desenvolvimento da produção de perfumes na França…sem contar as amplas saias usadas pelas mulheres, cuja finalidade era menos estética do que para disfarçar o mau cheiro oriundo das partes íntimas que provavelmente não viam água e sabão há um bom tempo.

          • Newton (ArkAngel)

            Aqui no Brasil, no palácio real, e na maioria das casas, as necessidades eram feitas em baldes dentro dos aposentos, e eram esvaziados simplesmente atirando-se as fezes pelas janelas. Tais excrementos escorriam até os rios, cujas águas eram consumidas pela população. O resto não precisa dizer…

          • Robson La Luna Di Cola

            No Brasil, quantas cidades possuem tratamento de esgoto? O cocô vai do vaso sanitário para um tanque de estocagem, e é lançado durante a noite no meio do rio que banha as cidades. Fora os lançamentos industriais, com produtos químicos perigosos (metais pesados) que são lançados nos rios e nos oceanos. Eu li a notícia de que a contaminação nos rios está aumentando exponencialmente em nosso país. E a barragem da Samarco? Que rompeu, provocando dezenas de mortos, e provocando o maior desastre ambiental da história do Brasil? Tempos modernos… . Aliás, assista o filme. Com Charles Chaplin.

          • Newton (ArkAngel)

            Exatamente! Se é assim hoje, imagine em tempos d’antanho.

          • Robson La Luna Di Cola

            Antigamente não existiam cidades com 12 milhões de pessoas. Exprimidas em áreas minúsculas, devido aos altos edifícios. Também não existia este consumismo maluco que vivemos hoje em dia. Lançando no meio ambiente toneladas de todo tipo de resíduos de produção e embalagem. Trazendo, muitas vezes, produtos orgânicos tóxicos e metais pesados. Desculpe, sou Eng. Químico.. Vote em Marina Silva! (brincadeirinha…).

          • Newton (ArkAngel)

            Pois é…mesmo com todos esse inconvenientes, o ser humano na média tem mais saúde, menos doenças e se alimenta melhor do que muitos monarcas do século 18. Se tais inconvenientes citados por você fossem eliminados, iria ser melhor ainda.

          • Robson La Luna Di Cola

            Impossível! Estes inconvenientes são produzidos pelos mesmos fatores que produziram os convenientes. A mesma empresa que fabrica remédios, pode fabricar explosivos e gás tóxico para as guerras. As mesmas empresas que fabricam tratores para atenderem à maravilhosa agricultura que temos hoje em dia, pode ser a mesma que fabrica tanques de guerra… Os mesmos que curam e alimentam, são os que matam.

          • Newton (ArkAngel)

            Ok, mas então o problema é o ser humano, e não as cidades, as fábricas e o ambiente.
            Não adianta, enquanto o homem não evoluir espiritualmente, nada do que se faça vai melhorar a vida.

          • Robson La Luna Di Cola

            Exatamente. O mesmo gigantesco progresso científico, tecnológico, e industrial, que para os liberalzotes trouxe o Paraíso aqui na Terra, trouxe também o Inferno. A possibilidade da destruição em massa. Na área econômica é a mesma coisa: a complexa e gigantesca infra-estrutura da economia globalizada que temos hoje, traz grandes benefícios para o mundo: preço, qualidade, variedades. Mas ao mesmo tempo provoca as terríveis crises globais, pois quando cai um, caem todos. Efeito dominó.

          • Robson La Luna Di Cola

            A qualidade de uma sociedade depende da qualidade de seus cidadãos. Uma sociedade virtuosa é constituída por cidadãos virtuosos. O exemplo mais dramático é o nossa país. Em vez de ficarmos o tempo todo gritando “Prende o Luuuuula!!!!”, ou ‘Fora Teeeeemer!”, tínhamos que nos olhar no espelho. O gigantesco nível de corrupção que existe em nossa política, é o simples reflexo da podridão de nossa sociedade. Estou generalizando, é claro,

          • Newton (ArkAngel)

            Tudo começa na educação e valores passados pelos pais aos filhos. Que exemplo tem uma criança que, ao mesmo tempo que vê seus pais gritando “Abaixo a corrupção”, também vê os mesmos pais subornando o policial, deixando de devolver o troco recebido a mais, etc.?

