1. Artigos
  2. Colunistas
  3. Estados Unidos
  4. Media Watch
  5. Movimento Revolucionário

Charlottesville: Stalin ganha mais uma

18 de agosto de 2017 - 4:38:12

O ministro alemão das Relações Exteriores, Joachim Von Ribbentrop (à esquerda.), o líder soviético Joseph Stalin (no meio, rindo) e seu ministro das Relações Exteriores, Vyacheslav Molotov (à direita, no canto), assinam o pacto no Kremlin em 23 de agosto de 1939.

 

There is really one only political party of any significance in the United States…
the Republicans and Democrats are in fact two branches of the same (secret) party.
(Existe, na verdade, apenas um único partido político com alguma significância nos Estados Unidos… Os republicanos e os democratas são, na realidade, dois ramos do mesmo partido [secreto].)
Arthur C. Miller
The Secret Constitution and the Need for Constitutional Change, 1987

 

As ocorrências em Charlottesville, Virginia, tem raízes mais profundas e antigas do que as interpretações apressadas podem alcançar. Essas últimas se baseiam apenas nas aparências que nada mais são do que cortina de fumaça de desinformação. Ao assistir, quase ao vivo, as manifestações, deu-me uma sensação dupla: de deja vu e de uma mise en scène, algo preparado e ensaiado. Vejamos:

  1. um grupo da organização Antifa pedira a remoção de uma estátua do General Robert Lee, Comandante do Exército Confederado;
  2. outro grupo de neo-nazistas e integrantes da KKK pedira autorização para uma manifestação em defesa da permanência da estátua;
  3. o prefeito primeiro autoriza, depois desautoriza, volta atrás e como que magicamente surge o outro grupo, a polícia se retira, contrariando todos o cânones de controle de distúrbios;
  4. fecha o tempo, inclusive com um carro providencial que criou o que todos esperavam: uma vítima;
  5. o Presidente Trump condena os dois lados do conflito e desencadeia uma tempestade universal de protestos acusando-o de “defender a direita radical, por igualar moralmente os nazistas aos que protestam contra eles”. Trump cai na armadilha, meio que volta atrás e depois reafirma o que dissera. David Duke, com intenção óbvia de por lenha na fogueira, elogia a atitude de Trump.

Ora, há muito já se sabe que estes grupos agem de comum acordo, só enganando quem acredita ainda na oposição entre esquerdistas e direitistas. Alguém que se considere analista político e ainda acredita nisto só pode ser um idiota disfarçado de imbecil! O Partido secreto referido por Miller, o deep state, jamais esteve tão evidente como desde a vitória totalmente inesperada de Donald Trump. Obama foi durante oito anos o representante do deep state e Hillary seria sua natural seguidora. Trump foi um golpe nos planos tão duramente elaborados.

Para entender como se chegou a esse ponto é preciso retroceder ao fim da I Guerra Mundial.

A aliança teuto-soviética, o Pacto Molotov- Ribbentrop e o destino da Europa ([1])

No final da guerra Lloyd George já antevia:
“O maior perigo do momento consiste no fato da Alemanha unir seu destino com os Bolcheviques e colocar todos os seus recursos materiais e intelectuais, todo o seu talento organizacional, ao serviço de fanáticos revolucionários cujo sonho é a conquista do mundo pela força das armas. Esta ameaça não é apenas uma fantasia”.

Realmente, já em 1919, os dois países – chamados “párias de Versalhes” – iniciaram diálogos secretos de uma aliança para tornar letra morta o Tratado de Versalhes com vistas ao reerguimento da Alemanha e, simultaneamente, a reconstrução do Exército russo, levando em maio de 1933 – portanto já em pleno regime nazista – o General Mikhail Nicolayevitch Tukhachevsky, vice-comissário e Chefe do Estado-Maior do Exército Vermelho, a afirmar: “(…) vocês e nós, Alemanha e URSS, podemos ditar nossos termos ao mundo todo se permanecermos juntos”.

Era a época em que comunistas e nazistas se esmeravam em destruir todas as manifestações uns dos outros (Antifa x Neo-Nazis?), porém, juntos, rebentavam as manifestações de outros partidos, principalmente no maior inimigo de ambos, o Partido Socialista Alemão.

