1. Brasil
  2. Cultura
  3. Destaques
  4. Governo do PT
  5. Media Watch

“Polícia Federal” – o filme da década

17 de janeiro de 2018 - 20:27:26

Ia escrever sobre a nova revolução cultural da China, nação escravocrata transformada em poderosa máquina de guerra cujo principal objetivo (já denunciado por inúmeros analistas militares) é avançar sobre o mundo livre e estabelecer a hegemonia comunista em escala planetária. Como se sabe, a China do ditador Xi Jinping – que está comprando o Brasil a preço de banana – virou potência econômica vendendo produtos ordinários mal copiados da indústria dos EUA para investir pesado em ogivas nucleares e estoques de bombas atômicas em quantidades inimagináveis por russos ou norte-americanos desde os tempos da Guerra Fria (que, de resto, nunca terminou).

Em âmbito interno, mas com repercussão mundial, foi anunciado que a ditadura de Xi, reeditando as coordenadas da sangrenta revolução cultural do pedófilo Mao Tsé-tung, vai reunir escritores, artistas e intelectuais num retiro dos cafundós de Hangzhou a fim de que assimilem os meandros do “novo pensamento socialista com características chinesas” – uma deliberação do 19° Congresso do PCC que enquadra a cultura e as artes nos cânones adotados pela nefasta ortodoxia marxista-leninista. Para tanto, mais de cem cineastas, atores e cantores pop foram reunidos num “colégio doutrinário” para que “não cometam desvios” e aprendam a “exaltar nosso partido, nosso país, nosso povo e nossos heróis”. A catequese, ou lavagem cerebral, como queiram, está sendo administrada por teóricos do PCC especializados em formular estratégias para o acirramento de “luta de classes”.

Dito o que, passemos à “Polícia Federal – A lei é para todos”, um filme decente, imprevisível no atual panorama do cinema brasileiro (totalmente dominado por militantes políticos às esquerdas há, pelo menos, quatro décadas). Negócio sério. (Por essas bandas, creio, seria jogar dinheiro fora, como faz hoje o PC chinês, reunir nos cafundós do Judas gente de cinema para fazer qualquer tipo de lavagem cerebral. Por razão elementar: no capítulo “seguir os ditames do marxismo-leninismo” a rapaziada cabocla tem a cabeça feita – por vocação ou malandragem – desde a mais tenra infância).

Confesso que, por preconceito, só agora vi “Polícia Federal – A lei é para todos”. Sabe como é: cinema político brasileiro filtrado na grana pública pode ser uma furada. Depois, por acaso, vi O Globo ilustrar a avaliação crítica do filme com o Bonequinho dormindo. “Bem” – pensei comigo – “se a mídia global (amestrada) se manifesta contra é porque temos, no mínimo, um filme decente”. E não deu outra.

“Polícia Federal”, pela clareza e integridade (vide leis estéticas de Aristóteles) é obra lapidar. No futuro, quem quiser ver algo confiável sobre a Era Lula, terá no filme, oportuno, um documento único, incontornável e imprescindível.

Trata-se de um thriller político muito bem produzido (Tomislav Blazic, sem dinheiro público), eficientemente dirigido (Marcelo Antunez) e excepcionalmente adaptado (do livro homônimo de Carlos Graieb e Ana Maria Santos) e melhor roteirizado (Thomas Stavros e Gustavo Lipsztein). A correção, a harmonia e o empenho do elenco asseguram a depurada credibilidade interpretativa difícil de encontrar em filmes do gênero, aqui ou lá fora (com destaque para o trabalho de Ari Fontoura, no papel de Lula, um caso de osmose reversa). Enfim, em termos de fluência narrativa e escritura fílmica (cinegrafia), a fita só encontra paralelo no admirável thriller (de idéias) “Margin Call – O dia antes do fim” (EUA, 2011 – de J. C. Chandor), obra-prima sobre os percalços do rombo financeiro de Wall Street, em 2008).

Parafraseando Nelson Rodrigues, só a má fé cínica ou a obtusidade córnea da crítica engajada pode acusar “Polícia Federal – A lei é para todos” de alguma parcialidade. Um desses “opiniáticos”, curiosamente de jornal cujo controle editorial é mantido a ferro e fogo por proto-esquerdistas, chega a sugerir que o melhor seria não fazer o filme e “esperar o fim da Operação Lava-Jato” para fazê-lo – uma idéia de asno, claro.

Muito bem, admitamos, por hipótese, que o filme só fosse realizado quando o processo de Lula chegasse ao fim. Quanto tempo ele poderia demorar? É público e notório que Lula (e sua quadrilha) nomeou 7 dos 11 ministros que compõem o STF (um deles, Toffoli, advogado e cria do PT). De fato, com os bilhões (de dólares) que surrupiou da nação poderá procrastinar tal julgamento com chicanas advocatícias durante pelo menos 10 anos. Sem desprezar a hipótese – implausível, mas não impossível – do velho predador, com o apoio da mídia camarada, voltar ao poder.

Em suma: neste caso, “Polícia Federal” jamais seria produzido e o distinto público, aqui e no exterior, ficaria sem saber se, no Brasil, depois de assistir ao firme relato da tramoia socialista, a “lei é para todos” ou não.

Para não ser preso, Lula, com Dirceu e asseclas, vem “fazendo o diabo” para ver o circo pegar fogo.

Na sua guerra de guerrilha, intimida juízes e ameaça desembargadores, explora fake news em profusão, arma o exército de Stedile e atiça milhares de militantes integrados no aparelho do Estado com o propósito de, em Porto Alegre, no dia 24, explodir o “Dia do Ódio”. Grana e aliados não lhes faltam. Resta saber se os 59% dos brasileiros que querem ver Lula por trás das grades vão ficar de braços cruzados.

