1. Brasil
  2. Destaques
  3. Governo do PT
  4. Notícias Faltantes

MST: A “não notícia” e o perigo real sob uma falsa retórica

18 de novembro de 2017 - 19:42:20

Por Marcos Whittaker.

 

Passado mais de um ano da realização do Jogos Olímpicos Rio 2016, faço um balanço do que vi e do que vejo hoje em dia, do tal celebrado “legado”. Abundam as reportagens sobre o abandono de instalações olímpicas, caos e corrupção na segurança pública do Rio de Janeiro, escândalos dentro e fora do comitê olímpico com a suspeita da compra de votos pelas cidades sede e as denúncias dos casos de doping da equipe russa desde os anos 60 (na época não apenas russa, mas soviética), manchando o espírito olímpico e colocando em cheque a integridade da instituição, seus membros e dos custos de produção do evento. Problemas que mais se parecem com um padrão infinito de geometria fractal ou com a Hidra de Lerna: corta-se uma cabeça, surgem duas novas em seu lugar. A mídia, principalmente a chamada mainstream, se farta e ordenha o quanto pode cada um dos tópicos acima. Minha indignação e estranhamento hoje em dia, como cidadão já anestesiado com tanta desgraça, vem não do que é noticiado, mas do que não o é.

Trabalhei durante o Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016, percorrendo o Brasil inteiro em uma caravana gigante com diferentes equipes dedicadas ao sucesso da missão de levar o fogo olímpico aos quatro cantos do país. Missão cumprida (e comprida!) e a tocha foi entregue sem nunca ter sido apagada, apesar das inúmeras tentativas em vários protestos ao longo da jornada. À noite, as equipes se encontravam durante o jantar, geralmente nos próprios hotéis onde estávamos hospedados. Era um momento de congraçamento e também de assistir os telejornais, arrancando gritos, gargalhadas e aplausos quando um de nós era flagrado nas matérias jornalísticas transmitidas para todo o Brasil e o mundo. Os meios de comunicação, dependendo de sua vertente política (declarada ou não), davam a ênfase que lhes convinham ao evento, muitos apoiando, outros detratando a passagem da tocha que indiscutivelmente despertava emoções variadas por onde percorreu.

Além das inúmeras amizades que se sedimentaram ou nasceram dentro das equipes que compunham o comboio (Patrocinadores, Cerimônias Cariocas, Polícias Militares Estaduais, Força Nacional, Polícia Rodoviária Federal, etc), ou das belezas naturais já alardeadas desde Pero Vaz de Caminha, algo que saltou aos olhos de vários companheiros de viagem foi a presença do MST – Movimento dos Sem-Terra – por todo o Brasil. Bandeiras vermelhas, algumas novas em folha, outras muitas vezes improvisadas com um pedaço de pau e camisetas velhas do MST, eram avistadas na beira da estrada. Gradualmente o número de bandeiras se intensificava, um sinal de que poucos quilômetros à frente havia algum acampamento.

O comboio passou por inúmeros acampamentos, todos praticamente vazios, invariavelmente com apenas dois ou três homens conversando entre si (nunca vi mulheres, crianças ou animais). Todos os acampamentos, pelo menos os que pude ver, têm uma disposição peculiar: não avançam mais que algo em torno de cinquenta metros adentro dos terrenos em que se encontram, sendo a aparente preferência deles construí-los ao longo de rodovias, margeando os dois lados da mesma por cinquenta, duzentos, trezentos metros, dependendo do tamanho do acampamento. Barracos, paupérrimos, muitas vezes feitos de lona e papelão, suscitavam comentários entristecidos em nossos veículos e nos rádios do comboio sobre as condições precárias em que era possível se viver, e sobre como isso é admissível em um país rico como o Brasil. Muitas vezes, a expressão no olhar de nossos companheiros de viagem e o silêncio dentro de nossos carros, micro-ônibus e caminhões era mais perturbador que qualquer comentário. O cenário era desolador, similar ou pior aos documentados em fotos e filmes da crise de 1929 ou da Segunda Guerra Mundial. O único fato que destoava da paisagem eram uma ou duas pick-ups razoavelmente novas (Hylux, Amarok e similares) frequentemente, mas não sempre, estacionadas em uma das extremidades dos acampamentos. Talvez de alguma forma as pick-ups fossem o ganha-pão deles. Ou como transportavam as pessoas, mesmo sendo uma infração no Código Nacional de Trânsito transportar pessoas em uma caçamba aberta, “quem liga para ‘pontos na carteira’ ou uma multa quando o que se está em jogo é a sobrevivência?” – ponderei.