Muito antes do início da Segunda Guerra Mundial, Stalin genialmente elaborou o plano de fazer de Hitler a ponta de lança da contra as democracias ocidentais, culminando no Pacto Molotov-Ribbentrop de agosto de 1939. Antes disto, nos conhecidos “processos de Moscou”, eliminou Tukhachevsky e todos os demais que estabeleceram a cooperação anterior, para manter o segredo.

Ribbentrop e Stalin dão risadas juntos, enquanto Molotov assina o pacto macabro.

O pacto foi rompido por Hitler em junho de 1941 e então Stalin marcou mais um ponto, denunciando os nazi-fascistas como tendo sempre sido “inimigos do povo”, apagou a história ([2]) e enviou a todos os partidos comunistas do mundo a diretiva de incessantemente afirmar falsamente que o nazi-fascismo era a direita reacionária agindo contra o processo histórico, e o comunismo revolucionário a esquerda dos povos “amigos da paz”. Para isso foi fundado, em 1943, o Kominform, responsável pela desinformação durante a guerra e o pós-guerra.([3])

A súbita mudança que levou à aliança da URSS com os Aliados, que Richard G. Powers denominou “Dançando com o Diabo” ([4]) além de conseguir a anuência de Roosevelt (à vontade) e Churchill (contrariado) para dominar metade da Europa sem cumprir nenhum dos acordos assinados em Yalta, Teheran e Potsdam (já com Truman), permitiu a Stalin infiltrar agentes comunistas nos órgãos políticos e de inteligência do Ocidente, como na CIA, no MI6 e principalmente no Departamento de Estado dos EUA, onde colocou Alger Hiss, que foi o Secretário de fundação das Nações Unidas, e Harry Dexter White, primeiro presidente do FMI e um dos fundadores do Banco Mundial, entre centenas de outros.

O pós-guerra e a Guerra Fria
Até a Guerra do Vietnã, devido ao conhecimento das atrocidades soviéticas, imperou nos Estados Unidos a tendência anticomunista. Mas não apenas os abertamente infiltrados, como também “toupeiras” e sleeper agents – remanescentes dos grupos de Wili Müzenberg – continuaram seu trabalho, através principalmente da infiltração nas entidades de trabalhadores, estudantis e de professores. A penetração no Partido Democrata se deu através da formação de líderes como Tom Hayden, autor do Port Huron Statement e a fundação da organização Students for a Democratic Society em 1962 que veio a ter atuação de frente contra a Guerra do Vietnam, quando se juntaram a ela John Kerry, Jane Fonda e muitos outros.

É preciso ressaltar que o Partido Democrata tinha raízes muito fortes no sul ainda ressabiado com o fim da escravidão. A Ku Klux Klan era uma das mais fortes propagadoras dos ideais do Partido Democrata. Imagina-se que no princípio dos contatos entre os grupos dos dois lados, podem ter havido choques, mas se deram conta de que tinham uma agenda comum: a destruição dos Estados Unidos como líder no mundo livre.

A dominação pelo “establishment” bipartidário e multinacional
Em 1971 foi publicado por Gary Allen e Larry Abraham None Dare Call it Conspiracy, um livro de grande importância, tendo perturbado o establishment político ocidental dominante ao expor grande parte de sua história secreta e as agendas que controlam os processos políticos dos Estados Unidos e grande parte do resto do mundo. Contêm explicações das agendas da elite global pouco conhecida. Surpreendentemente para muitos, o livro mostra como este grupo de integrantes do establishment foi historicamente responsável por estabelecer secretamente e, em seguida apoiar, os regimes comunistas totalitários na Rússia, na China e em grande parte do mundo, e é explicado como as filosofias globalistas que são atualmente implementadas, pede que um sistema uniforme de governo similar seja eventualmente imposto a toda a população do planeta em uma “Nova Ordem Mundial” totalitária.