          • Robson La Luna Di Cola

            Perfeito! Bom exemplo! Começa em casa! Mas como se diz aqui no RJ: “Brasileiro é ixpiérrrtu!”.

        • jorge santos

          Falso. Hoje em dia, qualquer cidadão de renda mediana se alimenta, se veste e se diverte melhor do que há 200 anos, incluindo, aí, a própria aristocracia. Isso é fato! O consumo de proteína era precário, e a alimentação era baseada no consumo de carboidratos, como batata. A literatura está repleta de exemplos desse tipo, incluindo os comunistas Hobbsbawn, Perry Anderson e Le Goff.

          • Robson La Luna Di Cola

            Melhoramos os hábitos de higiene pessoal, e os conhecimentos na área médica. Mas em compensação, inventamos a Tecnologia da Morte. Então, tivemos mais de 100 milhões de mortos provocados pelo comunismo (materialismo dialético, que moderno!) Mais de 50 milhões na Segunda Guerra. Inclusive com duas bombas nucleares que mataram mais de 300 mil pessoas em alguns segundos. E depois dessa guerra, inúmeras outras com milhares de mortos. E os 25 milhões de mortos pela AIDS? E os milhões que morrem anualmente em acidentes de trabalho e em acidentes de veículos? E o trabalho semi-escravo que o Planeta Mercado gerou em várias cidades do Oriente? Com muitos casos de suicídios dos desgraçados que não aguentam esta vida? Tempos modernos…

          • Robson La Luna Di Cola

            Burguesotes pensam que o mundo inteiro vive no mesmo padrãozinho bacana que ele vive…

          • jorge santos

            Que os chavões foram bem decorados é fato. Seus argumentos são frágeis e pueris.

          • Robson La Luna Di Cola

            Meu problema é que eu falo de FATOS. Falo do MUNDO REAL Não me baseio em ideologias, para filtrar aquilo que contraria os meus argumentos, e enfatizar aquilo que o reforça. Não sou Rodrigo Bostantino.

          • Ricardo Oliveira

            Qualquer operário dos tempos atuais tem uma qualidade de vida muito melhor do que reis e imperadores do passado, então deixa de ser IMBECIL cara.

          • Robson La Luna Di Cola

            Imbecil é a puta que te pariu. Não me encham mais o saco. Não vou mais ler esta página. Adeus, burguesotes!

          • Ricardo Oliveira

            VAI CHUPA UMA PIROCA SEU ESQUERDOPATA E VAZA DAQUI!!!!

          • Robson La Luna Di Cola

            Adeus, nenezinhos. Continuem aí no berço do vovô Olavo, brincando de Escola de Frankfurt, estratégia Gramsciana, estratégia da tesoura, Foro de São Paulo, Nova Ordem Mundial, etc. Enquanto o mundo real continua seguindo. kkkkk

          • Robson La Luna Di Cola

            Esqueci de mais um detalhe sobre estes tempos maravilhosos em que vivemos: Sabia que durante a Guerra Fria, nas cidades americanas próximas às Bases Militares – em especial as que tinham mísseis atômicos – os cidadãos construíam abrigos sob suas casas? E mantinham estoque de alimentos e outros itens de sobrevivência, para o caso de haver um ataque nuclear soviético, e não morrerem devido à nuvem radioativa? Esqueci de falar também da Primeira Guerra Mundial. Guerra onde um antepassado meu lutou, pelo exército francês. Deixou cartas para seus pais, contando o HORROR que eram os ataques em campo aberto, sob fogo de canhões e metralhadoras.