Percorríamos quatro, cinco, seis cidades por dia em uma jornada que começava às 5 da manhã e se estendia por até dezoito horas. Muita adrenalina, mas muito cansaço. Ou melhor, muito cansaço, mas mais adrenalina ainda. Ao passar pelas primeiras cidades perto de acampamentos, muitas vezes indagávamos sobre os integrantes do MST. Afinal de contas, onde estavam aquelas pessoas sofridas que até então só conhecíamos pelo filtro da mídia? Mesmo na correria (literal) da tocha entrando e saindo das cidades, patrocinadores distribuindo brindes para a população que prestigiava o evento e nós de olho no GPS e no relógio, a curiosidade era grande e muitas vezes insistíamos para descobrir se estavam trabalhando em alguma fazenda que havia sido invadida. A resposta típica era uma risadinha, seguida de uma coçadinha na cabeça e desconversavam. Quando tive a sorte de encontrar alguém mais disposto a falar sobre o assunto rapidamente “aprendemos” que o termo certo não era “invadida” e sim “ocupada”. “É que falar ‘invadida’ pega mal, né?” – nas palavras do próprio homem. Revelou ainda, sem se aguentar e em meio a risadas, com uma inocência Mazzaropiana de um verdadeiro Jeca Tatu: “Ô, seus bobo [sic]! Aquilo lá é igual PROJAC, é tudo falso. Esse povo mora tudo [sic] no IBIS (cadeia de hotéis).” E continuou: “Dia de protesto, passa o ‘coordenador do protesto’ com alguns ônibus aqui, dá vinte ou trinta reais para cada um e a ordem é fechar a estrada até mandar parar [sic]”. Para quem não conhece a sigla, o PROJAC era o nome dado aos estúdios da Rede Globo de Televisão, onde são construídas cidades cenográficas. Não posso afirmar se o que foi dito é verdade ou não, mas posso afirmar que, a naturalidade daquele homem humilde descrevendo a situação era tão grande que a cara de duas gurias da equipe da tocha olímpica foi ao chão. Se aquilo era um teatro, sabe-se lá por que razão, o Jeca Tatu da vida real era tão convincente que colocaria Fernanda Montenegro ou Antônio Fagundes no chinelo na arte de representar.

A viagem continuou e as relações se estreitaram. Os homens e mulheres de uniforme das forças policiais tornaram-se amigos e revelaram-se bem mais humanos do que são retratados na maioria das coberturas jornalísticas. Durante as refeições, todas realizadas em grupo, ou reunidos para uma merecida cerveja após nosso extenuante expediente, ouvíamos suas aventuras, muitas perigosas, outras inusitadas e engraçadas. Ao passarmos por estados que fazem fronteira com os países vizinhos, o assunto envolvendo casos de tráfico de drogas e armas era recorrente. Além dos relatos policiais, a impressão que nossas fronteiras são mais furadas que um queijo suíço se confirmou na Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu, no Brasil, à Ciudad del Este, no Paraguai. Vários integrantes de nossa caravana olímpica se animaram a fazer compras e, dentre eletrônicos, perfumes e equipamento esportivo, alguns relatos de amigos me chamaram a atenção, quando mencionaram a facilidade em se adquirir armas de fogo, munição e acessórios bélicos. O que chocou os amigos, que creio eu não terem comprado nada do tipo, foi a ausência absoluta da exigência de documentação ou pré-requisitos para adquirir uma arma de fogo no país vizinho, bem como do trânsito livre sem a exigência de qualquer documento para deixar ou sair do país. A verdade é uma só: seria impossível, com base nos recursos e contingente observados na região e descritos pelos colegas de farda, revistar todos os veículos que atravessam a ponte. A pá de cal em qualquer ilusão de controle da entrada de armas no Brasil reside no fato dos próprios comerciantes do Paraguai oferecerem a “comodidade” de entregar armas, munições e acessórios no endereço do comprador, geralmente hotéis em Foz do Iguaçu. Dessa forma, o comprador não corre o risco, se é que há algum, de ser pego atravessando a fronteira e ser enquadrado como traficante internacional de armas de acordo com o Código Penal brasileiro.

Após tomar conhecimento do fato, averiguei junto a colegas das Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Federal se eles tinham conhecimento de tal situação. A resposta, além de afirmativa, foi mais longe. Relatos e intercâmbio entre as inteligências das polícias facilitados atualmente pelas redes sociais e aplicativos de mensagens como o whatsapp, indicam que caminhões com contrabando de madeira, motosserras, drogas, armas e munições entrando e saindo do Brasil são muito frequentes, e é impossível prever o volume do tráfico ilegal que tem sucesso com base no que é apreendido. Para cada caminhão apreendido com contrabando ilegal, quantos outros passam pelos postos de controle alfandegário ou da Polícia Rodoviária Federal sem serem sequer parados? 10? 100? 1000? Sabe-se, entretanto, que muitos caminhões com armas e drogas apreendidos tinham como destino acampamentos do MST. A aquisição e a posse de armas são, em termos práticos, proibidas no Brasil. Pode-se dizer, munido de malabarismo retórico, que não são “proibidas”, mas “proibitivas”. Ou seja, são acessíveis a quem é “amigo do Rei-Estado” que emite (ou não) as autorizações exigidas pela lei, e ainda deve-se ter recursos financeiros para pagar pela burocracia e pelo equipamento (arma e munição) em si, que por ser rara, é cara. A outra opção é a de quem se propõe a andar à margem da lei, seja tal indivíduo um bandido com óbvias intenções criminosas ou um pai de família, disposto a proteger sua família e propriedade, ainda que marginalizado pela lei.