Esta nova ordem, idealizada por Lenin, foi implementada por Stalin através da criação da ONU e outros organismos globalistas. Este projeto inclui a progressiva união de países sob elites não eleitas com força total para implementar suas regras e leis, como na União Europeia. Ora, o nazi-fascismo não previa exatamente o mesmo estado de coisas: o fim das democracias ocidentais e de todo e qualquer poder escolhido pelo voto? Pois, se o princípio democrático é a renovação periódica do poder através do voto popular, ele impede a continuidade eterna de uma elite burocrática e, ao final, o fim da liberdade e da distribuição da riqueza pelo trabalho. Como bem apontou C. S. Lewis em The Abolition of Man. Não é exatamente isto que se pretende com as técnicas eugênicas e de controle populacional – aborto, eutanásia, seleção dos mais capazes – e as ideias mentirosas sobre aquecimento global causado pelos seres humanos, homossexualidade e transgenerismo (infertilidade)? Conforme Lewis disse, será a abolição de grande parte da humanidade para gozo pleno das elites.

New lies for old
Tomo emprestado o título de Golitsyn para um salto no tempo diretamente para o tema inicial, já que este artigo se trata do “resumo resumido de um resumo”.

O artigo do Dr. Steve Piecznick ([5]) oportunamente enviado ao ‘Diário Filosófico’ do Mídia Sem Máscara por Olavo de Carvalho forneceu-me o elo que faltava para entender minhas sensações descritas no primeiro parágrafo acima. Realmente o que ocorreu foi uma operação de “oposição controlada” entre aliados secretos e não passaram de new lies for old, novas mentiras no lugar das antigas, pois é claro que observadores esclarecidos não se deixam mais enganar pelas antigas mentiras de Nazistas versus Comunistas. Mas encenadas desta forma ainda conseguem enganar à maior parte da população e até mesmo a políticos de alto nível, não integrados na mentira e de boa fé, como Mrs. May. Neste mesmo lado do Atlântico não enganou ao atilado Nigel Farage.

O Dr Piecznick faz um levantamento das vidas dos dois líderes que estavam aparentemente em campos opostos em Charlottesville: Richard Spencer e Michael Signer. O primeiro faz parte da entourage do grande bruxo da KKK, David Duke (supostamente a serviço do FBI). Signer trabalhou para John Podesta e fez parte da Comissão de Transição do Departamento de Estado representando Obama.

Parece não haver dúvida de que os dois trabalham para alguma agência federal (CIA, FBI) e coordenando suas atividades com seus respectivos partidos ao mesmo tempo em que mantêm agendas secretas escondidas em outros idiomas. A “confrontação” foi preparada por eles para demonstrar que todos os apoiadores de Trump são supremacistas brancos, nazistas, antissemitas e misóginos! A intenção é incrementar os movimentos anti-Trump com a finalidade de derrubá-lo do poder.

Ora, Trump é um outsider, não pertence nem é controlado pelo establishment, o deep state bipartidário ([6]) ligado à elite mundial que controla a União Europeia, a ONU, os acordos do clima e tenta levar seus tentáculos à Europa do Leste, até o momento refratária às suas pressões.

Trump é o contrário de tudo isto e põe em risco a estratégia bem urdida desde o fim do governo Reagan. “Take the Country back”, “Make America great again”, “America first”, são slogans que contrariam em tudo a estratégia globalista.

Stalin, de sua tumba, comemora!


Notas:
[1] Sugiro a leitura do Capítulo VI do livro “O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial”, 2ª Edição, Observatório Latino, 2015

[2] Estas mudanças da história foram magistralmente descritas por George Orwell no livro “1984”.

[3] Dinesh D’Souza (http://midiasemmascara.org/artigos/destaques/o-grande-mentiroso-como-theodor-adorno-redefiniu-o-fascismo/) equivoca-se ao atribuir esta clivagem a Theodor Adorno. Este apenas deu forma filosófica e ideológica à genial criação de Stalin.

[4] Not Without Honor: the History of American Anticommunism, Yale Univ., Press, 1995

[5] Controlled Opposition Behind Charlottesville Rally: Deep state rally designed to paint all Trump supporters as “white nationalists”-  https://www.infowars.com/pieczenik-controlled-opposition-behind-charlottesville-rally/

[6] Note-se as ácidas críticas de McCain, os dois Bush, Mitt Romney e outros caciques republicanos.