    • Sergio Oliveira

      Basta substituir “Revolução industrial” por “implantação do comunismo” e o texto pode permanecer o mesmo… só que aí os esquerdopatas vão aplaudir como sendo uma conquista do proletariado.

      • Rafael

        Não senhor, estude um pouco mais e verá a diferença.

    • jorge santos

      Isso aconteceu no início, como em toda mudança radical no estilo de vida. Não compare as condições daquela época, que deram munição para as baboseiras de Marx/Engels, inclusive com falseamento de dados (parece um hábito centenário!) com as de hoje. Porém, graças ao “maldito capitalismo” e aos “burgueses(?)”, o mundo se tornou o que é hoje, com todos os seu avanços tecnológicos, disponíveis, inclusive, para as “classes operárias”.

  • Iason Souto

    É por essa razão que os comunistas odeiam tanto a religião, ela é capaz de superar a crença no marxismo que o próprio marxismo exige para si. A religião coloca o foco na devoção a Deus, valoriza a moral, a ética, e a família e isso o marxismo não aceita, como no antigo império romano quando o imperador exigia adoração de todos, o cristianismo pregava adoração ao único Deus. Fica evidente o paralelismo entre o totalitarismo que atravessa milênios, eles têm em comum o desejo de dominação não somente política, mas religiosa, intelectual…

    • Rafael

      Nada a ver, não há ódio, mas é fato que a religião não raras vezes esteve à serviço dos poderosos.

      • Robson La Luna Di Cola

        Os poderosos, em alguns momentos da História, se apoderaram da Igreja, não da religião. Pois não podiam admitir um poder de origem transcendente, que estivesse acima deles. Todos os espertalhões que tentarem esta manobra, vão se dar mal, pois irão contraria os próprios fundamentos do Cristianismo. “Meu Reino não é deste mundo!”

    • ricardo santos

      Marxistas odeiam ou adoram a religião, depende das circunstâncias, lembrem de que vocês estão lidando com uma mentalidade revolucionária, flexível, dialética, não contra dogmáticos.

      • Iason Souto

        Marxistas adoram aquilo que podem controlar. Veja o caso da igreja ortodoxa russa, na antiga URSS, o kremlin escolhia os clérigos, ademais a igreja russa estava infestada de agentes da KGB, ou seja, o ódio foi apenas disfarçado, e ainda hoje o kremlin vigia os passos da igreja, determina seus rumos, e se sair da “linha” o sr. Putin aperta as rédeas.

  • Rafael

    Marx foi um gigante na interpretação do mundo, dai a explicação, fora isso os pensadores de esquerda possuem grandes obras no setor, isso explica essa relação.

    • Iason Souto

      Ah sim! A esquerda matou dois milhões de ucranianos de fome, na China, a esquerda matou outros milhões, em Cuba e na Venezuela a esquerda vem fazendo grandes obras, você tem razão, Rafael, são grandes obras!

      • Rafael

        Do ponto de vista intelectual, o qual o senhor deve ter tido pouco contato, um livro como “Era Dos Extremos”, a própria escola de Frankfurt possui autores fenomenais, se o senhor não leu, recomendo.Cultura não ocupa espaço.

        • V P

          Um gigante na interpretação do mundo. Tenho de concordar: Soube utilizar-se de uma argumentação falaciosa para manipular idiotas e formular uma ideologia que vem destruindo a civilização ocidental.

          • Skyline

            Meuamigo, deixa eu te dar uma ajuda. Esse pessoal da esquerda, eles criaram um monte de ferramentas legais pra subverter a política e eles usam isso com fervor. Todo mundo deveria ler esses caras antes de partir pra direita, porque senão você vai lutar desarmado contra essa gente. O próprio Olavão tem uma bilbioteca sobre comunismo, por isso ele fala tão bem.