O MST tem acampamentos estrategicamente posicionados como peças de xadrez por todo o Brasil, e por algumas vezes foi citado por lideranças políticas como sendo um “exército”. Qualquer site de buscas apontará matérias divulgadas na mídia com as palavras-chave “contrabando”, “armas” e “drogas” orbitando o MST. Contrabando é uma violação da lei. Drogas também, e convertem-se em dinheiro. Armas traduzem-se em poder. Uma tríade perigosa e nociva à sociedade.

Como diz o famoso adágio: Ter cérebro é obrigatório, usá-lo é opcional.

Convido-os à uma reflexão com base no que vi e no relato de amigos e do “povo de verdade”, não de pessoas fictícias que o marketing ou a mídia em geral, salvo raras exceções, colocam diante de vossos olhos. 2018 já bate à porta e a temperatura social e política tende a subir, e muito, com as eleições gerais. Meu legado olímpico foi o de retirar uma venda que me impedia de ver a realidade, ou ao menos um recorte dela, sem intermediários. Se tu, caro leitor, acompanhastes até aqui essa mera exposição de fatos que mais se parece um quadro surrealista de Dali com pitadas rodriguianas de um “Óbvio  Ululante” mais contemporâneo que nunca, pergunto: a chama olímpica se apagou ao término dos jogos, como é de praxe, mas pode-se ignorar que o MST – Movimento dos Sem-Terra, em tese, pode ter o contingente e o poderio bélico para “colocar fogo” em todo o Brasil?

O MST e principalmente seus dirigentes são a “não-notícia” que só ganha o noticiário quando já é tarde demais para alguns. Ruim será quando for tarde demais para todos.

Esperemos o melhor, mas preparemo-nos para o pior.

 

 

  • Weverson Rodrigues

    Excelente texto, obrigado.

  • willian ren

    Gostaria de ajudar o autor a enxergar a maldade que no texto parece ser fruto do acaso ou de uma organização muito perene, quem ensinou estes terroristas a se organizar desta maneira foi o foro de São Paulo, não abordou o link de diversas ações muito suspeitas de integrantes do governo Lula e Dilma, de várias leis e ações que sempre favoreceram esses tais de sem terra que não moram nos acampamentos, somente durante suas manifestações orquestradas ( sempre com advogados, políticos e mídia amestrada prontos a causar efeito multiplicador da ação política desses canalhas ), ainda temos varias questões muito estranhas

  • Jorge Dal Salve Moro

    O MST é o “cavalo de troia” anunciado!

    • a Savaget from Portugal

      São os vossos inimigos domésticos… aqui em Portugal são mais “chiques”: concentram-se na grande média (de Bilderberg) a fingir que são jornalistas e opinadores idóneos.

      • Phillip Garrard

        Caro amigo, saiba que isso nao e exclusivo de Portugal, mas sim mundial. Aqui nos USA e o mesmo. Basta ver os noticiosos de ABC, MSN, CNN e demais emissoras e midia Americana como trata D. Trump!

        • a Savaget from Portugal

          Sei perfeitamente, ouço o programa de rádio “The Savage Nation” diáriamente .

      • Rodrigo Taira

        O sucesso da coisa consiste em ter diversos “grupos de trabalho”, cada um agindo em uma atividade diferente, muitas vezes desconexas entre si, atuando sempre em uma mesma direção, mas por meios diferentes e, principalmente, nem sempre, ou quase nunca, esses diferentes “grupos de trabalho” tem a exata consciência (não sei se é a palavra boa para descrever isso…) de estarem servindo, todos, a um mesmo propósito: o “governo grande” (concentração de poder do Estado/Partido) e a “revolução”.
        .
        Veja o caso do jornalismo mesmo da rede Globo no caso do Brasil. A rede globo é estatista por excelência, esquerdista (“progressista”) mais que ninguém… e é acusada pelos MSTistas e PTistas (e afins) de “golpistas” ou “burgueses”… quando NA VERDADE estão todos trabalhando para o socialismo (governo grande e intervencionista).

  • Luiz F Moran

    Esses vermelhos surgiram em 1984 logo após a saída dos militares e o ingresso da esquerda revolucionária no poder.
    A partir de FHC esses vermelhos passaram a receber verba pública em abundância sob o falso pretexto da reforma agrária (seja lá o que isso queira dizer).
    Desde então cresceu sem parar, mas agora como braço paramilitar dessa mesma esquerda que está sem a máscara do “socialismo”, desnudada não pela mídia vagabunda do Brasil, mas sim por ela mesma, como sendo uma esquerda anti-patriótica, globalista, revolucionária, autoritária, intolerante, ou seja, déspota no mais alto grau.