 

Heitor de Paola (www.heitordepaola.com) é escritor e comentarista político, membro da International Psychoanalytical Association e Clinical Consultant, Boyer House Foundation, Berkeley, Califórnia, e membro do Board of Directors da Drug Watch International. Possui trabalhos publicados no Brasil e exterior. Ex-militante da organização comunista clandestina Ação Popular (AP), é autor do livro O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial e apresenta o programa ‘O Outro Lado da Notícia, na Rádio Vox.

 

 

  • Luiz F Moran

    O professor Olavo mais uma vez tem razãao: Trump está pagando caro por sua omissão em combater seus inimigos dentro da América, em especial, Obama e seus aliados.

    • Rafael

      Obama? O Terrorismo interno dentro dos EUA é tipicamente de viés direitista/conservador, ou seja, de gente que vota em Trump.

      • Daniel Robert

        Isso mesmo, o BLM são guerreiros sociais que lutam com os retrógrados da direita, viva Black Lives Matter.

        • Matheus Galdino

          são racistas também iguais aos neonazista. ele dizem em voz alta que quer supremacia negra. aonde isso é guerreiros socias?

          • Daniel Robert

            Sarcasmo porra!

          • Matheus Galdino

            que mané sarcasmo é só saber ler e ouvir!

        • Rafael

          Não escrevi isso.Uma coisa não exclui outra.

      • Luiz F Moran

        Rafael, você é digno de pena.

        • Rafael

          Ah não sou não, vejo a realidade, ao contrário do senhor que deve olhar embaixo da cama antes de dormir pra vê se não há um comunista embaixo dela.

          • Luiz F Moran

            eu inclusive já presenciei comunista comendo cérebro de criançinhas…mas não foi debaixo da minha cama não. hahaha, vc realmente é digno de pena.
            Adeus !

          • Sheila Prass

            Comunistas não estão embaixo da cama. Comunistas estão na cama conosco na cama e fora dela, pois estão infiltrados em nossos cérebros, todos os dias (na escola, na universidade, na mídia, na cultura, na religião, etc), quando somos doutrinados pelo “politicamente correto” a nos posicionarmos como manda o padrão socialista via ONU, todos bem obedientes feito robozinhos programados a “fazer o bem” e ai de quem desviar da conduta ideológica coercitiva: será punido por “crimes de ódio” segundo o cabresto moralista cagado pela elite globalista.

          • Rafael

            E eu achando que mulheres fossem mais realistas.

      • Vavá
      • Rafael foi um gênio da pintura renascentista italiana, já você é o gênio da idiotia esquerdopata… Você consegue coordenar um raciocínio essencialmente falho e torná-lo aparentemente acertado, mas para quem consegue raciocinar vê que é evidentemente absurdo…

    • Renato Lorenzoni Perim

      Meu Deus. Olha os comentários abaixo do seu. Quanta gente estúpida. Não sei o que fazem nesse site, se discordam de tudo o que lêem. Vão lá pro PHA, Brasil 247, Diário do C. do Mundo e coisas afins.

    • Matheus Galdino

      sim o obama foi o pior inimigo no mais alto escalão dos EUA, é impressionante o mau que ele causou aos estados unidos, coitados dos americanos que não estão acostumados com presidente que destrói e corrompe mentes.

      • Renato Lorenzoni Perim

        Vamos mandar a dilminha pra lá por uns seis meses. Eles vão ver o que é profissionalismo em destruir uma nação. Mas que o Bobama foi o pior presidente dos EUA em muitas décadas, isso foi.

        • Matheus Galdino

          vish, coitados eles não aguentaria ela discursando dois minutos! kkkk

  • marcosxbr martins

    Excelente artigo, muito esclarecedor !

    Um pergunta Dr. Heitor: Analogamente, poderíamos dizer que o Deep state Brasileiro seria composto de um Partido oculto– que age acima dos partidos de superfície–, proveniente do chamado Pacto de Princeston–, e que seus meios de ação principal no Brasil não são os movimentos sociais, e sim o total controle do funcionalismo público? Se possível, gostaria de um programa na RádioVox, explicando o que é o Deep state, e fazendo essa analogia (se possível) com o Brasil. Um forte Abraço

    • Rafael

      Certamente, e tenho certeza que todos os juízes brasileiros, alto escalão da receita federal, policia federal, se reunem toda sexta depois das 17 para combinar o controle do país.deve ser dificil coordenar 6, 5 milhões de servidores para esse fim, mas a elite globalista dá um jeito.

