1. Destaques
  2. Estados Unidos
  3. Europa
  4. Internacional

Donald Trump e a luta pela sobrevivência do Ocidente

6 de julho de 2017 - 18:40:58

Diante de uma multidão reunida ao redor do simbólico monumento do Levante de Varsóvia na Polônia, que presta tributo aos heróis que tentaram conter a invasão nazista em 1944, o Presidente Donald Trump fez, nesta quinta-feira (6), o discurso mais significativo da sua breve carreira política. Evitando meias-palavras, ele reconheceu que a Civilização Ocidental enfrenta um desafio existencial sem precedentes e convocou os poloneses, e os ocidentais de modo geral, a lutar contra as forças internas e externas que desejam destruir os nosso valores e os laços culturais, espirituais e tradicionais que nos ligam aos nossos antepassados.

Recorrendo abundantemente à experiência histórica do povo polonês, que foi flagelado pela mentalidade revolucionária como praticamente nenhum outro, o presidente americano disse que a sobrevivência do Ocidente não depende apenas do poderio militar e de outros recursos materiais, mas também da disposição de resistir a qualquer tipo de ataque e da força de espírito necessária para prevalecer no final. Ele lembrou que só os ocidentais podem lutar por si próprios e que, para isso, nós precisamos lidar com as questões essenciais do nosso tempo: Nossa civilização tem a disposição necessária para sobreviver? Amamos os nosso valores e confiamos neles a ponto de defendê-los a qualquer custo? Respeitamos a nossa auto-determinação a ponto de defender nossas fronteiras e nossa soberania? Temos a coragem requerida para preservar nossa civilização dos ataques empreendidos por aqueles que desejam subvertê-la e destruí-la?

Ele prosseguiu falando sobre a nossa história, sobre a nossa literatura, sobre a nossa música, sobre as conquistas políticas do passado e os avanço científicos e tecnológicos alcançados pela nossa civilização no presente, e não mostrou nenhuma dubiedade ao reafirmar o seu apoio à Polônia e às nações do Leste Europeu que se preocupam, de um lado, com os riscos representados pela Rússia e, de outro, com os perigos trazidos pelo globalismo ocidental.

Por fim, louvando a fé dos poloneses e lembrando o papel essencial que o Cristianismo tem para a Civilização Ocidental, Trump disse que gostaria de anunciar para o mundo que, assim como a Polônia jamais se deixou curvar, o Ocidente, no que depender dele, também jamais se curvará e que, no final, veremos nossos valores prevalecer, nossos povos prosperar e nossa civilização triunfar.

Como disse, este foi um dos mais significativos discursos feitos pelo presidente americano e sua importância vem justamente do fato de que as palavras dele poderiam ter sido resumidas nestas cinco palavrinhas: Make the West great again!


https://www.facebook.com/filipe.garcia.5621

 

 

  • Esse cara é foda, a cada dia fico mais fã dele. Estou lendo um livro dele chamado “Como ficar Rico” e é impressionante o tanto que ele é franco e engraçado quando escreve. É uma espécie de Olavo de Carvalho só que com menos cultura e muito mais dinheiro.Não é atoa que chegou onde chegou.

    Já a Polônia é talvez juntamente com a Hungria, um dos últimos redutos de resistência anti-globalista na Europa.

  • Jorge Dal Salve Moro

    Guerra insólita do cristianismo. Enquanto o Trump tenta levantar a moral do ocidente, lá em Roma está rolando uma festinha regada a droga e bundalelê no ap de um bispo.
    Assim fica dificil.