          • Newton (ArkAngel)

            Verdade. Tem muitos esquerdistas que em determinada época (geralmente quando acaba a adolescência, lá pelos 40, 45 anos de idade…) passam para a direita; já o contrário, eu nunca vi.

          • Rafael

            Vê-se que nunca abriu um livro de Marx.

          • jorge santos

            Exatamente isso!

        • jorge santos

          Do ponto de vista intelectual, você está muito enganado. Hobsbawn era um comunista empedernido, que não abandonou essa aberração mesmo depois da revelação dos massacres e dos campos de concentração instalados por Stálin. A Escola de Frankfurt também era um antro de comunistas, adoradores do fraudulento Marx.

          • Newton (ArkAngel)

            Do ponto de vista intelectual, comunistas continuam fazendo sempre as mesmas coisas e esperando um resultado diferente…ou não.

          • Rafael

            E dai que era comunista? E deve ser um profundo conhecedor de Marx para chama-lo de fraudulento.

          • jorge santos

            Marx fraudou dados estatísticos para se adequarem ao seu pensamento. Não se pode comparar o trabalho braçal daquela época, muito menos as leis trabalhistas, que nem existiam. O resto é balela e chororô!

          • Ricardo Oliveira

            Marx foi um grande Cachorro-Louco que teve que fraudar dados estatísticos para que suas teses tivessem validade. Além de recomendar o holocausto revolucionário para matar os que não concodavam com as crenas deles, e vc ainda o chama de “gigante”? Em quê? Em falácias e planejamento de genocídio? Ah cara VAI TE CATAR!!!!

          • Rafael

            Nunca leu nada dele né? Isso ai é falso, uma deturpação. Não precisa acreditar em mim, leia por si mesmo.

        • Iason Souto

          Ah sim! Escola de Frankfurt! Essa é a preferida das esquerdas latino americanas. Tem algo pior?

          • Rafael

            Se conhece bem os pensadores de lá, saberia que não havia unidade de pensamento.

    • jorge santos

      Um gigante da relativização e da fraude! Todos os regimes implantados segundo seus conceitos falhos e ultrapassados, deram com os burros n’água. Ou melhor, os líderes se deram muito bem, escravizando seu povo e vivendo como nababos: Fidel, Che, Lênin, Stálin, Pol Pot, Ceausescu, o maluco Kin da Coréia…Milhões foram mortos pela sanha comunista de Stálin em Kolkozhes, expulsos de suas pequenas glebas para viver como escravos.

    • Newton (ArkAngel)

      Sim, sabem interpretar, sabem explicar e sabem pensar, só que na prática tudo isso só resultou em desgraças para o povo que não interpretava, não explicava e não pensava.

  • A resposta para isso é muito simples. Para ser comunista não é necessário inteligência, basta ser ingênuo ou mau-caráter.

    Pergunte a esses bostas se eles leram Marx alguma vez na vida e se leram, pergunte-os se eles entenderam alguma coisa.

    A esmagadora maioria nunca pegou um livro de Marx nas mãos e só é comunista para manter o círculo de amizades, o emprego ou simplesmente para pegar algumas menininhas.

    O comunismo além de ser uma ideologia utópica e genocida por essência, também transforma seus seguidores em histéricos acomodados e preguiçosos afinal, para quê entender o mundo real se basta sair por ai vomitando igualdade e justiça social não é mesmo?

    Existem dois tipos de comunistas como bem diz o livro Ponerologia de Lobaczewsky. O comunista histérico que só é comunista por ter sofrido lavagem cerebral do meio em que vive e portanto continua cegamente acreditando na sociedade comunista como algo possível e o comunista psicopata que sabe que o comunismo é uma farsa mas continua sendo comunista para manter o status quo e regalias.

    Exemplos de comunistas histéricos são: Jovens e até mesmo alguns artistas,professores e jornalistas que vivem vomitando slogans de esquerda sem nunca terem estudado absolutamente nada de comunismo ou liberal-conservadorismo.

