1. Aborto
  2. Destaques
  3. Notícias Faltantes

Uma típica mentira abortista

30 de dezembro de 2017 - 2:40:03

Se proibir, aumenta?
Enquadrando a discussão

Nas conversas entre aquelas pessoas a favor da vida humana e aquelas a favor do direito de decidir ou, em termos mais diretos, nas brigas entre os que são contra e os que são a favor do aborto, respectivamente, alguém do último grupo sempre costuma apelar para um dado curioso. Segundo a sabedoria abortista, proibir o aborto aumenta o número de casos. Se o aborto fosse legalizado, segundo eles, os casos de aborto tendem a diminuir.

Para muitos isso pode parecer contraditório. E, na maioria dos casos, é pura contradição mesmo!

Essa é mais uma das muitas mentiras a respeito do aborto que são veiculadas por iluminadas cabeças pensantes em meio à sociedade. Se continuarem pensando com essa qualidade, há de se questionar onde chegarão, senão na aniquilação da inteligência e da capacidade de apreender a realidade.

Abortistas de todos os tipos citam artigos produzidos por institutos claramente comprometidos com a causa abortista para defender a ideia de que os abortos são reduzidos com a legalização. Tais artigos, publicados em importantes revistas, são utilizados como porretes da autoridade científica para calar o adversário em um pretenso debate.

Vamos esclarecer algumas coisas desde já.

O que se chama debate, no Brasil, de regra é um reforço da mesma opinião previamente desejada, pertencente a uma elite progressista que se acha dona da verdade e considera o povo brasileiro retrógrado e incômodo. Como descreve Francisco Razzo em seu livro Contra o Aborto, o debate de regra é entre diversas opiniões a favor do aborto enquanto os contrários ao aborto são excluídos dos meios chiques da sociedade e da mídia de massas.[1] Melhor assim, para os detentores do futuro melhor de nosso país. Que esses evangélicos e católicos conservadores sumam de nossa frente ou, como diria certo professor universitário brasileiro, que sejam abordados em conversa na ponta de uma espingarda.[2]

Segundo ponto: os trabalhos que de regra são citados pertencem a Organizações Não Governamentais abortistas que recebem verbas milionárias de fundações internacionais abortistas e megaclínicas de aborto. O exemplo mais famoso é o Instituto Guttmacher, que publica nas badaladas revistas médicas como a Lancet, e recebe dinheiro da maior rede de clínicas abortistas do mundo, a Planned Parenthood, além de receber verbas da Bill and Melinda Gates Foundation. E tal instituto ainda tem a pachorra de afirmar que não há conflito de interesses em suas publicações. E, verdade seja dita, quando revistas como a Lancet ou o New England Journal of Medicine falam de política, é perceptível a agressiva agenda ideológica subscrita pelos autores e editores.

Terceiro ponto: há uma série de distorções estatísticas nesses trabalhos usados como fonte de autoridade científica. Mas, de regra, são citados por pessoas sem o menor preparo em Medicina Baseada em Evidências ou Bioestatística, funcionando como instrumentos de apelo à autoridade científica. Resumindo, esses artigos repletos de manipulação e conflitos de interesse são exemplos do uso burro de uma ciência deturpada por razões políticas e ideológicas.

E o que dizem os abortistas e os artigos? E qual é a realidade? Vamos aos fatos.

A distorção estatística e o caso dos Estado Unidos

De certa forma, os abortistas contam com a preguiça intelectual, a falta de competência em avaliar artigos ou a pressa do leitor. Esperam que alguém leia a conclusão que é lançada após páginas de expressões técnicas como Bayesiano e Teste de Kolmogorov-Smirnov e aceite tudo como a verdade divina descendo como maná dos céus. E na maioria das vezes é justamente isso que acontece.

Pessoas sem formação alguma na área de Medicina Baseada em Evidências se aventuram a ler conclusões ideológicas citadas em artigos distorcidos para fundamentarem suas crenças prévias.

Recentemente, um trabalho foi citado como prova de que liberar o aborto reduziria a prática.[3] Esse trabalho, relativamente recente, afirma que o número de abortos em países ricos, que em sua maioria legalizaram a prática, está caindo desde 1990, e que permanece alto em países em desenvolvimento, que ainda não legalizaram o aborto em sua maioria.[4] O que você entende? Que a legalização reduziu o número de abortos, certo? Vejamos com um olhar mais acurado.

Na década de noventa do século XX, a grande maioria dos países desenvolvidos já tinha legalizado o aborto há muitos anos. E as medidas do número de abortos realizados em países em desenvolvimento que não legalizaram a prática são expostas a diversos vieses e cálculos de correção dos dados que inflacionam a casuística formidavelmente.

Se queremos concluir sobre a legalização aumentar ou reduzir o número de abortos, o que devemos fazer? Voltar ao momento em que o aborto foi legalizado e acompanhar, ano a ano, a mudança no número de abortos. Isto significa checar os números antes e após a decisão do famoso caso Roe vs Wade, em 1973, nos Estados Unidos, por exemplo.

Antes da decisão, já se observava um aumento contínuo no número de abortos relatados, sem dúvida por causa da militância pró-aborto e das mudanças culturais dos anos sessenta, conforme relatado por Bernard Nathanson.[5] Foram reportados 390 casos de aborto para cerca de 4 milhões de nascimentos nos Estados Unidos em 1963. Ano a ano, o número de abortos aumentou, chegando em 1973 a 744.610 abortos em uma população de 3.136.965 nascidos vivos. O aborto ainda não fora liberado nos moldes pós Roe vs Wade, mas a pressão ideológica para sua liberação era intensa.

Neste momento os abortistas falarão que o número de abortos é muito maior, só que não é relatado. O que se conclui é que, uma vez legalizado, as mulheres procurarão um serviço dentro da legalidade no qual realizarão o procedimento sem o risco aumentado de uma intervenção clandestina, e o número real de abortamentos será revelado.

Em 1974, um ano após a decisão do tribunal no caso Roe vs Wade, o número de nascidos vivos foi de 3.159.958 e o número de abortos relatados foi de 898.570. Isso apontaria para um aumento de cerca de 150.000 casos teoricamente creditados aos casos não relatados, se admitíssemos uma estabilidade no número real de abortos realizados de 1973 para 1974.

Todavia, eis o que acontece com a casuística de abortos nos anos seguintes.[6]

Há uma clara tendência de aumento contínuo nos casos de aborto com certa estabilização após alguns anos da liberação dos casos. Essa tendência não é exclusividade dos Estados Unidos, repetindo-se em diversas outras casuísticas, às vezes com um crescimento muito mais prolongado ao longo dos anos seguintes à legalização.

Como o trabalho previamente citado verificou a casuística após a década de noventa, temos um cenário completamente diferente do exposto inicialmente. A distância temporal entre a legalização e os dados observados insere fatores de confusão que tornam a tentativa de estabelecer nexos causais extremamente frágil. Deve ser lembrado também que foi no ano de 1990 que se registrou o pico no número de abortos nos Estados Unidos. Contabilizar a partir desse pico obviamente demonstrará uma queda no número de abortos.

E há um agravante raramente lembrado: muitos estados americanos tem falhado em reportar a casuística de abortos realizados, o que gera um número subestimado. Um dos mais recentes relatórios dos Estados Unidos, publicado em 2017, informa uma casuística subestimada de abortos no ano de 2014 de 652.639 abortos.[7]

Há ainda outras características a serem observadas no campo cultural e político dos Estados Unidos. A recente ascensão da direita conservadora, a militância cristã pró-vida fazendo frente à antiga militância pró-escolha da revolução cultural e as alterações jurídicas que removem verbas bilionárias da indústria abortista no governo de Donald Trump irão gerar um profundo impacto nos próximos anos, salvando milhões de vidas e reduzindo ainda mais o número de abortos.

Tudo isso nos autoriza a compreender que o número de abortos realizados após a legalização sobe de forma catastrófica para décadas após ter a chance de começar a reduzir, caso o ambiente cultural e político se altere significativamente.

Abortando mundo afora

Em outros países o aumento de abortos após a legalização também é observado. No reino Unido, a legalização ocorreu em 1967. No ano seguinte, o número de abortos contabilizados foi de 23.461, 72% maior do que o registro de dez anos antes, que era de 13.570 abortos. Dez anos após a legalização, o número de abortos registrados foi de 141.558, um aumento de 945% em relação ao registro de 1958. Em 2008, o registro apresentou o explosivo aumento de 1480%, gerando uma casuística de 202.158 abortos. A população do Reino Unido, nos mais de quarenta anos contabilizados na série histórica do aborto, subiu somente 10%. É o genocídio de um povo e, consequentemente, de seu legado humano e cultural.[8]

Na Suécia, onde a legalização ocorreu em 1938, o número de abortos subiu em cerca de 9.000%, indo de 220 casos registrados para mais de 38.000 casos em 2015.[9]

Na Espanha, quando o aborto foi parcialmente legalizado em 1985, foram contabilizados 6.344 abortos. Somente dois anos após a legalização, o número de abortos já alcançava 16.766, quase o triplo de casos. O crescimento no número de casos de aborto ocorreu de forma contínua até 1996, quando foram registrados 51.002 abortos, um número aproximadamente oito vezes maior do que o registrado no primeiro ano. Só para se ter uma idéia, em 2010, quando uma nova legislação ainda mais liberal foi aprovada na Espanha, ocorreram 113.031 abortos.[10]

Analisando o reverso da moeda, um caso ilustrativo é o do Chile, no qual a restrição do aborto reduziu o número de casos e, para o desespero da militância abortista e aborteira, sempre à busca das evidências glorificadoras do extermínio de fetos, apresentou uma redução na mortalidade materna. Tal exemplo revela claramente que, se alguém deseja proteger a vida das mulheres, o caminho não é se oferecer para matar seus filhos.[11]

Outro país que conseguiu reduzir o número de abortos com a proibição foi a Polônia. Em 1956, após a legalização, o número de abortos também começou a crescer de forma descontrolada por anos seguidos, alcançando a marca de cerca de 272.000 casos em 1962. Cinco anos após a restrição legal em 1990, no ano de 1995, o número de abortos caiu para 570.[12]

Dados mais recentes publicados na Dinamarca, onde o aborto é legalizado, mostram, por fim, uma perturbadora realidade. A mortalidade entre mulheres que cometem o aborto é até três vezes maior do que a mortalidade entre as mulheres que não abortam.[13] Sacrificar o próprio filho tem suas consequências, e é uma cicatriz que a mulher levará por toda a vida e marcará profundamente a cultura de todo um povo.