  • JBS

    O MST é o cancer se alastrando sorrateiramente pelo Brasil afora.
    O mesmo já aconteceu em diversos países da AL.
    O Sendero Luminoso um dos mais parecidos…começam “defendendo” os camponeses e acabam sequestrando, traficando, matando…”em nome da justiça social”.
    Isso é velho mas ainda funciona.
    E está funcionando muito bem aqui em Pindorama.
    A grande mídia corrompida de dentro prá fora nem se dá conta do trabalho sujo que faz, assim como o professorzinho comunistinha e seus alunos de cabeça feita desde tenra idade.
    Sua “educação” vem do jornal da oito, do BBB, do Faustão. Sua meta, ser a celebridade que nada mais é do que o imbecil aparecendo na telinha.
    Seu sonho de mulher fruta e funkeira do Youtube.
    Jamais lerá um livro mas terá muitas opiniões.
    Não saberá ler, nem escrever.
    Conjugação de verbos?
    Ah, isso não existe!
    O nível baixíssimo de escolaridade ajuda ainda mais a perversão dessa massa hipnotizada.
    Se escrevem milhões de textos, desconectados e sobre todo tipo de assunto…defesa da Amazônia, liberdade de expressão, casamento gay, discriminações mil e o povo se sente “participando”.
    Perfeito cenário onde a proposta globaliza se alastra e vivemos num mundo de mentira caminhando celeremente para o abismo do mundo totalitário.
    Aqui mesmo no texto se percebe que o autor não sabe conjugar, muito menos concordar sujeito com predicado.
    Ele escreve: “Se tu, caro leitor, acompanhastes”.
    Está errado, Marcos Whittaker!
    O correto é “Se tu, caro leitor, ACOMPANHASTE!”
    Acompanhastes é a segundo do plural…Vós acompanhastes!
    Que coisa difícil conjugar verbos, né?
    No entanto, é obrigação de quem escreve saber o mínimo do básico, ou escorre no erro de difundir a deterioração dia sua própria língua, outro desejo do movimento Globalista!
    Por que o Paulo Freire tem tanta “aceitação” e difusão, apesar de sabidamente prejudicar imensamente a capacidade de raciocinar da população que sofreu seu “método de ensino”?

    • Newton (ArkAngel)

      Quando o dedo aponta para a Lua, o tolo olha para o dedo.

      • JBS

        Muito boa analogia!

    • Rafael

      Paulo Freire é respeitado no mundo todo.

      • tabajara_music

        Todos vemos as conseqüências da educação a la Paulo Freire aqui mesmo no Brasil. Não, muito obrigado.

        • Rafael

          Não sou do ramo, mas a educação brasileira está mais para Vigostky e Piaget do que Paulo Freiro.

          • JBS

            Piaget é outro desastre!
            Já foi retirado do setor “Educação” na França, apesar de ser Suíço!
            O Construtivismo é um fracasso mas é ainda adotado em Pindorama.
            Depois do Paulo Freire ser adotado no Brasil tivemos uma pesquisa entre 32 países. O Brasil do Paulo e sua educação ficou me último lugar atrás de Sierra Leone!
            Quanto ao Paulo Fracasso Freire, fica com o PT e seu sucesso na educação!
            Quanto aos número de livros citando o PF é só leres quantos livros tem da besta quadrada do Marx…número de livros não quer dizer nada.
            Conteúdo e resultados da prática, sim.
            Mas pelo visto és um Petista, então não tem solução.
            Esquece e vai colaborar com o MST.

          • Rafael

            Chamar um pensador do porte de Marx de besta quadrada é dose, quer concorde ou não, o sujeito tem uma obra consistente, profunda, ou o senhor não conhece nada dele, ou conhece profundamente a ponto de elaborar uma crítica. O senhor reduz o mundo em petista x não-petista.Triste.

          • Candangus2

            Obras medíocres com teorias furadas, erros históricos e falsificações de dados. Ler Marx e Engels é como ler ficção de baixa qualidade.

          • Rafael

            Deves se rum profundo conhecedor, com toda certeza leu todas, sem contar com Trostky Lenin e Gramsci.

            Patético.

          • Stig Larson

            Patética é a tua imensa estupidez.

          • Candangus2

            Não presuma que outras pessoas são tão ignorantes quanto você.

          • Newton (ArkAngel)

            Sim, Marx é um pensador. Mas é um típico caso de inteligência desviada por algum tipo de transtorno mental que o fazia ter uma visão distorcida da realidade. Se não foi esse o caso, então era um pilantra mesmo.

          • Rafael

            Distorcida? Falou o seguidor do astrólogo que tem dúvida se a terra é ou não plana.

          • Newton (ArkAngel)

            Hehehe, todo mundo fala mal do Olavo, diz que ele é desonesto, safado, etc., mas ninguém encara ele para um debate. Pergunta pro Aleksandr Dugin.

          • Rafael

            Porque ninguém o leva a sério.

          • Newton (ArkAngel)

            Mentira! Na verdade, ninguém tem é colhão pra encarar um debate com ele. Se Olavo é assim como seus detratores o dizem, o que estão esperando para desmascará-lo?

          • Rafael

            Mentira nada, ele é uma figura folclórica, com ótima retórica, mas apenas isso.

        • Gustavo Costa de Oliveira

          vc é um desmiolado vazio de merda, sendo ignorante e se sentindo perdido, recorre a essa postura fetichista aonde o que defende uma ideia é ela ser abraçada pela maioria, ou mais patético ainda, pelo seu autor ter “porte”

          envergonhe-se

        • Gustavo Costa de Oliveira

          é pra avaliar as ideias de um autor e não o tamanho da sua piroca

        • tabajara_music

          Conhecimento utilizado para prática da vigarice intelectual, de nada vale.