    Exemplos de comunistas psicopatas: Lula, Ze Dirceu, Fidel Castro, Ho Chi Minh, Mao Zedong, Vladimir Lênin e até mesmo os de baixo escalão como Boulos, Sakamoto, Safatle e etc. Eles sabem que o comunismo é inviável como sistema econômico e portanto não passa de uma utopia,mas para continuar em seus altos cargos e controlando a massa de histéricos continuam seduzindo e aliciando os imbecis para a causa.

    Os histéricos é possível recuperá-los com tratamento adequado e reeducação, já os psicopatas só cadeia ou paredão mesmo pois são indivíduos irrecuperáveis e perigosíssimos como qualquer psicopata.

  • Margoth De Azevedo Barreiros

    A bibliografia destas faculdades são todas comunistas. Só se mostra Marx, Welber, Marcuse, Freud, Nietzsche, etcetera…Para este “mestres” comunista, ser intelectual, ser inteligente, é ser ateu. E menosprezam de uma maneira acintosa, quem afirma em sua crença em um Ser Onipotente. Quem são eles para nos classificar deste modo? Mas uma criança e adolescente sem uma estrutura sólida, se sente um imbecil. São uns abusados, estes professores de meia tigela. Eu por exemplo pouco conheço autores com ideologias contrárias. Nunca os vi na escola em minha época de estudante e muito menos na faculdade de Pedagogia. Como me arrependo de ter escolhido esta Graduação! Eu aprendi a ensinar a desaprender. Esta é a realidade muito triste. 😭

  • Eduardo Cabral

    O Otto Maria Carpeaux explicou isso: “Para a mentalidade média do nosso tempo a utilidade das ciências é determinada segundo as aplicações práticas: a física e a química, que nos forneceram a luz elétrica e os gases asfixiantes, são as ciências úteis; a história e a filosofia, que não nos fornecem nada, são ciências “inúteis”. Apelo desta sentença para a sabedoria de certos homens práticos, que disso entendem muito bem. Certos regimes, ditos totalitários, acharam indispensável regular pela força o estudo das ciências, cujas conseqüências práticas poderiam abalar estes regimes. Ora, que vemos nós, com surpresa? Estes regimes não se ocupam, absolutamente, com as ciências “práticas”, a física e a química, que continuam bem tranqüilas. Mas as ciências totalmente inúteis, a história, a filosofia, os estudos literários, são justamente as favoritas dos regimes totalitários, que as abraçam até sufocá-las. É digno de nota.”

  • Marcos Menezes

    Marxistas pensam dialeticamente.Se não conseguem o que querem por uma via tentam outra.E usando de discurso dialético e linguagem dupla acabam confundindo seus adversários.

  • Olivio Girelli

    Como bem ensinou o Astrólogo Olavo de Carvalho, aquele que tenta ser Judeu, Católico, Evangélico, Adivinho e 171 ao mesmo tempo.
    É o cara! Kkkk

  • Guilherme Vargas

    Gostaria de, aqui, recomendar aos demais leitores do fantástico site que é o nosso Mídia sem Máscara, um documentário que, não há muito, assisti. Seu nome é Agenda: Grinding America Down; produzido por Curtis Bowers.

    Em tal documentário, nos é apresentada uma não tão dita perspectiva do como funciona o Marxismo Cultural e hoje: a guerra ideológica contra, no final das contas, Deus Javé, ou o Deus bíblico como de fato é. E o porquê de tal guerra, vocês me perguntam? Porque é unicamente Deus que manteve o Ocidente de pé durante tantas décadas, e é Ele o considerado, praticamente por unanimidade dos ideólogos comunistas, o maior obstáculo que se encontra para destruir o Ocidente; isso ocorre, por exemplo, ao destruir Suas instituições: a Igreja e a Família.

    Assistam, e um abraço a todos!!!