 

Notas:

[1] RAZZO, Francisco. Contra o Aborto. Rio de Janeiro & São Paulo: Editora Record, 2017.

[2] Como afirmou Mauro Iasi, professor universitário ganhador do Prêmio Stálin da Paz, isso mesmo, não ria, um prêmio da paz com o nome do assassino genocida e tirano Stálin: “tal pessoa é um ‘inimigo’ e deveríamos estar dispostos a lhe oferecer ‘um bom paredão’, o encontro com uma ‘boa espingarda’, uma ‘boa bala’, e por fim, ‘depois de uma boa pá, uma boa cova’. Afinal, ufana-se ele, ‘com a direita e o conservadorismo, nenhum diálogo, luta!’. BERLANZA, Lucas. Por que o “paredão” comunista pode e o golpe militar não pode? Instituto Liberal. Internet, https://www.institutoliberal.org.br/blog/por-que-o-paredao-comunista-pode-e-o-golpe-militar-nao-pode/

[3] Como descrito na série de artigos intitulada “O Extermínio do Amanhã”.

[4] Gilda Sedgh, Jonathan Bearak, Susheela Singh, Akinrinola Bankole, Anna Popinchalk, Bela Ganatra, Clémentine Rossier, Caitlin Gerdts,Özge Tunçalp, Brooke Ronald Johnson Jr, Heidi Bart Johnston, Leontine Alkema. ‘Abortion incidence between 1990 and 2014: global, regional, and subregional levels and trends’. Lancet, vol. 388, 2016, p. 258-267.

[5] NATHANSON, Bernard N. The Hand of God: A Journey from Death to Life by the Abortion Doctor Who Changed His Mind. Washington, DC: Regnery Publishing, Inc., 1996; NATHANSON, Bernard N. Aborting America:  A Doctor’s Personal Report on the Agonizing Issue of Abortion. Fort Collins, CO: Life Cycle Books, 1979.

[6] JOHNSTON, Robert. Historical abortion statistics, United States. Last updated 23 February 2017. Internet, http://www.johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-unitedstates.html

[7] Jatlaoui TC, Shah J, Mandel MG, et al. Abortion Surveillance — United States, 2014. MMWR Surveill Summ 2017;66(No. SS-24):1–48. DOI: http://dx.doi.org/10.15585/mmwr.ss6624a1

[8] JOHNSTON, Robert. Historical abortion statistics, England and Wales (UK). Last updated 22 October 2017. Internet, http://www.johnstonsarchive.net/policy/abortion/uk/ab-ukenglandwales.html

[9] Estudos sobre Aborto. Estudos Nacionais. Internet, http://estudosnacionais.com/numeros-na-suecia/

[10] JOHNSTON, Robert. Historical abortion statistics, Spain. Last updated 25 February 2017. Internet, http://johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-spain.html

[11] Koch E (2014) Epidemiología del aborto y su prevención en Chile [Epidemiology of abortion and its prevention in Chile]. Rev Chil Obstet Ginecol 7(5):351-360. Internet, http://www.revistasochog.cl/files/pdf/EDITORIAL50-e0.pdf ; Koch E, Thorp J, Bravo M, Gatica S, Romero CX, Aguilera H, Ahlers I (2012) Women’s education level, maternal health facilities, abortion legislation and maternal deaths: a natural experiment in Chile from 1957 to 2007. PLoS ONE 7(5):e36613. DOI:10.1371/journal.pone.0036613. Internet, http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0036613

[12] JOHNSTON, Robert. Historical abortion statistics, Poland. Last updated 23 February 2017. Internet, http://johnstonsarchive.net/policy/abortion/ab-poland.html

[13] Gissler, M., et. al., “Pregnancy-associated deaths in Finland 1987-1994 — definition problems and benefits of record linkage,” Acta Obsetricia et Gynecolgica Scandinavica 76:651-657 (1997).

 

Hélio Angotti Neto – Professor e Coordenador do Curso de Medicina do UNESC. Médico formado pela UFES com residência em Oftalmologia e Doutorado em Ciências pela USP. Membro de Comitê de Ética em Pesquisa, Diretor da Mirabilia Medicinae (revista internacional especializada em Humanidades Médicas) e criador do Seminário de Filosofia Aplicada à Medicina. Presidente do Capítulo de História da Medicina da Sociedade Brasileira de Clínica Médica – Diretoria Triênio 2017-2020.

http://medicinaefilosofia.blogspot.com.br

 

  • Osvaldo Pereira Júnior

    Vamos chutar mais alguns traseiros abortistas e assassinos?

    1- Abortistas acham que o desenvolvimento de um ser humano termina quando este sai da barriga de sua mãe. Ou seja, no dia do nascimento temos ali um ser humano e no dia anterior ao nascimento aquilo ali ainda não é um ser humano. O mais interessante é que quando eles querem que uma criança nasça (ex:mulher que seja parente de um alto funcionário do partido que esteja com complicações na gestação e precisam fazer um parto prematuro) isso não tem problema e essa criança mesmo com 7 meses de gestação já passa a ser considerada um ser humano pleno enquanto que outras não são seres humanos mesmo que estejam com 9 meses de gestação. Não é uma coisa impressionante? Até na barriga de suas mães o ser humano já é dividido em duas classes sociais diferentes na cabeça de um comunista e depois somos nós que somos racistas, preconceituosos e fazemos injustiça social. Para os comunistas abortistas existem as crianças filhas de membros da elite do partido com pleno direito a nascer mesmo que estas só tenham 7 meses de gestação e do outro lado as crianças filhas do povão que mesmo com 9 meses podem ser abortadas sem problema algum pois ainda não são seres humanos. Como levar uma coisa dessas a sério e ainda discutir respeitosaamente com esses caras?

    2-Durante a gestação o bebê é o agente ativo e a mãe é o agente passivo. Durante a gestação é ele que regula o líquido amniótipo e não a mãe. É ele que diz a hora certa de sair ou não em um parto natural.

    4- Para acabar com a desculpinha desses anencéfalos de que se o aborto é crime a punheta é genocídio, o espermatozóide esse sim ainda não pode ser considerado um ser humano pois não possui o código genético da mãe. Ele não fecundou óvulo nenhum e não recebeu carga genética feminina ainda para iniciar o processo de desenvolvimento de um ser humano que só estará com o seu corpo físico plenamente desenvolvido aos 23 anos de idade aproximadamente. Portanto um espermatozóide por sí só jamais poderá se tornar um ser humano, sendo que o máximo que conseguiriam fazer com isso seria uma aberração genética em laboratório.

    4-Se mesmo assim os abortistas disserem que não existe prova definitiva que um feto seja um ser humano (apesar da contradição grotesca que eles cometem como no exemplo número 1 desse texto), também não existe como provar que um ser humano não é um ser humano. Se a desculpa mentirosa é o de não poder provar se é ou não uma vida então só de existir essa dúvida já bastaria para impedir o aborto. Seria a mesma coisa de um sujeito lhe oferecer 1 milhão de dólares para você jogar um barril pela ribanceira mas dentro daquele barril existe a possibilidade de 50% de sua mãe estar lá dentro. Você jogaria a porra do barril pela ribanceira? Mesmo que você odeie a sua mãe isso não seria apenas um pecado mortal mas como também um assassinato pois você matou um ser humano independente se é sua mãe ou não.

    Bom, acho que eu já chutei traseiros abortistas demais. Se eu lembrar de mais alguma coisa eu posto aqui.

  • jureis

    como alguém pode se dar tanto trabalho pra ingerir na vida alheia… É falta do que fazer?

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Não estamos ingerindo na vida alheia. Só estamos tentando defender crianças de psicopatas perigosos como você.

      • jureis

        Crança aonde, senhor? criança tem certidão de nascimento com numero de cartório.

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Então na sua cabecinha de merda todo índio que viveu ou ainda vive no meio do mato não são crianças afinal não possuem certidão de nascimento carimbada por algum funcionário público comunista filho da puta.

          Como você pode ser tão demente desse jeito?

          • jureis

            Nosso quanto palavrão vc fala… Vc devia ser contra usar um alinguagem assim

          • Osvaldo Pereira Júnior

            O mínimo que eu posso fazer aqui é falar uns palavrões para você pois infelizmente eu não posso te mandar para o xadrez por apologia ao genocídio.