      É cada uma…

      • Matheus Galdino

        a elite globalista financiam esses movimentos de esquerda que tem vinculo com funcionalismo público diretamente intervem muito muito nas decisões públicas do pais e só lembrar o que aconteceu com o bobão do collor!

        • Rafael

          Claro amiguinho, agora apaga o post senão podem mandar um raio desdruidor diretamente para vc.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Eles ainda não tem poder suficiente para isso. Mesmo que tivessem eles prefeririam invadir a casa desse garoto de madrugada e levá-lo para alguma prisão secreta para interrogá-lo ou talvez até mesmo fuzilá-lo.

            Coisa que já acontece rotineiramente em qualquer ditadura no mundo inclusive a do seu ídolo Nícolas Maduro.

      • Daniel Robert

        Concordo, são todos honrados servidores públicos que servem ao povo e colocam o bem comum acima de seus interesses e de seus conchavos político, vide o grande Sr. Juiz Luis Carlos Valois.

      • Vavá
  • Rafael

    “Ora, Trump é um outsider, não pertence nem é controlado pelo establishment, o deep state bipartidário ([6]) ligado à elite mundial que controla a União Europeia, a ONU, os acordos do clima e tenta levar seus tentáculos à Europa do Leste, até o momento refratária às suas pressões.”

    Li algo assim uma vez, foi em uma revista em quadrinhos, há filmes de James Bond que também vão nesse sentido.

    • Daniel Robert

      Concordo, são todos grandes estadistas preocupados com o povo, e com o bem estar humano, e sem ligações com nenhum esquema de poder.

    • Raimundo Lulo

      e tens respaldo de alguma obra aonde o autor contraria os autores apontados no post?

      ou todo o respaldo que vc tem é que “todo mundo pensa outra coisa sobre isto”?

      se for esse o caso, acho que vc deveria se tornar um homem mais sério, a ignorancia sobre um assunto jamais pode ser usada como argumento

      • Rafael

        Não tenho não, sou fã de teorias da conspiração.

        Cá entre nós, qualquer livro de história sério mostra que isso ai não tem base na realidade.

        • Qualquer livro de história de viés marxista, nãoé Rafael, gênio do abortamento ocidental,mais conhecida como “idiotologia” esquerdopata sócio-comuno-marxista?

          • Rafael

            Qualquer livro que discorde de seu ponto de vista, que lhe mostre outra realidade vc vai sair com essa.

    • Vavá
  • Daniel Robert

    Estes acontecimentos em Charlottesville foram a melhor oportunidade para ele desmascarar seus inimigos, tinha que ter aproveitado a comoção nacional para ir atrás de seus inimigos, mas resolver dar uma de bom moço e se danou.

  • Thiago

    Don’t feed the trolls.
    Ignore posts de idiotas, não os respondam.

    Sobre o texto, excelente – não podia ser diferente vindo de Heitor de Paola, no meu entendimento um dos integrantes vivos da nata intelectual brasileira.

    Deus abençoe e parabéns por nos esclarecer.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      O livro dele “O Eixo do Mal Latino-Americano” é um item obrigatório na estante de qualquer um que queira entender o que está acontecendo.

      Sujeito que não leu esse livro não pode abrir a boca para dar pitaco.

    • João

      Eu já percebi isso, não vale a pena mesmo discutir. Depois da explicação do Professor Olavo sobre a situação americana atual e de como os movimentos “sociais” (AntiFa e BlackLivesMetter etc.) estão trabalhando para a sua própria destruição e a do ocidente, notei o quanto esse pessoal que dá palpite em facebook, twitter, a grande mídia, os supostos intelectuais brasileiros, e muitos americanos, estão alheios a realidade.

  • Robson La Luna Di Cola

    O texto acima daria um excelente filme de longa metragem. Ou uma série de TV. Quem conhece um pouco de história, (ou muito, como eu) sabe que os líderes não possuem controle sobre aquilo que vai acontecer nos próximos 15 minutos. Vejam o colapso de países, impérios, partidos políticos, grandes corporações. O amigo de hoje é o inimigo de amanhã. Depende das circunstâncias.