      • JBS

        Rafael, se admiras o Paulo Freire deves ser um PeTista. Aí podes admirar o Frei Beto, o Lularápio, o Zé Dirceu et Caterva…
        Se não és PeTista então deves estar muito mal informado.
        Se desejas conhecer um mínimo dessa besta assista aos vídeos do Olavo de Carvalho nos links abaixo:
        https://www.youtube.com/watch?v=-Mlc68kAuA8
        https://www.youtube.com/watch?v=bI8fNmYE9FQ

        E se achas que “Pedagogia” é profissão então vai te educar meu caro!

        • Rafael

          Quem é Olavo perto de Paulo Freire, OC tem seus livros indicados nas melhores universidades do mundo?29 títulos de doutor honoris causa pelo planeta? Desculpa, até acho OC inteligente, mas sobre educação prefiro ler e entender um pensador realmente respeitado no ramo.

          • Gustavo Costa de Oliveira

            título honoris causa é merda nenhuma.. mas mesmo que tivesse MIL.. e daí? não tens vergonha de ficar tratando esse assunto de forma fetichista e ignorante?

          • Rafael

            Ah não? Bom, se o OC tivesse algum agora teriamos um parâmtro para comparar

          • Newton (ArkAngel)

            Bem, Albert Einstein foi reprovado no vestibular…

      • Gustavo Costa de Oliveira

        mesmo que fosse.. e dai?

        qualquer ideia, de inicio é defendida por um, vai se espalhando em círculos concêntricos até se tornar dominante..

        se o critério máximo fosse a opinião dominante, nós não andaríamos nada

        • Rafael

          Claro, justamente por isso, por ser uma obra consistente ela resiste aos debates acadêmicos, das melhores universidades do planeta.

      • Newton (ArkAngel)

        Pois é…a Anitta também é admirada no Brasil inteiro.

        • Rafael

          Sua comparação é exsdrúxula.

          • Newton (ArkAngel)

            Negativo. Esdrúxulo é o seu apelo à autoridade. E também o seu espírito de pensamento grupal: “É respeitado no mundo todo”. Se PF fosse um desconhecido, então suas idéias não valeriam nada?

          • Rafael

            Fiz uma comparação com o Olavo de Carvalho, um anão perto do Paulo Freire.

          • JBS

            Anão é o teu conhecimento e a tua inteligência!

          • Newton (ArkAngel)

            É um anão com uma jeba maior, hahahaha!
            Falando sério, o fato de alguém ser bom naquilo que se propõe a fazer significa somente isso: que a pessoa é boa no que faz. Na Alemanha Nazista houveram excelentes marqueteiros, cientistas e especialistas em logística.

          • Rafael

            Já viu a jeba do Olavo?hahaha

          • Newton (ArkAngel)

            Vejo quase todos os dias…entrando no rabo de algum esquerdista.

          • JBS

            Típico “letrado” pelo sistema Paulo Freire!
            Não sabe escrever!
            O Correto é ESDRÚXULA, seu mentecapto!

      • Newton (ArkAngel)

        Anitta também é admirada no Brasil inteiro. Maomé também tem milhões de admiradores.

  • Rafael

    Isso é amtifo,há anos dizem que o mst wsta “estrategicamente “posicionado,que teria armas,formaria uma guerrilha,etc,etc,etc.A realidade já colocou por terra essas farças,e se há violência no campo em regra não é mst responsável.Em tempo,reforma agrária foi assunto resolvido em todos os países ricos,mas aqui é tratada como conspiração comunista.

    • Aristeu Goodman

      De fato: se depois de 8 anos de governo de FHC e de 13 anos de governo do PT ainda não resolveram esse assunto, é porque jamais se preocuparam com ele. Dito de outro modo, ninguém quer “assentar camponeses” e torná-los produtivos; isso daria poder (poder real, poder de produzir riqueza) aos camponeses, mas não daria poder aos líderes de partido… O que estes querem é manter um exército de miseráveis sempre circulando e sempre de prontidão. A esquerda é, literalmente, uma “farça” (sic).

      • Rafael

        De fato, há esse viés. Mas os governos que citou são governos burgueses, longe de serem socialistas.

        • Aristeu Goodman

          Jogo de palavras.

          O fato é que, se os socialistas REALMENTE assentarem os camponeses (coisa que várias democracias fizeram depois da segunda guerra), não terão mais um “exército revolucionário de reserva” no campo. Se trouxerem prosperidade REAL aos trabalhadores, não terão mais massa de manobra nas cidades. Se levarem educação de qualidade ao povo, mais gente será capaz de pensar e de conduzir sua própria vida (e, portanto, de questionar a doutrina socialista.)

          O socialismo é uma farsa porque depende da miséria que denuncia.

        • Stig Larson

          Viés, um caralho!
          Eumoro aqui no Pará e esse movimento que copia a mesma trajetória do Sendero Luminoso vai fazer a mesma coisa no Brasil.
          Começa “defendendo os pobres camponeses”e termina assassinando, traficando armas e cocaína em “nome da justiça social”.
          Tu deves ser um Fake news pago para divulgar merda, só pode ser.