          • jureis

            tomara pro mundo que isso te alivie… Será uma panela de pressão a menos pronta pra explodir.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Enquanto existir pessoas como eu xingando e ofendendo abortistas como você as crianças estarão a salvo. E isso é o que importa.

            O dia que todo mundo virar um bundão ai então as crianças estarão condenadas.

        • Insider

          Olhem o deus estado…burocracia governamental não aumenta o QI, madame!

    • Odilon Rocha

      Estupro e risco de vida já estão previstos em Lei.
      O que se pretende é a liberação geral.
      O texto tratou, na verdade, disso. E rebateu o argumento de que uma liberação geral vai aumentar os casos de aborto e não diminuir, como querem fazer crer os abortistas. Tudo por meio da argumentação demosntrativa. Foi só isso.
      Não vi intromissão alguma em vida alheia.
      No entanto, mister de cunho moral, acabar com a vida de um ser em formação no meu entendimento é crime.
      É só não engravidar de forma irresponsável.

      • jureis

        O que é mais curioso é crer que o “ser inocente” muda de “direito a vida” dependendo de ser fruto de um estupro ou de colocar em pergio a vida da mãe. É o paradoxo da hipocrisia… E haja visto qtas mulheres morrem por isso, conclui-se facil que qlqr gravidez indesejada é de fato um risco pra pra vida da mãe.

        • Osvaldo Pereira Júnior

          A hipocrisia é do estado por não considerar uma criança fruto de estupro digna de vida como qualquer outra.

        • Newton (ArkAngel)

          A gravidez indesejada não é um risco para a mãe, o aborto sim.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            É nessas horas que a sociedade deve sentir falta da santa inquisição.

            Como eu gostaria de ver essas bruxas queimando na fogueira. Imaginem quantas crianças seriam salvas?

            Por isso que eu digo que a idade média foi a era dourada da humanidade onde a justiça foi melhor aplicada.

        • Insider

          Eu, o deus estado, declaro que todos os esquerdistas devem morrer!
          😂😂😂😂😂😂😂

        • Insider

          Não tenho paciência! Vá colocar o teu hijab! Feministas de araque!

    • Wanderson Pereira

      O texto não trata disso, seus reflexos estão condicionados.

      • jureis

        Considerar um embrião ou feto um ser humano é algo que depende exclusivamente da sua fé, ou crença, por isso sem prerrogativa de coletivo, ou seja. do que é impossivel de impor ao outro. Se eu não compartilho da sua crença, eu não tenho exclusivamente nada a ver com essa vida que vc pressupõe. No profundo da minha consciencia, ela não é mais vida do um microrganismo e no máximo é um projeto de ser humano em porvir. E, enquanto projeto, deve coincidir com o meu projeto de vida presente e objetivo no mundo concreto. E eu decido se quero responder por sua existencia futura ao não, acada momento e a cada projeto. E falar de um doente que nasceu e existe ereante o estado e o mundo é bem o tipo de exercicio de sofisma que a turma do seu pensar gosta de jogar na nosa cara como purpurina. Um doente é um ser humano vivo e concreto no mundo no qual existimos. E não precisa sert doente não. Pense nas crianças que já nasceram e que vivem na miséria, sem perspectiva nenhuma, nem de sobrevida e nem de plenitude… Se 1/10 da energia que vcs, pessoas de bem que creem em deus, colocam nessa esparela de luta anti-aborto fosse dirigida pra defender o direito a vida dessas crianças… Mas ai não? Depois que nasce, ai a gente liga o dane-se e acredita firme e forte que devemos reduzir a maioridade penal, porque essas crianças sabem muito bem o que fazem e tem que pagar por isso…
        Francamente, o senhor não acha nada de bizonho nesse estado de coisas?
        Pois quanto a mim, fiz todos os abortos que achei que devia, alguns até bastante dificeis pq queria o filho (mas sem trisomia 21 diagnosticada em amiossintese)… Então, com o devido respeito, não me venha falar de crime e nem de vida… Fale tlvz do que o senhor acredita eue deva fazer com a sua propria. Por que é o máximo que senhor vai conseguir de fato.

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Vou desenhar para você;

          Para uma pessoa chegar aos 100 anos ela teve de chegar aos 99
          Para uma pessoa chegar aos 99 anos ela teve de chegar aos 98
          Para uma pessoa chegar aos 98 anos ela teve de chegar aos 97……
          Para uma pessoa chegar aos 50 anos ela teve de chegar aos 49
          Para uma pessoa chegar aos 49 anos ela teve de chegar aos 48
          Para uma pessoa chegar aos 48 anos ela teve de chegar aos 47……
          Para uma pessoa chegar aos 25 anos anos ela teve de chegar aos 24
          Para uma pessoa chegar aos 24 anos ela teve de chegar aos 23
          Para uma pessoa chegar aos 23 anos ela teve de chegar aos 22……
          Para uma pessoa chegar aos 13 anos ela teve de chegar aos 12
          Para uma pessoa chegar aos 12 anos ela teve de chegar aos 11
          Para uma pessoa chegar aos 11 anos ela teve de chegar aos 10….
          Para uma pessoa chegar aos 6 anos ela teve de chegar aos 5
          Para uma pessoa chegar aos 5 anos ela teve de chegar aos 4
          Para uma pessoa chegar aos 4 anos ela teve de chegar aos 3…..
          Para uma pessoa chegar a 1 ano ela teve de nascer
          Para uma pessoa nascer ela teve de passar por 9 meses de gestação
          Para uma pessoa chegar a 9 meses de gestação ela teve de passar por 8
          Para uma pessoa chegar a 8 meses de gestação ela teve de passar por 7
          Para uma pessoa chegar a 7 meses de gestação ela teve de passar por 6
          Para uma pessoa chegar a 6 meses de gestação ela teve de passar por 5
          Para uma pessoa chegar a 5 meses de gestação ela teve de passar por 4
          Para uma pessoa chegar a 4 meses de gestação ela teve de passar por 3
          Para uma pessoa chegar a 3 meses de gestação ela teve de passar por 2
          Para uma pessoa chegar a 2 meses de gestação ela teve de passar por 1
          Para uma pessoa chegar a 1 mês de gestação ela teve de fecundar um óvulo.

    • Insider

      Ingerir???😂😂😂😂

  • Francisco A. Lobo

    O aborto no geral é crime, concordo. Mas no caso de estúpro não tem cabimento. Como que uma mulher tem que ser obrigada a aceitar e criar um filho gerado à força numa relação sem o seu consentimento? Tanto que mesmo na maioria dos países que proíbem o aborto(o Brasil, por exemplo) abrem exceção para essa ocorrência.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      O que é mais cruel. Obrigar uma mulher a gerar uma criança durante 9 meses e depois fazer uma cesariana ou dilacerar uma criança indefesa?

      Uma criança não deixa de ser criança só porque foi fruto de estupro.

      • jureis

        Obrigar uma mulher a gerar uma criança durante 9 meses e depois fazer uma cesariana, sem duvida nenhuma. Que tal ser mulher pra ter tanta opinião sobre isso?

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Se eu fosse mulher e fosse estuprada qual o problema de carregar a criança 9 meses e depois dar a luz a essa criança?

          Muito provavelmente eu não ficaria com a criança e a entregaria a adoção, mas talvez eu pude-se até ficar com a criança caso eu tive-se muito boas condições financeiras.

          Eu não sou um monstro cheio de vaidades como você e não mataria uma criança só para não ter um desconforto de 9 meses.

          Posso ser um pecador filho da puta mas pelo jeito sou muito superior moralmente do que você nesse ponto.

          • jureis

            Vc inclusive teria direito a essa escolha de manter a gravidez e ter o filho, se fosse mulher e se fosse estuprada… Curioso, né? E se fosse o lider de um partido conversador que milita pelo anti-aborto e é flagrado tendo ja obrigado uma mulher a fazer um… flagrado ao ponto de ter que abdicar do seu posto politico? E se fosse um dos milhões de cristãos praticantes que, apesar de consideraram pecado e tal, qdo chegou a hora em que se viram nessa situação, pediram perdão a deus, rezaram 3 orações e foram lá exercer o foro intimo de quem sabe onde aperta… Ou será que vc esta certo de que nada do que falei agora existe?

          • Marcell

            O aborto é um atentado contra a vida. O verdadeiro cristão nem pode cogitar tal possibilidade.

          • jureis

            Pois eu, o que mais conheço – já que milito ativamente nesta area – são cristãos que acham aborto um pecado e só fazem mesmo quando é “realmente necessário” … É notório e é clássico.
            E aliás, retornando ao tema central do texto: Portugal, um dos paises mais cristãos do mundo – haja vista a santa inquisição que fizeram – em dez anos de aborto descriminalizado ( que sempre vem junto com educação, prevenção e informação) diminuiu sim o número de abortos realizados.
            É fato e é dado do ministerio da saude português… Ou seja, o autor do texto pode citar todas as biblias que quiser, mas não muda os fatos.
            REF https://www.publico.pt/2015/06/15/sociedade/noticia/numero-de-abortos-diminuiu-quase-10-no-ano-passado-1699016

          • Marcell

            Perceba que escrevi “verdadeiro” cristão. Há diversas denominações que se dizem “cristas” mas que estão muito distantes dos ensinamentos de Cristo.
            UMA das ilustrações de Jesus fala de um lavrador que semeia semente excelente de trigo e de um inimigo que semeia joio entre a semente excelente. O joio predomina sobre o trigo, mas o lavrador ordena a seus escravos que ‘deixem ambos crescer juntos até a colheita’. Na época da colheita, o joio é destruído e o trigo é ajuntado. O próprio Jesus explicou a ilustração. (Leia Mateus 13:24-30, 37-43.)
            Essa ilustração aplica-se à cristãos de imitação e cristãos verdadeiros (joio e trigo respectivamente).
            Então quando você vê “cristãos” fazendo ou apoiando o aborto, entre outras coisas iníquas, não tenha dúvida de que está diante do joio.