  • Marcos Menezes

    Grande artigo,muito esclarecedor.Essa aliança entre nazismo e comunismo tem que ser lembrada para que possamos entender o que se passa nessas manifestações de esquerda que temos visto nos EUA.Fica clara a intenção de manchar o nacionalismo e os apoiadores de Trump que tem colocado em risco o poder totalitário globalista.

  • Odilon Rocha

    Excelente artigo. Não há mais dúvidas sobre a armação do episódio em Charlottesville. Ainda que com vítimas. Idiotas úteis há de monte por aí se prestando para o ‘servicinho sujo’.
    Ora, um detalhe pode ser destacado do texto, onde o diz que o leste europeu parece refratário à agenda globaliza. Quem passou pelo que passou, na mão de regimes sanguinolentos autoritários comunistas, pela falta de liberdade e pobreza generalizada, sabe muito bem o que escolher.

  • Vavá

    Parabéns pelo artigo. Uma vez conhecidos os nomes dos líderes dos “movimentos”, a farsa cai por terra.

  • Robson La Luna Di Cola

    A Alemanha nazista, grande aliada da URSS, matou cerca de 25 milhões de soviéticos durante a Segunda Guerra. O exército soviético, a partir da Batalha de Estalinegrado, destroçou o exército invasor. Quando os aliados desembarcaram na Normandia, em 6/junho/44, o exército alemão jã estava destroçado. Isso explica o sucesso do desembarque apesar DO NÚMERO GIGANTESCO DE CAGADAS QUE FIZERAM…

    • Seu conhecimento da hoistória da Segunda Guerra Mundial,nãopassa d versão oficial apresentada pelos senhores da Nova Ordem Mundial,os únicos vencedores estratégicos,jáque a vitória moral e ideológica foi dos derrotados pelo esmagador poderio industrial americano e do sacrifício de 50 milhões de soviéticos( estatística ocultada para nãoevidenciar a incompetência dos governantes e do sistema comuniosta, isto é, reduziram pela metade suas perdas)… A Alemanha nunca foi aliada da URSS,este é outro mito distorcendo um pacto de conveniência entre inimigos, mais adequadamente chamada de ALIANÇA PROFANA, quando por circunstâncias adversas se torna necessário uma “aliança”, lógicamente de caráter precário e temporário, com um adversário e mesmo inimigo… E o mais lamentável é que ingênuos, para não dizer idiotas, acreditam nisso e acham prova, mais do que evidência, de que o Nazismo e o Facismo,duas ideologias semelhantes mas distintas, eram de esquerda,colocando-os na mesma privada do liberal-sócio-comunismo-marxista… Mas para eles eu deixo duas perguntas,queaté hoje não me responderam,tantoos idiotas de esquerda quanto os de direita:porquê França e Inglaterranão se mobilizaram e declatraram guerra à URSS, se o compromisso assumido com a Polônia, era ir em defesa da Polônia se atacada, e ofoi pela potência comunista quase simultaneamente? E comopode terem sido aliados,nosenso estrito do termo,se aAlemanha e a URSS,nunca combateram conjuntamente na Polônia,e a URSS terminou vitoriosamente aliada das nações capitalista ocidentais, que por coerência ideológica,anão ser superficialmente, jamais poderiam ser aliadas? Se foi aliança profana,isto é,de mera conveniência, entãoomesmo critério se aplica à outra…

  • chem1cal

    isso está realmente claro no Brasil , uma esquerda e direita que se confundem totalmente , têm a mesa ideologia de poder .. ótima leitura .

  • Rafael Nascimento

    Excelente artigo!
    Só acho que o Trump está dando muito bobeira, o deep state já lhe declarou guerra total. Se ele não partir para o confronto também, vai ser engolido, não há espaço para o dois.

  • Olivio Girelli

    Crazy… vergonha nacional.

  • Gustavo Silva

    A única pauta política realmente importante é a liberação total do porte de armas, o resto se resolve com diplomacia e ou bala.

  • Danilo Dalla Vecchia

    ”Democratas e republicanos são como dois times de futebol , aparentemente oponentes mas com o mesmo dono ” – Hazel Henderson .