    • Newton (ArkAngel)
    • Rodrigo Taira

      Fazer caridade com chapéu alheio? Se o MST quer terra, por que não invade terras públicas, terra da união? Tem um monte de “terra da ONU” que a união demarca como “área de conservação” (Um verdadeiro desperdício). Invada-se essas áreas…
      .
      A questão não é reforma agrária, a questão é a propriedade privada. Reforma agrária é mero mote para atacar a ideia mesma de propriedade privada. A questão não é reforma, é a “REVOLUÇÃO”, o poder. É sempre assim….

      • Rafael

        Propriedade privada não é sagrada, e a própria constituição determina que a mesma deve obedecer a uma função social, como somos um país imbecil de esquerda direita, frente e costas, esse tema não ganha a seriedade que merece, sendo o MST o único a tratar o assunto de forma mais abrangente.

        • Newton (ArkAngel)

          Engraçado…então o estado deveria dar o exemplo, cedendo suas inúmeras propriedades para o povo construir suas casas. Isso seria uma “função social”, não é mesmo? Afinal, tudo não pertence ao povo, segundo o estado hipócrita?
          Propriedade privada é sagrada sim senhor, o que você acharia se invadissem sua casa, construída após anos e anos de esforço e trabalho honesto, alegando “função social”? MST é igual gente que entra de bico em churrascada, só aparece quando a carne já está assada e a cerveja gelada.

          • Rafael

            Impressionante.

  • Adriano Ribeiro

    Texto bom, articulado mas….

    Quando comecei a ler achei que o Autor iria comentar ou Noticiar, sobre os gastos desnecessários com a apresentação da tocha Olímpica, pois participou da Encenação bancada com dinheiro Publico, mas como o mesmo disse “Minha indignação e estranhamento hoje em dia, como cidadão já anestesiado com tanta desgraça, vem não do que é noticiado, mas do que não o é.”

    Pois é ele não Noticiou, fez parte… O restante do texto parece uma constatação de quem não conseguia ver a Verdade ou estava em uma Bolha… Mas para sair da Bolha fez uso de dinheiro de impostos viajando e fazendo amizades…
    Para Ler nas entrelinhas das “Noticias” Utilizem o Recurso Midrash, pois nem tudo é o que parece e quem se julga contra as vezes faz parte e nem percebe!

    OBS: O propósito da Midrash era resolver problemas na interpretação de passagens difíceis do texto da Bíblia Hebraica, usando princípios rabínicos de hermenêutica e filologia para alinhá-los com os valores religiosos e éticos dos professores religiosos.

    O recurso também pode ser utilizado para contrapor ou ver com olhos limpos toda a torpeza da Mídia e seus filiados.

  • Gustavo Costa de Oliveira

    já fez as contas de quanto dinheiro vai ter que devolver desse mochilão pelo Brasil?

    eu não queria pagar absolutamente nada pra vc ter esse “legado”, teria que fazer isso de graça

  • Leonardo Afonso

    As minhas suspeitas são grandes do perigo destes “movimentos sociais” aliados ao crime organizado tornarem-se uma FARC brasileira e transformarem o Brasil numa Venezuela. Quero acreditar nas Forças Armadas junto com as forças policiais para nos proteger deste perigo vermelho. Afinal, nós cidadão honestos, pais de família, não conseguimos a posse de arma de fogo para nós defender. Com muita dificuldade podemos conseguir o porte, porém a posse só em casos raros. Com este cenário, a esperança é nas Forças Armadas e Policiais, torcendo para estas estejam do lado do cidadão de bem

    • Rafael

      Sério isso? O Brasil já é um narco estado, o crime já domina a politica e a economia,veja a última fala de repercussão do Ministro Da Justiça, o Brasil está mais para o México que a Venezuela.

      • Leonardo Afonso

        Com quase 70 mil homicídios por ano, uma bomba de Hirochima por ano em mortes, ser parecido com o México ou com a Venezuela é péssimo de qualquer forma. Se houver retorno de algum governo de esquerda, a revolução cultural de Gramsci, o Socialismo Fabiano irá adiante conforme o Foro de São Paulo planeja. O Brasil se transformará de México para Venezuela. O pensamento de grande parte dos funcionários públicos, Stf, artistas globais já se enquadra em Gramsci, no Socialismo Fabiano e a influência destes sobre o restante da população é grande. Eles querem que todos se tornem socialistas sem perceber, é a revolução cultural

        • Rafael

          A esquerda é um fox paulistinha, essa conversa de revolução cultural não passa de teoria da conspiração, não tem base alguma na realidade. Não há chance do Brasil chegar a ser uma nação nos moldes socialistas, sobretudo com a esquerda apagada, fraca, e em última instância covarde que possui.