Lula, sujeito indecente, sem nenhum compromisso moral, ético ou religioso, corrompeu e transformou a própria vida e a vida da nação num charco de lama purulenta. O Brasil, depois de treze anos sob sua tutela, acanalhou-se numa escala sem precedentes. Hoje, já não há esperança possível para arrancá-lo da degradação.

Mas, há uma certeza: ver Lula, o Chacal, por trás das grades!

 

Ipojuca Pontes, cineasta, jornalista, e autor de livros como ‘A Era Lula‘, ‘Cultura e Desenvolvimento‘ e ‘Politicamente Corretíssimos’, é um dos mais antigos colunistas do Mídia Sem Máscara. Também é conferencista e foi secretário Nacional da Cultura.

 

  • Odilon Rocha

    Extraordinário artigo.
    Não assisti o filme. Vou assistir.
    Não custa ser um pouco sarcástico, mas parece que o Canalha Chefe vai ter de torrar toda a grana roubada em “apoio logístico” para evitar a sua prisão. Ainda faltam sete processos!

  • Felipe Toget

    Perfeito, Ipojuca! Uma constatação da nossa realidade.

  • Osvaldo Pereira Júnior

    Se a Globo achou ruim, se a Folha achou ruim e se a USP achou ruim então pode comprar que vale a pena ver.

    • Ederson Leno

      Com certeza, é um excelente termômetro!

  • Rafael

    Quem pagou essa peça de propaganda?

    • Gustavo Costa de Oliveira

      tua mãe com o dinheiro da prostituição

      • Denisar Belvedere

        Matou a pau o esquerdofrênico infiltrado. kkkkk

    • Francisco Renato

      A turma pira pq o dinheiro dos investidores dessa peça propaganda é secreto…Falastes certo

      • Rafael

        Pois é, se fosse um filme pró-pt…

        • Hattori Hanzo

          …você (rafael) teria participado.
          Mas que Lorpa.

      • Newton (ArkAngel)

        É secreto mas não é público. Aliás, dinheiro público é coisa inexistente.

    • Romanorum

      Por certo não foi a Lei Rouanet… Esta só patrocina”artistas” globalistas e cinema “inverdade” como “Lula,o Filho “da P…” do Brasil”,ou coisa parecida…

      • Rafael

        Pelo menos via Lei Rouanet o financiamento é feito as claras.

        • Elvis Trivelin

          Financiamento particular de filme não é crime. A empresa ou pessoa investe no que quer e acredita. No dia que for crime (ou onde ainda é), a iniciativa privada estará morta no setor de atividade do cinema e só restará roubar os “cidadãos” e fazer algo apenas dentro das vontades dos burocratas do Estado. Crime é extorquir o “cidadão” (na verdade, pagador compulsório de imposto) e direcionar o dinheiro para um fim que ele não concordou, não quer, não solicitou jamais, só por amizade com produtor alinhado politicamente ou por algum interesse escuso.

        • Newton (ArkAngel)

          Sim, é demonstrado claramente quanto foi gasto do dinheiro público com filmes e “manifestações artísticas” tipo “Macaquinhos”, ao invés de investir em hospitais. Realmente é feito às claras.
          Se o financiamento foi feito com dinheiro privado…bem, cada um gasta o SEU dinheiro como e onde bem entender, não está tirando à força de ninguém.

      • Romanorum

        GRANDE COISA DE SER FEITO “ÀS CLARAS” SE É TENDENCIOSO E VISA APENAS OS AMIGOS DO REI,OU DO PARTIDO, E SEGUIDORES DA MESMA LINHA IDEOLÓGICA… E MEU,VOCÊ COMPARA E EQUIPARA FINANCIAMENTO DE ORIGEM PARTICULAR E PRIVADA COM O FEITO COM DINHEIRO PÚBLICO? SÓ NISSO SE PERCEBE SUA MIOPIA IDEOLÓGICA E RACIOCÍNIO EQUIVOCADO… NÃO É DE SURPREENDER SER FERRENHO ANTI-BOLSONARISTA!

  • Daniel De Paula

    Assisti nos últimos dias em que estava em cartaz e não me arrependi… ao contrário das críticas apodrecidas, os atores e o roteiro me pareceram bem imparciais.

  • LucasC

    Alguém tem a lista dos financiadores do filme? To procurando pra saber se teve dinheiro público…

  • Francisco Renato

    A história é boa o filme é que é ruim mesmo

  • Cláudio Nunes Horácio

    Assistam no meu canal antes que o bloqueiem.
    https://youtu.be/UEN8MtBUZ8g

  • fbl

    “Resta saber se os 59% dos brasileiros que querem ver Lula por trás das grades vão ficar de braços cruzados”. Veremos se somos um povo bunda ou não.

  • Danilo Dalla Vecchia

    E o Brasil num ciclo contingente dos diabos , o que será que enfrentaremos em termos politico-econômico , se o capo mafioso transnacional nove dedos , voltar ao poder ? . Se Deus é Brasileiro acorde esse povo .

  • Francisco Martins

    kkkk, o serviço de inteligencia da china da dez a zero na nossa pf tucana, que está desesperada pra descobrir quem chamou Gilmar Mendes de cagão em um vôo, falando nisso, vao mostrar os auxilios moradias de moro E bretas, a tornozeleira eletronica com a qual trabalha o agente condenado newton isshi da pf, vulgo japones da federal, as vendas de sentença da lava jato? To esperando respostas.

  • Francisco Martins

    O filme sumiu….

  • Addos Sodda

    não da para entender este povo, ora dizem que pt e psdb são dois lados da mesma moeda, ora dizem que o lula nomeou 7 dos 11 ministros, qual a importância da segunda se a primeira afirmação é verdadeira?