  • Luiz Otavio Almeida

    Faço coro com o Thiago, mais abaixo. Não alimentem os trolls! Desde quando o MSM voltou repaginado, a esquerda entrou de sola por aqui fazendo a gente perder tempo respondendo os argumentos furados de sempre. Estamos perdendo o foco!

    • Rafael Nascimento

      a propósito, essa repaginação do MSM ficou top. Este site ainda vai dar muita dor de cabeça hahaha

  • Luiz Otavio Almeida

    Um que surfou na onda desse imbróglio de Charlottesville foi o Jorge Pontual do G1. O comentário do cara é asqueroso. Uma ode à desonestidade intelectual. Deu asco mesmo. Ele afirmou que “agora não tem mais como esconder que Trump é pró-nazi”. Antes eu pensava que ele simplesmente era um macaco de imitação da CNN, agora percebo que o cara é um militante nocivo de uma esquerda muito mais virulenta. As fontes dele devem ser de Michael Moore pra baixo.

    • Rafael

      Jorge Pontual militante de esquerda, meu Deus, que ponto chegamos não?

      • Skyline

        Depende do que você quer chamar os globalistas e a ONU. Mas é fato que a ONU é a que mais força as pautas de unificação cultural da humanidade, você não tem como negar isso, está documentado nas metas de desenvolvimento da UNESCO. É contra esses caras que o Olavo luta, e são esses caras que você vem defender aqui.

        • Rafael

          Não defendo ninguém,mas quem é a ONU hj? Qual a extensão do poder dela?Está totalmente enfraquecida.

          • Skyline

            Mas o projeto deles pra 2030 está de pé. São muitos, são banqueiros, políticos influentes, a rede globo e suas parcerias obscuras com a UNESCO. E já declararam que o presidência de Bolsonaro pode frustrar os objetivos deles. É um projeto de unificação internacional que tem várias metas pra forçar a legislação desejada deles neste prazo de tempo. Coisas como o fim do dinheiro físico pra ter um controle centralizado das transações bancárias, aborto livre e eugenia, monitoração do deslocamento dos cidadãos pelas vias públicas, tudo o que você puder pensar através dos meios informatizados que dê poder pra essa gente. Por que você acha que tudo que a globo faz hoje é falar sobre gênero, homossexuais e drogas? Mentalidade revolucionária? Não. Vem de cima.

      • Sheila Prass

        Se liga. Aprende que o globalista-mor George Soros e sua “fundação sem fim lucrativo” Open Society paga zilhões para jornalistas esquerdinhas já saídos das faculdades marxistas prontinhos (eu seu pq estudei e me formei em Comunicação Social e senti na pele como a doutrinação é feita) produzirem matérias “politicamente corretas” e desinformantes. Meu filho tbm estuda jornalismo e todos os dias acompanho as matérias que ele traz. E digo: nada mudou… depois de décadas a doutrinação comunista nas faculdades de comunicação ainda persistem e de modo ainda mais violento. Se vc não consegue ter um pingo de raciocínio próprio ao assistir por exemplo a vergonhosa tramoia entre FMI, a ONU e o “acordo de paz” com narcotraficantes das FARC, é pq vc é uma criatura muito facinha de manobrar, pois seu cérebro já foi abduzido a tal ponto que não lhe é mais possível distinguir o quanto os valores morais foram invertidos. Isso impede que vc visualize com clareza o quanto a elite financeira que comanda o show pirotécnico da desinformação já avançou. Quer um exemplo? Mal as FARC fecharam o “acordo de paz” vergonhoso, a União Europeia, o ninho de socialistas que faz o experimento da “derrubada de fronteiras” na Europa como laboratório para depois aplicar ao resto do planeta, disse de forma textual: “os ativos da guerrilha foram descongelados”. Ou seja: a lavagem de dinheiro bilionária das grandes transações de drogas no velho continente estava novamente liberada nos agentes financeiros (leia-se bancos). Resumindo: os “rentistas” que a esquerda ataca são os mesmos que a financiam.

        • Rafael

          As faculdades são montadas para manter o status quo, que nada tem comunista, esse papo de doutrinação marxista, e bla´ blá blá não funciona, ainda que houvesse, o que se vê é justamente o contrário, a imprensa em massa criminaliza movimentos sociais, sindicatos e líderes populares de esquerda, basta ver a cobertura da mídia da crise venezuelana,especialmente a da Globo, direto de NY e tu vem me dizer que há doutrinação? Bom, não está dando certo.