          • jureis

            Pois é Marcel, então o mundo é ainda mais vasto e diverso, pois tem os que não creem, tem os que creem e tem o creem mas não são verdadeiros cristãos… Isso só corrobora a necessidade de abarcar pensares distintos num mesmo mundo. E o fato é que, do meu lugar, ser cristão falso, verdadeiro ou macumbeiro… pouquíssimo isso me concerne. Eu acho ótimo qto mais pensamento melhor… Legal mesmo seria que esses pensamentos fossem todos produzidos por mentes curiosas e pensantes, em vez de papagaios repetidores, mas bom… Ainda assim, viva a bio diversidade e viva a liberdade de escolha pra viver cada um do jeito que sua consciencia manda sem atacar o que manda a CONSCIENCIA do outro. O mais importante mesmo, é o individuo possuir a liberdade do pensar e a capacidade de reconhecer o espaço do pensar alheio.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            É nessas horas que a sociedade deve sentir falta da santa inquisição.

            Como eu gostaria de ver essas bruxas queimando na fogueira. Imaginem quantas crianças seriam salvas?

            Por isso que eu digo que a idade média foi a era dourada da humanidade onde a justiça foi melhor aplicada.

          • Marcell

            É verdade que é necessário respeito à pluralidade de pensamentos mas é obrigatório constatar que nem todo pensamento de cada indivíduo equivale à verdade absoluta e incontestável. Imagine uma cidade bem movimentada sem nenhuma lei de trânsito, onde todos pudessem dirigir em qualquer sentido e a qualquer velocidade. Gostaria de dirigir em tais condições? Não, pois isso geraria confusão no trânsito e certamente resultaria em muitos acidentes.

            A liberdade irrestrita significaria anarquia na sociedade. É preciso que haja leis universais que governem as atividades humanas. Não à toa que nunca foi (nem será) possível alcançar, por esforços humanos, a paz e união em nível mundial devido à pensamentos incontornavelmente divergentes.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Nem toda pluralidade de pensamento deve ser respeitada. Se um sujeito chegar para você e disser que está pensando em matar a sua mãe pois ele acha isso certo você vai discutir elegantemente com ele respeitando a pluralidade de pensamento?

            Opinião de abortista é a mesma coisa. Não se deve respeitar uma opinião que prega a morte de crianças indefesas.

            Esses psicopatas perigosíssimos devem ser é presos.

          • Marcell

            Até concordo mas aí entra as leis do país. O problema é que nunca haverá uniformidade na aplicação de uma lei assim em nível mundial devido às diferentes culturas e modos de pensar. Seria preciso que toda a humanidade se submetesse à uma lei superior, não dos homens, mas de Deus. O profeta Jeremias diz: “Não é do homem terreno o seu caminho. Não é do homem que anda o dirigir o seu passo. Corrige-me, ó Jeová.” (Jeremias 10:23, 24)

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Leis injustas só existem para serem desrespeitadas. No Brasil é proibido ter arma em casa e eu to cagando pra isso e tenho meu revólver.

            Na Alemanha Nazista era legal xingar, maltratar e exterminar judeus. Os nazistas só estavam cumprindo a lei quando mataram 6 milhões de pessoas em campos de concentração.

          • Marcell

            Estava falando especificamente de uma lei contra a apologia ao aborto. De qualquer maneira, é necessário uma intervenção divina para determinar a separação do “joio e do trigo” e haver verdadeira paz e união no mundo.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Paz e união plenas jamais existirá na era-cristã pois isso seria o mundo do anti-cristo. A violência e a guerra justa fazem parte da própria natureza humana assim como da justiça divina. O próprio Deus todo poderoso não é bonzinho, mas sim justo e violento quando necessário.

            Se for necessário matar uma pessoa para salvar a vida de várias crianças indefesas isso deve ser feito. A santa inquisição fazia isso com maestria.

            Ela matava bruxas, hereges e psicopatas perigosos que caso não fossem mortos matariam muito mais pessoas em vida.

          • Marcell

            Tenho um outro ponto de vista sobre o assunto, com base no que aprendi da Bíblia. Deus é bom e também justo. Para defender seu povo, Ele é um Deus de guerra. Deus não deseja destruir ninguém, por isso ele avisa com bastante antecedência o que vai fazer. (2 Pedro 3:9) Por meio dos relatos preservados na Bíblia, todos são lembrados de que no passado ele agiu em defesa de seu povo. (2 Reis 19:35) A Palavra de Deus predisse muito tempo atrás que Jeová destruirá os perversos. (Provérbios 2:21, 22; 2 Tessalonicenses 1:6-9) Naquele tempo, seus inimigos não terão dúvidas de que se envolveram numa luta contra o próprio Todo-Poderoso. — Ezequiel 38:21-23.
            Também estou certo que haverá paz duradoura na Terra.
            A guerra do Armagedom salvará a vida de milhões de pessoas. Na verdade, será o começo de um período de paz na Terra. — Revelação 21:3, 4.

            O livro de Revelação fala sobre uma incontável “grande multidão” que sobreviverá a esse conflito. (Revelação 7:9, 14)

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Deus é bom obviamente e por isso ele nos deu o livro-arbítrio. Não só deu o livro-arbítrio para nós como também para os próprios anjos e demônios.

            O mundo está cheio de anjos e demônios e a tarefa da igreja e de seus fiéis é frear a influência desses anjos caídos.

            Deus não vai descer aqui na terra e fazer o trabalho por nós. Ele já mandou seu filho para nos salvar e agora cabe a nós fazermos a nossa parte.

            Deus permite que os demônios façam merda na terra para provar a fé dos fiéis. Os demônios só agem na terra por que Deus permite.

            Se os fiéis viram bundões e nada fazem os demônios fazem a festa e isso daqui vira um inferno na terra como muitos países igual a Coréia do Norte, Camboja do Khmer Vermelho, China Maoista, Alemanha Nazista, ex-URSS e etc.

          • Marcell

            No que diz respeito ao livre-arbítrio, concordo com tudo. Com relação à luta contra a iniquidade, nós não temos condições de vencer. A Bíblia diz: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” Diz também que ele “está desencaminhando toda a terra habitada”. (1 João 5:19; Revelação [Apocalipse] 12:9)
            Por isso, em breve, Deus irá agir, conforme diz Daniel 2:44: “E nos dias daqueles reis* o Deus do céu estabelecerá um reino* que jamais será arruinado. E o próprio reino*não passará a qualquer outro povo. Esmiuçará e porá termo a todos estes reinos, e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos…”

          • Osvaldo Pereira Júnior

            A profecia bíblica do apocalipse é um alerta, não um fato consumado.

            O homem pode sim evitar ou pelo menos adiar em muito tempo o apocalipse se buscar Deus.

            Os acontecimentos descritos no apocalipse só acontecerão se o homem desistir de buscar Deus. Ai sim será inevitável.

          • Newton (ArkAngel)

            A lei de Deus está escrita na nossa consciência. Aqueles que tentam enganar a própria consciência são justamente aqueles que são cegos e não compreendem que ao mesmo tempo que Deus nos deu suas leis visando o bem estar, também nos deu a liberdade de transgredí-las, porém, arcando com as consequências lógicas e naturais.

          • Newton (ArkAngel)

            É justamente a porra do multiculturalismo e a relativização de tudo que está matando a Europa. Alegar que todas as religiões são moralmente equivalentes é dar aval para que psicopatas tenham liberdade de cometerem seus absurdos em nome da diversidade e equivalência moral.

          • jureis

            Concordo tanto com vc nesse ponto, Marcell… Quando leio os colegas debatedores Insider e Osvaldo então… tenho calafrios…

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Tá cheio de vagabundos hipócritas no meio conservador. Se o sujeito fez ou mandou alguma mulher fazer aborto ele tem de ser preso.

            Independentemente se é um “católico” supostamente fervoroso ou um vagabundo do PT ou PCdoB.

            A lei tem de ser aplicada para todos os criminosos.

          • jureis

            tentar não abaixar o nivel da discussão e não usar palavrãoes e insultos na sua argumentação…

          • Osvaldo Pereira Júnior

            “Os palavrões, segundo entendo, foram inventados precisamente para as situações em que uma resposta delicada seria cumplicidade com o intolerável.” (Olavo de Carvalho)

            A minha vontade e a de toda pessoa decente na verdade era de prender você por apologia ao crime e até mesmo ao genocídio de crianças.

            Como infelizmente eu não posso fazer isso (quem sabe um dia se Deus quiser) o mínimo que eu posso fazer é mandar você tomar no meio do seu cú.