          • Leonardo Afonso

            Socialismo de Marx nem a China quer. Socialismo de Estado com uma cleptocracia tomando conta do governo, alocando seus apaniguados em estatais (cabide de emprego pros companheiros), os campeões nacionais com recursos públicos do Bndes, pagando propina para mais de 1.800 políticos votarem tudo a favor da JBS, isto é Capitalismo de Estado totalitário, corrupto, com táticas de infiltração, domínio socialistas. Manter um monopólio estatal do Petróleo e quando dá prejuízo, se capitalizar com dinheiro do Tesouro Nacional, que é dinheiro público, isso não é não algum tipo de socialismo? Eu como contribuinte não quero pagar por prejuízo da Petrobras, da Eletrobras ou mandar dinheiro pro Bndes emprestar pra JBS, pra Odebrecht.

          • Rafael

            Olha pelo outro ângulo, é a elite empresarial que domina o estado e não o contrário.

          • Leonardo Afonso

            Concordo em parte. Os donos dos meios de produção detém capital, máquinas, imóveis, etc e o Estado detém o poder da lei, as prerrogativas do desenvolvimento do país, o orçamento público, etc. Eu concordo que os empresários corruptos quando encontram políticos corruptos, aí sim são donos do Estado, como os irmãos da JBS, a família Odebrecht, Eike Batista e o grupo X, ou seja, grande parte dos campeões nacionais que a Dilma e o Guido Mantega gostavam de falar. Mas para o empresário honesto que segue a lei, que não é corrupto, este não tem poder nenhum sobre o Estado. Mesmo aqueles que financiam legalmente campanhas políticas, imaginando a maioria das licitações dentro da lei, então não há garantia nenhuma de que financiar campanha política é garantia de ganhar licitações públicas. Agora se o governante eleito for corrupto e favorecer ilegalmente o seu financiador de campanha, aí sim o empresário corrupto detém poder sobre o Estado também corrupto.

          • Rafael

            Mesmo os honestos dominam o poder, o dinheiro manda e ponto.

          • Leonardo Afonso

            Graças ao capitalismo, ao livre mercado, à democracia, ao Estado de Direito, ao respeito a propriedade privada houve redução da extrema pobreza como nunca antes na história da humanidade. Não foi o Feudalismo, não foram as Monarquias, não foi o Socialismo, foi o Capitalismo que mudou o mundo para melhor nos últimos 200 anos. Capitalismo não é perfeito, mas nenhum outro sistema político, sistema econômico trouxe tantas melhorias de vida quanto o Capitalismo.

            Fontes: http://www.gazetadopovo.com.br/ideias/numero-de-pessoas-vivendo-em-extrema-pobreza-e-o-menor-em-200-anos-7m6ete05okkhaszufgz4bdnfu

            https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/10/02/pobreza-extrema-no-mundo-continua-diminuindo-segundo-bm.htm

            http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/03/mundo-reduz-extrema-pobreza-pela-metade-desde-1990-aponta-onu.html

          • Rafael

            As ideias do capitalismo são lindas, mas onde vc vê livre mercado em condições de competição idêntica entre os concorrentes? Onde vc vê democracia plena? Estado de Direito nem vou falar, são boas ideias usadas para cometer atrocidades. O fato é que o capitalismo trouxe tudo isso, mas trouxe junto miséria, fome, e destruição ambiental.

          • Leonardo Afonso

            Vou repetir o Capitalismo é o que de melhor existiu em termos de econômicos e políticos para o mundo. Socialismo, Feudalismo, Monarquias Absolutistas, Ditaduras, todos estes sistemas políticos e econômicos são mais miseráveis, mais violentos, mais assassinos e portanto piores do que o Capitalismo. Até ser inventando outro sistema, o Capitalismo é o melhor. Não é minha opinião, é a história, são os números

          • Leonardo Afonso

            Lembrei que num outro post você tinha dito que é de centro-esquerda, pois bem, você se identificaria com o Psdb, Pdt, Pmdb, Rede? Doria, Alckimin, Marina, Ciro Gomes? Só pra lembrar que qualquer um destes propõe mais gastos públicos. Mais educação, mais saúde, mais segurança, etc, etc. E pra tudo isto precisa de mais dinheiro. O governo só consegue mais dinheiro aumentando a carga tributária (atualmente 33% do Pib, está na média mundial, não é 50% como a Dinamarca e nem 26% como nos Eua), tomando empréstimos (FMI, Banco Mundial, Tesouro Direto) ou emitindo papel moeda (consequência inflação). Outro detalhe é que centro-esquerda não é contrário ao empresário, ao lucro, então dizer que o dinheiro manda não condiz com a realidade, porque se assim fosse ninguém se candidataria a cargos públicos. Doria continuaria empresário, Alckmin seria médico, Ciro Gomes advogado ou professor universitário, todos acreditando que o dinheiro manda e não precisariam do governo para mudar os rumos do país.

          • Rafael

            O dinheiro manda sim, veja as reformas do atual governo e verifique se a força do dinheiro não está presente nelas.