          É praxe bilionários financiarem fundações, ongs etc, te garanto que o interesse não é bem implantar o socialismo no mundo.

          • The Question

            Então acho que você deve estar acompanhando a mídia de outro país.A mídia em geral nesse país que eu vivo abraça a causa e sempre que pode põe o nome de líderes da esquerda lá em cima.

          • Rafael

            Como que mídia? Onde vc viu a mídia falando bem das ocupações do MST, dando destaque para os movimentos sociais, permitindo que lideranças de esquerda se manifestem?As cinco famílias que controlam a mídia nacional são claramente anti-esquerda.

          • The Question

            pelo contrário,elas seguem juntinho a agenda,nadam de acordo com a maré..como as minorias estão “emponderadas” eles dão ênfase à esse tipo de pauta.. é ridículo, o programa da fátima bernardes fala basicamente de : preconceito,e ideologia de gênero .

          • Rafael

            Bom, se assiste Fátima Bernardes vc tem um estômago de aço, parabéns,hehe.

            Mas veja, que são pautas de costumes, o que chamo de cenouras que a esquerda adora seguir, fala de racismo, mas nunca diz que o racismo e estrutural no país, falam de gays, mas são sempre aqueles que fazem papel de bobo da corte,ai fica a esquerda lá, discutindo e discutindo, e criando polêmica com o Bolsonaro e Malafaia, mas de fato, não enfrentam questões fundamentais para a manutenção do sistema capitalista,tudo muito superficial, o trabalhador quando faz greve, essa só é mostrada no sentido que atrapalha o trânsito, etc,mas vai algum imbecil discriminar a atriz negra se isso não é pauta a semana toda, a mídia dá sim espaço, para questões supérfulas.secundárias, e parte da esquerda, especialmente a universitária, acha o máximo, mas para o fundamental, negativo.

          • The Question

            Você é funcionário público ?

  • Iason Souto

    Muito bom o artigo…!! O mundo é governado a partir de Moscou

  • Deutsch Aktiv

    Que tal começarmos a fazer uma lista dos bons governantes que o mundo já teve? Aí então, talvez comecemos a acordar. Não acham um pouco estranho esta foto? https://uploads.disquscdn.com/images/be10ff672c244bd86e42d0ba484cac4784ec9d09bbe473ca4ebc4c4da21aa8bc.jpg

  • Deutsch Aktiv

    Franklin Delano Roosvelt que era um baita dum comunista, convenceu o povo americano a ir lutar contra as tiranias que assolavam a Europa, o Nazismo (Nacional Socialismo) de Hitler e a União dos Países Socialistas Soviéticos de Stalin. Então, o fato é o seguinte: Ao término da 2ª Guerra todos os países que supostamente deveriam ter sido libertados do nazismo de Hitler e do comunismo de Stalin, foram entregues de bandeja ao comunista Stalin. E logo em seguida começou a “guerra fria” entre os EUA e a UNIÃO SOCIALISTA SOVIÉTICA de Stalin, que dura até hoje.

  • Deutsch Aktiv

    O Poderoso Chefão Franklin Delano Roosvelt, Stalin e Churchill, ALIADOS(!). Logo após a 2ª Guerra, começa a “GUERRA FRIA” https://uploads.disquscdn.com/images/ccf6246619ab59347b171c7d5ead044a7880f13761e1c5cdb4f777252d84b934.jpg entre EUA de Roosevelt (Harry Truman) e a URSS de Stalin, meio estranho, não é não?

  • Deutsch Aktiv

    O Poderoso Chefão Franklin Delano Roosvelt, Stalin e Churchill, ALIADOS(!). Logo após a 2ª Guerra, começa a “GUERRA FRIA” entre EUA de Roosevelt (Harry Truman) e a URSS de Stalin, meio estranho, não é não? Conde Drácula e seus vampiros fiéis: Churchill & Stalin. Very strange indeed! https://uploads.disquscdn.com/images/8b1736e8514dd28d75bc94dcbd88275ce2c0314f24bccdd6071b95f25319665c.jpg

  • Deutsch Aktiv

    Vamo acordar minha gente!