          • jureis

            Olavo de Carvalho?… Deve ser um amigo do outro que vc cita, o Pablo Villar. Não sei quem são. Mas seja feliz com seus impropérios então

  • jureis

    Pra ser vida mesmo, so falta: registro civil, o estado se encarregar das necessidades básicas, sistema nervoso desenvolvido e um pouco de ciencia pra escapar da concepção oriunda da fé religiosa, do foro intimo de cada um _ que pode ser a sua, mas não é a minha.Vida tambem diferente da vida das crianças, essas sim bem vivas, que um bando de bons crentes acha que só matando mesmo pra garantir a segurança de ‘quem trabalha e merece ter o que tem’… Alias, uma pergunta bem pragmática: qtas crianças sem perspectiva o senhor, ou qlqr um da sua entourage que criminaliza o aborto já EFETIVAMENTE adotou pra tirar da rota da miséria e da morte (essa sim, bem assassina)? Atenção: responder essa pergunta prescinde de notas bibliograficas.

    • Wanderson Pereira

      Da mesma maneira que a dependência de um doente em estado grave a
      recursos e esforços alheios não faz dele coisa da qual se pode dispor,
      com muito mais razão um ser humano saudável a caminho da vida não pode
      ser assassinado pela própria mãe sob o argumento ou pretexto de pungir
      recursos e esforços. Desobrigar-se com a vida humana, em qualquer
      circunstância, é uma aberração, uma insensibilidade psicopática, ainda
      mais vinda de um médico ou de uma mãe.

      A vida não depende de registro civil ou de sistema nervoso desenvolvido. Há seres vivos sem sistema nervoso, inclusive seres vivos da espécie humana. O embrião é um ser individualizado geneticamente, obviamente está vivo e é da espécie humana, não de outra, é, portanto, um ser humano vivo. O meio onde se alimente ou se desevolve pode mudar, sem que isso mude em nada sua condição de ser humano desde a sua concepção.

      Já sobre a adoção, nunca adotei nenhuma criança, mas também nunca tive a idéia de jerico de matá-las diretamente no ventre materno. Só uma mãe louca pode usar como argumento para a morte do próprio filho no ventre a desculpa de que estranhos também poderão não querer adotá-la. É muita doença na cabeça.

      • Newton (ArkAngel)

        Esse pessoal troca o efeito pela causa.
        Hoje em dia só engravida quem quer, ou não tem o mínimo acesso à informação. Melhor combater a causa, e não o efeito.
        Quanto às mulheres estupradas, por que será que o estado, tão exaltado pelos psicopatas esquerdistas, não assume a tutela das crianças indesejadas, seja lá por quais motivos? Será benéfico para o próprio estado, imaginem quantos futuros pagadores de impostos serão perdidos com a liberação do aborto!

        • Osvaldo Pereira Júnior

          O problema é que o eudeusamento cretino da mulher atualmente ultrapassou todos os limites aceitáveis e já se tornou algo patético e até cafona.

          Para que mulheres tenham conforto vale até mesmo que crianças sejam esfaceladas cruelmente em clinicas de aborto.

          Esse endeusamento cretino do feminino como se mulheres fossem uma espécie de semi-deusas acima do bem e do mal e até mesmo da vida humana tem de acabar caso o ocidente ainda queira ter algum futuro promissor.

          • Gustavo Costa de Oliveira

            endeusamento que é só aparente.. na prática elas estão sendo mais massacradas e usadas que todos nós.. a vida de quase todas elas está sendo sequestrada

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Na cabeça da elite e dos revolucionários eles estão libertando as mulheres e muitas dessas mulheres realmente acreditam nisso. É isso que eu estou dizendo.

          • Gustavo Costa de Oliveira

            essa ideia de que do ponto de vista utilitarista é melhor pra vítima de estupro que o filho dela seja morto, é balela também…

            a única pesquisa feita a esse respeito apontou o contrário: mulheres que não matam a criança que nasceu do estupro superam melhor o estupro do que as que matam

            ou seja: até isso é pra ferrar com a mulher mais ainda

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Eles estão pouco se lixando para esses dados. Dados científicos para revolucionários é papel higiênico.

            Na cabeça deles eles tão fazendo um bem absoluto para as mulheres. Na cabeça deles óbviamente.

        • jureis

          posso sugerir que vc releia o que escreveu?

          • Newton (ArkAngel)

            Este é um país (mais ou menos) livre.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            A bruxa tá dizendo que para existir vida tem que ter o carimbo do seu Zé da casa de Registro.

            Se não tiver o carimbo do seu Zé a criança não nasceu e pode ser jogada no lixo.

        • Gustavo Costa de Oliveira

          isso do ponto de vista utilitarista..

          do ponto de vista religioso, ninguém autorizou a revogar o mandamento de “não matarás” em certas circunstancias.. isso é de novo o pecado da determinação do bem e do mal..

          mal sabem administrar um cartão de crédito e querem determinar o bem e o mal..

          • Newton (ArkAngel)

            Quem é mais utilitarista do que o estado?
            O problema não é determinar o que é o bem e o mal, pois instintivamente, quase todo ser humano que não seja psicopata sabe distinguir um do outro.
            O problema é quando começam a relativizar tudo.

      • jureis

        note-se alias, que com todo o meu menospreza pela ideia da religião e de deus, eu não insultei meu interlocutor o diagnosticando de psicopata (poderia fazer, ainda que escolhendo uma outra enfermidade psiquica).
        Ainda assim, é estranho ser considerado psocopata por não acreditar em deus… tiquinho sectário não?

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Você não é psicopata por não acreditar em Deus. Não acreditar em Deus não é psicopatia mas apenas burrice.

          Você é psicopata por querer matar crianças.

        • Marcell

          Somente a colossal combinação de fatores indispensáveis para que a vida na Terra fosse possível, por si só, deveria ser suficiente para provar que existe um Projetista Inteligente, um Criador. Este mesmo a quem devemos a vida. Não acreditar no Criador não prova que ele não exista.

          • jureis

            Não prova que ele não exista, mas certamente prova que o mundo concreto não pode e não deve ser regido pela crença em sua existencia… Porque tem vc e tem eu. E nós temos que caber no mesmo mundo

          • Marcell

            Se uma pessoa encontrar uma casa no meio de uma área deserta, casa essa com uma dispensa completa, com sistemas de refrigeração e aquecimento, um lindo jardim, com dispositivos de segurança, a que conclusão chegaria? Que foi construída por alguém inteligente ou que surgiu por acaso? Essa “casa” é a Terra. Ainda falando da casa literal, se acredita que alguém a construiu, imagine que o construtor da casa decida colocar pessoas para morar nela, instruindo-às da melhor maneira de usufruir da moradia. Com o tempo, os moradores começam a danificar a casa, desrespeitando às instruções claras de seu construtor e dono. Qual a melhor solução? Com certeza, não é destruir a casa, e sim, retirar os moradores desordeiros.
            Consegue perceber então, do ponto de vista mais lógico, a situação de nossa Terra e de seus moradores?

          • Osvaldo Pereira Júnior

            E tem a criança em gestação também.

          • Gustavo Costa de Oliveira

            crença nenhuma rege porra nenhuma.. nenhum crente jamais falou isso.. vc é tão burro que nem sabe o que fala, é tudo flatus vocis

          • jureis

            E obrigada por não sucumbir à facil estrategia de corromper a discussão com insultos e palavrões. E bom 2018.

        • Marcell

          Ele se referiu à psicopatia com relação à desobrigação com a vida humana e não com a descrença em Deus.

          • jureis

            Mas o seu comprometimento com a vida humana, que alias é absolutamente conceitual e teorico, está intrinsicamente ligado a sua crença em deus, deduz diretamente disso… Me apresente um ATEU convicto que seja contra o direito ao aborto e eu talvez considere isso de outro modo…

          • Newton (ArkAngel)

            Quer queira ou não, ainda estamos imersos na moral judaico-cristã, inclusive os ateus, o que não é nada mau, pois tal moral fez com que a sociedade evoluísse moralmente através dos séculos; embora ainda estejamos longe da perfeição, é inegável que o homem evoluiu socialmente.
            O modo de ser cristão não tem necessariamente a ver com religião, mas sim, com um código de ética e comportamento que visa o bem estar geral. Conheço muitos ateus que são muito mais cristãos do que muito carola de igreja. O próprio fato de mesmos aqueles que não possuem crença religiosa serem, por exemplo, contra o homicídio, já demonstra a força de tal moral judaico-cristã.
            Acrescento ainda que atualmente há um completo desconhecimento sobre o que representa a tal “sociedade patriarcal”, uma das coisas preconizadas pelo cristianismo.
            Na antiga Roma, a maioria dos habitantes era escravo, ou seja, não tinha direitos políticos e nem voz na sociedade; como escravo também morre, com o tempo a quantidade destes ia diminuindo, e era necessário “renovar o estoque”. Para isto, simplesmente todos os homens escravos eram colocados para fazer sexo com todas as mulheres escravas. O resultado disto é que as crianças nascidas deste arranjo, futuros escravos, simplesmente não sabiam quem era seus pais. Ou seja, eram largadas à própria sorte.
            Com o advento do cristianismo, a responsabilidade do pai sobre seus filhos passou a fazer parte dos costumes da sociedade, e a abstenção de tal responsabilidade era mal vista e até censurada. Neste novo arranjo, os pais deveriam cuidar da prole e da família até que os filhos tivessem condições de se sustentarem sozinhos, e isto, pelo menos na maioria dos casos, perdura até hoje.
            Então, ao contrário do que as feministas dizem hoje, o patriarcado protege as mulheres e crianças, impondo ao homem a responsabilidade sobre seus atos.