          • Leonardo Afonso

            Eu imaginei que você fosse começar a falar de luta de classes. Burgueses versus proletários. Se você já viajou aos Eua, aos países da Europa Ocidental, Coreia do Sul, Japão, Austrália, ou seja, nos países desenvolvidos, você já percebeu que aquelas pessoas que conseguem poupar um pouco da sua renda (classe rica, classe média e pequena parte da classe pobre), menos a classe muito pobre e miserável, infelizmente falta tudo para estas últimas, mas a maioria destas populações aplicam suas economias, suas poupanças em ações de empresas. Lá não tem taxa Selic de 7,5% aa, os juros básicos são de 1% aa ou até negativos como no Japão. De modo que o trabalhador, o autônomo, o metalúrgico, o padeiro, o eletricista, o engenheiro, a médica, a dentista, a classe média é sócia dos capitalistas. Eles aplicam suas economias no Google, Microsoft, Apple, At&T, Shell, Volkswagen, Land Rover, etc. Não há conflitos burguês versus proletariado. Porque o proletariado também é dono dos meios de produção. Este pensamento marxista de luta de classes (ricos vs pobres, eles vs nós) persiste em Cuba, na Coreia do Norte, na China comunista fora das Zonas Econômicas Capitalistas como Hong Kong, Xangai, no Leste Europeu, na Rússia e no Brasil.

          • Rafael

            Mas veja que a desigualdade social é baixa nos países desenvolvidos, portanto é possível o sujeito exercer uma profissão mais braçal e ainda poupar, nos somos desiguais, o salário pagos no Brasil são baixos, sobrevivemos apenas, quase escravos. Então devido à distância entre quem ganha mais e ganha menos é possível falar em classes distintas, lembrando que não é apenas o critério economico que define as classes.

          • Leonardo Afonso

            Sim, concordo que as condições brasileiras são terríveis para os pobres. Mas entre tantas faltas, também falta educação financeira. Veja o seguinte cálculo a partir de uma renda mensal de R$ 1.000,00 (próximo do salário mínimo) para facilitar a conta. Com mil reais o pai de família tem dificuldade com tudo em sua casa, falta comida, falta saúde, falta vestuário, falta quase tudo para sua família. Imaginemos que ele receba o bolsa família, aumente um pouco a renda familiar, vai criando os seus filhos, estes crescem, estudam em escolas públicas, conseguem um curso técnico público ou talvez entram numa universidade pública ou consigam o fies. Imaginemos que numa família com 4 pessoas (pai, mãe, 2 filhos). Imagine que todos trabalhem e tenha renda individual de R$ 1.000,00, totalizando uma renda familiar de R$ 4.000,00 mensais. É pouco, é horrível, mas pelo menos não vão morrer de fome. Agora se está família retirasse apenas R$ 400,00 mensais destes R$ 4.000,00 (10% da renda mensal) e poupasse e guardasse, economizasse. Aplicando apenas R$ 400,00 mensais em títulos públicos (Tesouro Direto) que seguem a Taxa Selic atual de 7,5% aa, em 65 anos esta família seria milionária. Ah mas é muito tempo, muitos já morreram, não vão aproveitar nada, vão deixar dinheiro pros netos, etc. Imagine um cenário ruim, onde a contribuição mensal continue nestes R$ 400,00, um pode perder o emprego, mas de repente outro consegue um aumento salarial, outro passa num concurso público e começa a ganhar mais, a renda familiar aumenta, mas mantém a poupança mensal de R$ 400,00. Em suma, num cenário pessimista, mantendo uma poupança familiar mensal de R$ 400,00, em 43 anos, esta família é milionária com apenas R$ 400,00 mensais. Se fosse apenas um indivíduo, uma única pessoa, com R$ 100,00 por mês durante 65 anos, está pessoa se torna milionária. O brasileiro tem que parar de usar cartão de crédito, tem que parar de comprar carro financiado, tem que parar de financiar compra de imóvel (minha casa minha vida) porque isso é dívida, não é ativo, é passivo. Tem que parar de esperar ajuda do governo e fazer suas próprias decisões. Educação financeira tinha que ser obrigatório nas escolas

          • Renato Lorenzoni Perim

            Ora qualquer um que sabe somar 1+1 vê que seu discurso não se sustenta. Quem tem a chave do cofre são os políticos que se tornaram donos do governo. Só eles têm o poder de frear a corrupção. Eles praticam a corrupção ativa, e os empresários a passiva. Incrível como alguém pode não enxergar isso.

          • Newton (ArkAngel)

            Essa história de que o socialismo morreu não cola mais, está igual a história do cara que dá uma de morto pra enrabar o coveiro. Não venha com essa de desviar a atenção.
            O seu texto é a mais contundente prova disso.

          • Rafael

            Onde o socialismo vive e tem poder? Em três países no mundo e na sede do PCO. Não delira.

          • Newton (ArkAngel)

            Onde o socialismo vive? Ora, basta abrir a porta de sua casa. Só não há mais estado porque ainda não houve tempo para isso.

  • fbl

    E ainda duvidam do câncer chamado PT.

  • Zamir Anjos

    Há muito tempo já havia percebido estes acampamentos de beira de estrada principalmente no centro oeste aonde moro. No estado de Goiás, indo para Brasilia eles estão lá, indo para Caldas novas também. Estão sempre sendo cuidados por 2 ou 3 pessoas, e quando estão são carros novos inacessivel a qualquer pobre miserável, mas os barracos demontram a miséria.
    Porque os donos de terra não desocupam estes lugares? É mais comodo viver com este cenário do que realmente acabar, pois vão comprar ódio a preço de que?