          • jureis

            Ai vc disse tudo. O patriarcado do seu cristianismo protege mulheres e crianças, sem nem mesmo tocar na escravidão que a cerca.
            E ja que gostamos de história da civilização te ofereço essa nova referencia pra enciclopedia desta discussão: a autoria é de clérico Hildeberto de Lavardin, filosofo e pensador muito em voga na universidade francesa medieval do século XI, e arduo defensor da lei das 7 partidas. É dele a citação que, não sei a vc, mas a mim dá vontade de cuspir de nojo e revulsa:
            “a mulher, coisa frágil, inconstante a não ser no crime, não deixa nunca
            espontaneamente de ser nociva. A mulher, chama voraz, loucura extrema, inimiga íntima, aprende e ensina tudo o que pode prejudicar. A mulher, vil forum, coisa pública, nascida para enganar, pensa ter triunfado quando pode ser culpada. Consumindo tudo no vício, é consumida por todos; predadora dos homens, torna-se ela própria a presa”.

            Então eu te digo: “queira ou nao queira”… Eu não quero! E ai a gente sobe
            algumas linhas e lê outro comment seu, bastante contraditório,
            pretendendo que “este é um pais livre”. Eu com certeza faço esse país livre
            sempre que posso e consigo, inclusive assumindo riscos.
            Fecho com Thomas Jefferson: “Se uma lei é injusta, todo homem, mais que o direito, tem o dever de desobedecê-la” Essa sim é a minha lei, que vale pras mulheres também. Um abraço

          • Newton (ArkAngel)

            Na escravidão em Roma não havia patriarcado.
            Quando disse “este é um país livre”, estava atendendo seu pedido para eu reler meu próprio comentário.
            As palavras do tal clérigo são misóginas, se não forem liberdade poética ou ironia.
            Concordo também com Thomas Jefferson.
            Bom 2018!

        • Gustavo Costa de Oliveira

          mais uma vez está dando sintoma de psicopatia..

          ninguém te acusou de ser psicopata por ser ateia e sim por colocar condicionantes arbitrários ao direito a vida…

          hitler tem a mesma doença
          charles manson tem a mesma doença
          jim jones tem a mesma doença

          vai pesquisar o que eles falavam pra ver se não relativizavam o direito a vida do mesmo jeito que vc faz

        • Gustavo Costa de Oliveira

          a doente mental propõe matar milhões de pessoas em nome de utilitarismos

          daí vc chama de psicopata, vagabunda ou coisa do tipo e o errado é vc!

          de wittgenstein pra cá foi só ladeira abaixo

          se te incomodas com um xingamento, sai defendendo essas coisas ao vivo também e não só pela internet pra ver se uma hora alguém não vai quebrar todos os teus dentes

      • Marcell

        Bela explanação!

      • Gustavo Costa de Oliveira

        acho que só há dois caminhos pra pessoa não ser leviana e arrogante:

        1) humildade e simplicidade
        2) estudo sério, perseverante e praticamente infindável

        muita gente absorveu tanto lixo gnóstico que o caminho 1 não dá mais, daí parte pro 2, mas estudam superficialmente meia dúzia de coisas porque são preguiçosos.. daí fica um imbecil leviano

        só dá pra curar um imbecil leviano através da humilhação pública, mostrando pra ele e pra todos para quem ele tenta causar admiração que é burro, não sabe nem metade do que alega que sabe e não passa de um palpiteiro.. feito isso, o caminho 1 se abre novamente.. mas infelizmente na internet não dá pra fazer nada disso, ele pode fingir o quanto quiser, nunca fica encurralado

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Uma pena o meu post ter sido apagado por essa porcaria de disqus.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Não existe fanatismo religioso maior do que a sua mentalidade revolucionária psicopática. Os seus deuses são estupradores, criminosos e ladrões como Mao Tsé-Tung, Vladimir Lênin e Fidel Castro.

      • jureis

        Os meus deuses não existem… Assim como os seus (ao menos no meu pensar).

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Você deve achar engraçado quando alguém faz piada de Jesus Cristo como naquela porcaria de canal do youtube Porta dos Fundos.

          Mas aposto que você deve ficar irritadinha e puta quando alguém faz uma piada de travecos ou sapatões. Tá vendo só como os seus deuses existem?

          Ao invés de ditadores comunistas então seus deuses são o Pablo Vittar.

          • jureis

            Vc pressup´õe smuita coisa que não sabe e que não esta em discussão. Não estou fazendo piada de ninguém pra falar com vc…

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Eu jamais irei confiar em ateus. Ateus são muito mais potencialmente assassinos e corruptos do que uma pessoa religiosa.

            Como diria Dostoievsky “Se Deus não existe então tudo é permitido”. E ele tinha toda a razão pois se uma pessoa não acredita em Deus ela pode fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos bastando para isso fazer bem escondido e longe dos olhos da justiça.

          • jureis

            Nãoprecisa confiar em mim não, por favor. Jamais te pediria isso.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Exato. Por isso que o ideal seria te prender. Como a nossa legislação é impotente demais e permite que boçais como você abra a boca para defender genocídio nós somos obrigados a ler as merdas que você escreve e até mesmo suportar sua presença.

            Um dia se Deus quiser pessoas como você serão proibidas de abrir a boca.

            O mal maior da democracia é exatamente isso. Permitir que ignorantes e psicopatas abram a boca em público sem serem retaliados. A democracia é uma farsa e um sistema suicida por causa disso.

      • jureis

        cuidado com os amalgamas que faz. Não estou discutindo lenin, nem mao e nem fidel. Estou discutindo deus com vc. No dia que uma pessoa (preferencialmente mulher, já que é nela que uma gravidez indesejada acontece de modo avassalador) vir argumentar contra o direito do aborto, partindo de um pressuposto ATEU, ou seja sem envolver deus na questão,… ai sim, a discussão passa a fazer sentido. Senão, no meu ponto de vista, qlqr argumento ou dado vai estar intrinsicamente comprometido com um crer que não compartilho, e a partir de uma logica religiosa, que não me diz respeito.
        Não preciso te agredir para declarar isso e o faço em toda boa fé e espírito conciliador… E bom 2018.

        • Newton (ArkAngel)

          Independente dos pressupostos, sejam ateus, cristãos ou muçulmanos, não devemos relativizar um ato concreto e torná-lo moralmente dependente do ponto de vista religioso ou de outro qualquer, pois o resultado é o mesmo. Quando você mata alguém, você tira daquela pessoa tudo o que ela tem e o que pode ainda vir a ter, além de todas as possibilidades e potencialidades latentes. Nem tudo é relativo.
          Se assim for, se usarmos os pressupostos da religião islâmica, então todo e qualquer assassinato é justificável, e inclusive meritório, aos olhos de Alá.
          Obviamente, do ponto de vista ateu, o que você diz faz sentido, embora concretamente seja condenável pelos motivos já expostos, pois para quem morre, o ponto de vista alheio não faz diferença nenhuma.

          • jureis

            “Quando você mata alguém…” (palavras suas) é um pressuposto, Newton.
            E um pressuposto sofismado, ao meu ver, pois implica que que haja “vida consciente” de um lado para ser tirada e, do outro, que haja “alguém”. Dois conceitos não estabelecidos pela ciencia qdo se trata de aborto. A ideia de “matar criancinha” que obvia e intrinsicamente é hedionda, nesse contexto, é puro sofisma e induz ao erro sim. Dois sofismas baseados em valores religiosos e não coletivos. Matar é tabu (a prova é que, fora algumas comunidades ditas bárbaras, matar não é possivel – a não ser que seja o estado que promova a matança com penas de morte, guerras santas e afins…).
            Abortar não é, ao menos de modo universal. Grande prova disso é que o primeiro mundo inteiro (ou praticamente) o aprovou, institucionalizou e faz dele um ato de saude pública, reembolsado pelo seguro social. Vc pode aqui, localmente me chamar de bruxa e querer me condenar à fogueiro ou que eu arda no inferno, mas não é uma verdade universal a sua. Isso é fato.

          • Newton (ArkAngel)

            Não condeno as pessoas, somente os atos.
            Seja lá qual for sua justificativa, tirar a vida de alguém não é e nunca será algo relativo, pois os resultados são concretos.
            Não importa se é a vida de um adulto, ou de uma criança por nascer. Do primeiro, você tira tudo que ele tem, da segunda, você apaga todos os potenciais e possibilidades latentes. Quem garante, ao abortar uma criança, que você não está matando um futuro cientista que virá a descobrir a cura do câncer, ou de alguém que defenderá as pessoas necessitadas?
            Para quem morre, não faz a mínima diferença se a morte é tabu, ou se é cultural. O ponto central é de que ninguém tem direito de dispor da vida de outra pessoa.
            A crença multiculturalista de que todas as culturas são moralmente equivalentes é falsa.
            É inegável que a cultura cristã levou a sociedade a um patamar jamais atingido pela religião islâmica.
            Relativizar tudo nada mais é do que abrir caminho para que se justifiquem toda e qualquer barbárie cometida por pessoas de culturas atrasadas.
            Você aceitaria ser propriedade de alguém, e se sujeitar aos caprichos e imposições dessa pessoa? Se tudo é relativo, e o conceito de certo e errado muda de acordo com fatores religiosos, culturais ou sociais, então tudo é válido.
            Inclusive genocídios, machismo, homofobia e tudo o mais que se possa imaginar.
            Cuidado com seus princípios e pensamentos, você mesma pode ser vítima deles em algum momento.
            Mas tudo bem, afinal “tudo é relativo”, não é mesmo?

        • Osvaldo Pereira Júnior

          Um péssimo e horrível 2018 pra você e para todos os seus amiguinhos bruxos abortistas.

          Que tudo, absolutamente tudo dê errado para vocês e os planos da esquerda.

          Quem sabe assim criem vergonha na cara e começem a proteger as crianças ao invés de tentar matá-las.

    • Newton (ArkAngel)

      Vou propor uma questão:
      Suponha que uma militante feminista pró-aborto, em algum momento de sua vida, soube que sua mãe iria abortá-la, porém por motivos de consciência e religiosos, desistiu, o que resultou obviamente no nascimento daquela que iria tornar-se uma militante pró-aborto. Qual seria a atitude mais coerente a ser tomada por essa feminista:
      1) Agradecer à sua mãe por não tê-la abortado; porém, ao fazer isso, estaria indo contra os princípios que defende de maneira ferrenha.
      2) Censurar a sua mãe por não ter prosseguido com sua decisão, acusando-a de ser mais uma retrógrada temente a Deus; porém, por motivos óbvios, se sua mãe a tivesse abortado, tal possibilidade logicamente não ocorreria.

      E agora?

      • jureis

        agradecer o quê exatamente? e por que?

        • Newton (ArkAngel)

          Está escrito no texto. A resposta é óbvia.

          • jureis

            Então te devolvo a pergunta: A pequenina Isabella Nardoni, filha indesejada pelo PAI e nascida a partir de um acidente infeliz, e cuja mãe assumiu que iria botar no mundo, contra a vontade do pai… O que mesmo a Isabela Nardoni deve ter agradecido à mãe anti-abortista?

          • Newton (ArkAngel)

            Então, de acordo com seu raciocínio, Isabella Nardoni não deveria ter nascido, certo? Melhor não nascer do que nascer e ser assassinada?
            Você não percebe o óbvio: assassinato é assassinato, seja antes de nascer ou depois. Analfabetismo funcional é um problema sério, mas tem jeito. Recomendo: https://uploads.disquscdn.com/images/2627a503b40c266f88a1a14e9c1028a01c731a4c93b64c2d8a6fa423e6301334.jpg

            Pode começar soletrando, é mais fácil.

          • jureis

            Sim, Newton, no meu pensar, trazer aquela menina ao mundo pra ela viver o que viveu é de uma sordidez tal que, se eu estivesse diponivel pra parar e pensar na possibilidade de deus existir… não creio todavia que eu o adoraria.
            Mas so creio no homem, em sua aberrante diversidade e no que ele consegue fazer, de imenso e de imundo, em nome muitas vezes dos bons sentimentos, do amor a deus, a familia, a tradição, a vida eterna, e por ai vai.

          • Newton (ArkAngel)

            Antigamente havia o que se chamava “A Roda”. Pesquise.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Essa menina é o Rafael de buceta.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Tem que ser muito cara de pau mesmo para dizer que a solução dos problemas futuros de uma pessoa é a morte.

            Porra, cria vergonha na sua cara.

          • Tercio Lemos

            Pra quem tá vivo e cheio de vida, fácil eliminar os outros! As pessoas não querem responsabilidades e ficam nesse bla bla bla pra justificar a matança! São perversos!

          • Marcell

            A culpa da iniquidade de pai e madrasta é da criança indefesa??? Então

          • Tercio Lemos

            Então a causa de Deus existir está diretamente relacionado com a bondade dos homens, ou seja, se o homem é bom, Deus existe, se não é bom, Deus não existe ? uauuuu

          • jureis

            Não Tercio. Eu me repito: não estou preocupada com a existencia ou não de deus. Só expus a distancia do meu pensamento em relação ao do Newton acima, que crê, pelo que entendo, que um embrião no ventre de uma mulher está muito precupado com o milagre da vida e tão feliz de vir ao mundo… Eu creio que não e como creio que não, ela vir pra sofrer o que deve ter sofrido aquela menininha deve ser muito sinistro e injusto… Isso para mim é intoler[avel e insuportável, e não o desligamento do processo de desenvolvimento de um embrião de algumas semanas, que nem sistema nervoso tem. Pelo menos num ponto, concordamos. Creio no livre arbítrio.

          • Newton (ArkAngel)

            Partir da suposição de que TODAS as crianças estão destinadas a sofrer é desonestidade intelectual.

            O Imperativo categórico de Kant deve ser aplicado neste caso.
            Qualquer ação que, se aplicada universalmente a todos os seres humanos, resultar em malefícios para a humanidade, deve ser descartada.
            Se deseja que tal ou qual princípio seja uma lei, deve-se aplicá-lo primeiramente em si mesmo antes de aplicá-lo aos outros.

          • jureis

            O direito de escolha e soberania sobre o proprio corpo. Para cada mulher. A começar pelo meu proprio corpo. Extamente. Fecho com vc. E aproveito pra informar que, como vc mesmo prega. Se o seu corpo não é o de uma mulher, é vc quem não pode pretender ingerir… Sobre o meu corpo!

          • jureis

            E iso apesar dos presupostos de Kant se pautarem sobre a existencia de um deus.

          • Newton (ArkAngel)

            A questão não se pauta sobre a existência ou não de um deus. A questão é que qualquer ato que, se aplicado universalmente para todas as pessoas, resultar em malefício para a humanidade, deve ser descartado.
            Supondo-se que TODAS as mulheres do planeta resolvessem abortar, o que você acha que aconteceria com a humanidade? Pois é exatamente essa a questão abordada por Kant.

          • Newton (ArkAngel)

            Concordo que não devemos ingerir sobre o corpo alheio. Mas não seria o bebê na barriga da mulher considerado um outro corpo?

          • jureis

            minha resposta? Não. Enquanto ele estiver ali dente, é parte do meu.

          • Newton (ArkAngel)

            Os livros a seguir citados são usados em cerca de 80% das Faculdades de Medicina dos Estados Unidos da América e em muitos outros países do mundo.

            “Zigoto. Esta célula resulta da fertilização de um oócito por um espermatozóide e é o início de um ser humano… Cada um de nós iniciou a sua vida como uma célula chamada zigoto.” (K. L Moore. The Developing Human: Clinically Oriented Embryology (2nd Ed., 1977), Philadelphia: W. B. Saunders Publishers)

            “Da união de duas dessas células [espermatozóide e oócito] resulta o zigoto e inicia-se a vida de um novo indivíduo. Cada um dos animais superiores começou a sua vida como uma única célula.” (Bradley M. Palten, M. D., Foundations of Embryology (3rd Edition, 1968), New York City: McGraw-Hill.)

            “A formação, maturação e encontro de uma célula sexual feminina com uma masculina, são tudo preliminares da sua união numa única célula chamada zigoto e que definitivamente marca o início de um novo indivíduo”. (Leslie Arey, Developmental Anatomy (7th Edition, 1974). Philadelphia: W. B. Saunders Publishers)

            “O zigoto é a célula inicial de um novo indivíduo.” (Salvadore E. Luria, M. D., 36 Lectures in Biology. Cambridge: Massachusetts Institute of Technology (MIT) Press)

            “Sempre que um espermatozóide e um oócito se unem, cria-se um novo ser que está vivo e assim continuará a menos que alguma condição específica o faça morrer:” (E. L. Potter, M. D., and J. M. Craig, M. D Pathology of lhe Fetus and lhe Infant, 3rd Edition. Chicago: Year Book MedicaI Publishers, 1975.)

            “O zigoto (…) representa o início de uma nova vida.” (Greenhill and Freidman’s, Biological Principies and Modern Practice of Obstetrics)

            Como já se disse o valor científico destas afirmações é inquestionável, pois constam dos livros adotados pela maioria das Faculdades de Medicina dos EUA.

            Em 1971 o Supremo Tribunal de Justiça dos EUA pediu a mais de duzentos cientistas, entre os mais prestigiados especialistas americanos, que elaborassem um relatório sobre o desenvolvimento embrionário. Esse documento diz o seguinte:

            “Desde a concepção a criança é um organismo complexo, dinâmico e em rápido crescimento. Na seqüência de um processo natural e contínuo o zigoto irá, em aproximadamente nove meses, desenvolver-se até aos trilhões de células do bebê recém-nascido. O fim natural do espermatozóide e do óvulo é a morte, a menos que a fertilização ocorra. No momento da fertilização um novo e único ser é criado, o qual, embora recebendo metade dos seus cromossomos de cada um dos progenitores, é completamente diferente deles”. (Amicus Curiae, 1971 Motion and Brief Amicus Curiae of Certain Physicians, Professors and Fellows of the American College of Obstetrics and Gyneco1ogy, Supreme Court of the United States, October Term, 1971, No. 70-18, Roe v.
            Wade, and No. 70-40, Doe v. Bolton.)

            Em 1981 o Senado dos EUA estudou a chamada Human Life Bill. Para o efeito ouviu durante oito dias os maiores especialistas do mundo na questão (americanos e não só). Ao todo foram feitos cinqüenta e sete depoimentos. No final, o relatório oficial dizia o seguinte:

            “Médicos, biólogos e outros cientistas concordam em que a concepção marca o início da vida de um ser humano – um ser que está vivo e que é membro da nossa espécie. Há uma esmagadora concordância sobre este ponto num sem-número de publicações de ciência médica e biológica.” (Report. Subcommittee on Separation of Powers to Senate Judiciary Committee 5-158. 97th Congress. 1st Session 1981. p. 7.).

            Conclusão

            1. A partir do momento da concepção, do ponto de vista biológico, temos um ser vivo. A expressão “ser vivo”, aparece nesta frase com o mesmo valor e significado com que aparece na frase “A Rainha da Inglaterra, do ponto de vista biológico, é um ser vivo”.

            2. Este ser vivo está individualizado.

            3. Este ser vivo pertence a uma espécie definida: a espécie à qual pertencem todos os seres humanos. Portanto:

            4. A partir do momento da concepção, do ponto de vista biológico, temos um ser vivo, individualizado e humano. Estas palavras têm todas exatamente o mesmo valor e significado com que aparecem na afirmação “A Rainha da Inglaterra, do ponto de vista biológico, é um ser vivo, individualizado e humano”.

            Está completamente fora de dúvidas que o aborto mata um ser humano. Aos defensores do aborto resta explicar como se pode defender a morte arbitrária de seres humanos inocentes.

            (1) No original: “From conception the child (…)”. Muitas pessoas pretendem que o aborto não mata um bebê: o que mata é um feto. É curioso notar que duzentos especialistas americanos elaboraram um texto onde começam por se referir à “criança” e não ao feto ou ao zigoto. Também no livro de Baruch Brody, Abortion and the Sanatity of Human Life, MIT Press, 1975, ele afirma que enquanto não conseguir distinguir feto de criança rejeitará a palavra feticídio usando indistintamente a palavra homicídio.

            Não há nenhum viés religioso nestas declarações.

            Agora, se mesmo assim você prefere priorizar opiniões que tratam de assuntos científicos pela ótica política e social, só me resta lamentar.

            Adeus.

          • Osvaldo Pereira Júnior

            O que as outras crianças tem a ver com a Mãe da Isabela Nardoni?

            Porque a mãe da Isabela jogou ela do prédio todas as outras crianças então podem ser abortadas?

            Diz pra gente que você tá de brincadeira vai.

          • Marcell

            Nem foi a mãe que jogou. Foi o pai e a madrasta, Anna Jatobá, que por sinal, teve direito à saidinha de fim de ano. Coisas do Brasil… aff

          • Osvaldo Pereira Júnior

            Pior ainda então. O que as crianças em gestação tem a ver com a porra da jatobá?

            Esses abortistas são patéticos.

    • Insider

      Não me importo se eu adotarei ou não. O importante é a Vida.
      Li os teus posts: psicopatia pura!
      A senhora é uma servidora de Moloch! E sem o saber!
      Meu D’us não tem Nome…e Ele tudo pode!
      Inclusive perdoar os teus pecados…

      • jureis

        pois ele que acorde cedo… pois n aminha conduta, eu não me pauto por um critério desses

      • jureis

        razão a mais…

    • Gustavo Costa de Oliveira

      nem vou responder.. vc é uma maluca que não faz a menor ideia do que está falando, meche a boca sai som, parece uma pessoa falando, mas é só um automato.. parece argumento mas é só nuvem, é melhor assoprar do que responder…

      • Osvaldo Pereira Júnior

        Essa mulher é um projeto de soldadinho do Khmer Vermelho.

        O que os chefões falam ela repete. “Vida longa ao revolucionário kampuchea democrático”!

        É só assistir ao filme “Primeiro eles mataram o meu pai” sobre o genocídio do camboja na Netflix e você vai ver uma maluca dando aula para crianças em uma aldeia igual essa abortista.

    • Gustavo Costa de Oliveira

      mas se vc ocupasse qualquer cargo público e falasse isso, eu defenderia que te impugnassem, ia alegar e provar que vc é incapaz pra qualquer atividade intelectual

  • Wanderson Pereira

    Da mesma maneira que a dependência de um doente em estado grave a recursos e esforços alheios não faz dele coisa da qual se pode dispor, com muito mais razão um ser humano saudável a caminho da vida não pode ser assassinado pela própria mãe sob o argumento ou pretexto de pungir recursos e esforços. Desobrigar-se com a vida humana, em qualquer circunstância, é uma aberração, uma insensibilidade psicopática, ainda mais vinda de um médico ou de uma mãe.

  • Marcos Menezes

    Premio Stálin da Paz KKKKKKK só pode ser uma brincadeira macabra,mas hoje em dia não duvido de mais nada.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Prêmio Pol-Pot da Paz.

  • J.C. Viana

    Abortistas são adeptos do Marxismo Cultural que é a subversão ideológica da civilização Ocidental.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Toda vez que um abortista abri-se a boca ele deveria ter os dentes quebrados imediatamente.Isso deveria virar lei.

  • Osvaldo Pereira Júnior

    Já bloqueei o Rafael e essa vadia abortista. Peço os amigos de bom coração que façam o mesmo. Essas pessoas trazem mau agouro em nossas vidas. É bom evitá-las.

  • Gustavo Costa de Oliveira

    no começo do texto um eufemismo é substituido por outro.. eu vejo da seguinte forma:

    de um lado aqueles que acham que não existe nada que justifique o assassinato de um bebê
    do outro lado aqueles que acham que em certas circunstâncias é justo

    • Osvaldo Pereira Júnior

      O segundo grupo está equivocado.

      • Gustavo Costa de Oliveira

        está materialmente equivocado, sim… mas antes disso também está formalmente equivocado, já que não temos poder de determinação do justo e do injusto.. por mais que estudássemos por milhares ou milhões de anos, por isso está no Coríntios

        “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
        E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.”

        o que nos cabe é obedecer sem “apitar” nada, porque quem mandou, sabe..

        • Osvaldo Pereira Júnior

          A defesa da vida humana não é algo puramente e meramente religiosa. Ela é científica também. Não podemos cair na armadilha dos revolucionários ateus de que a defesa da vida é coisa de religião.

          Quando estamos dizendo que um feto já é um ser humano e que esse ser humano continuará se desenvolvendo fora do corpo da mulher até a morte inescapável, não é preciso pegar a bíblia para provar isso. Basta observarmos e pronto.

          Por isso que a ciência é o complemento da fé.

  • jureis

    Gente, mas é necessario compreender que o que cada um pensa, pessoalmente, de cada outro é totalmente irrisório e irrelevante. Até pq se a discussão se centrasse em quem pensa melhor, ou quem é mais isso ou aquilo… mas não, a discussão deveria ser sobre como conviver e coabitar num único planeta (apesar de uns tantos aqui preferirem cortar logo as cabeças de quem pensa diferente deles…).
    Não sei onde li que amar aos outros (como eu vos tenho amado…) era fudamental. Eu já penso que respeitar so já tá bem bom… Reconhecer que o outro existe independente do que eu acho dele … É pelo menos o que eu procuro fazer nas diferenças. Por isso, espero muito pouco que vcs venham a se unir ao meu modo de pensar… Mas sinceramente, esperava mais que quem pretende viver segundo as normas de deus e da religião fosse ainda mais respeitoso e acolhedor do que eu do pensamento alheio;mais generoso e coração pleno…
    Apesar de muito pouca gente atualmente se dar ao trabalho de debater ideias e oferecer o contraditorio fora de sua própria tribo (alguns posts aqui permitem entender o porquê dessa preguiça), tenho a convicção que mais gente além de mim lendo essa lambança, fica triste com a forçosa constatação…

    • Marcell

      Os cristãos devem amar uns aos outros e ao próximo. Porém isso não significa tolerar ou compactuar com o que é errado ou mau, pois como já disse anteriormente, liberdade irrestrita seria um caos. Há necessidade de normas mais elevadas, moralmente justas, que creio que só Deus fornece.
      Os amigos de Deus evitam o que é mau.
      Quem quer ser amigo de Deus precisa odiar o que Ele odeia. (Vocês que amam a Jeová, odeiem o que é mau. Salmo 97:10) As seguintes são algumas das coisas que os amigos de Deus evitam: Pecados sexuais, embriaguez, aborto, roubo, mentira, entre outras coisas.
      Pecados sexuais. “Não deves cometer adultério.” (Êxodo 20:14) Ter relações sexuais antes do casamento também é errado. — 1 Coríntios 6:18.
      Embriaguez. ‘Beberrões não herdarão o reino de Deus.’ — 1 Coríntios 6:10.
      Assassinato, aborto. “Não deves assassinar.” — Êxodo 20:13.
      Furto. “Não deves furtar.” — Êxodo 20:15.
      Mentir. Jeová odeia a “língua falsa”. — Provérbios 6:17.
      Além disso, o Filho de Deus, Jesus, disse: Vocês são meus amigos, se fizerem o que lhes mando.” — João 15:10-14
      Assim, do ponto de vista cristão, o principal é amar a Deus, primeiro e mais importante mandamento. Amar o que Ele ama e odiar o que Ele odeia. Saliento que Deus e os verdadeiros cristãos odeiam práticas e não pessoas.

  • Tercio Lemos

    As abortistas são pessoas realmente ingratas com a vida que tem, e que tentam aniquilar a vida que elas não querem!

  • Newton (ArkAngel)

    O Imperativo categórico de Kant deve ser aplicado neste caso.
    Qualquer ação que, se aplicada universalmente a todos os seres humanos, resultar em malefícios para a humanidade, deve ser descartada.
    Se deseja que tal ou qual princípio seja uma lei, deve-se aplicá-lo primeiramente em si mesmo antes de aplicá-lo aos outros.