Editoria MSM


FARC e ELN: tiroteios e mortes entre esquerdistas

 PCC-FARC e o ELN abriram outra vez seu volumoso livro de carnificinas.

Educação em que a verdade importa


Lembremo-nos dos grandes livros escritos por grandes homens, como Chesterton, Eliot, Lewis e Waugh.

Resultados de uma investigação: A conexão Soros-Islã-Obama

O dinheiro de George Soros e a líder da Muslim Advocates (defensores dos muçulmanos) atuaram de forma
sistemática no enfraquecimento das políticas de segurança interna nos Estados Unidos.
É o que fica evidente após as investigações do IPT – Projeto Investigativo sobre Terrorrismo.

Uma entidade muçulmana de assistência jurídica, abarrotada com os 1,8 milhões de dólares em doações das Open Society Foundations de George Soros (OSF), tem ajudado a influenciar em mudanças políticas importantes na guerra contra o terror, inclusive na triagem dos indivíduos com suspeita de laços terroristas do Departamento Segurança Interna e no programa de formação do FBI para seus agentes que trabalham no combate ao terrorismo.

Ministro alemão: “estamos num período mais perigoso que a Guerra Fria”

Há muitos anos encontrei-me com um produtor caipira de mel. Ele tinha um gavião preso e como alimento lhe passava uns pardais vivos. Esses ficavam silenciosos e enregelados até o gavião acabar com eles.

Não gostei da cena e esqueci. Mas ela ressurgiu da minha memória quando li que o imenso aeroporto parisiense de Roissy-Charles-de-Gaulle ficou absolutamente paralisado durante uma hora no meio-dia da quinta-feira 6 de outubro enquanto um avião vindo da Rússia em missão de reconhecimento voava no espaço aéreo próximo. Nenhum avião civil decolou ou pousou.

Uma palavra ao revolucionário


Caro revolucionário,

Começo por pedir-te desculpas pela minha cobardia, uma vez que falo de indivíduo para indivíduo e não me dirijo a um colectivo. Sei que me devia endossar não a ti mas aos revolucionários como um todo, e também devia adoptar uma posição defensiva e receando a vossa força grupal avassaladora. Lamento não ser humilde o suficiente para me colocar, inerme, debaixo das vossas botas em marcha. Talvez um dia aprenda a ser pisado com resignação ou, melhor ainda, me junte a vós e aprenda a pisar os opressores. Até lá, apenas sei falar assim, de igual para igual.

Epicamente saloios: Quem é o futuro secretário-geral da ONU?

Depois do último 5 de outubro, é imperativo mudar o tema do feriado. A implantação da república em Portugal não excita ninguém – foi há mais de cem anos e deu origem a um dos períodos de maior bandalheira da história da Europa e arredores – pelo que é tempo de celebramos as peculiaridades do modo de ser português. Assim, sugiro que se substitua pelo ‘dia da saloiice nacional’ ou ‘dia da carneirada lusitana’.

Porquê no dia 5 de outubro? Porque neste feriado abriu o MAAT e se soube que António Guterres (na foto, com Chávez, em 2001) seria o novo secretário geral da ONU. E o país ficou transbordado de alegria como se Trump se desfizesse no ar, com revelação de afinal o candidato ser somente um holograma inventado por um cientista com um retorcido sentido de humor.

Islã: “meninas cristãs são bens a serem arruinados ao bel prazer, abusar delas é um direito”

Os jihadistas do Estado Islâmico riem e brincam sobre a compra e venda de
escravas sexuais yazidis mostrado em um vídeo de propaganda.

A Lei Islâmica (Sharia), sempre severa, é mais severa ainda com as mulheres. De acordo com o Alcorão, os homens têm a “autoridade” sobre as mulheres e têm o direito de espancá-las se elas forem “desobedientes” (4:34). Segundo Maomé, profeta do Islã, as mulheres são menos inteligentes do que os homens — o testemunho de um homem equivale ao testemunho de duas mulheres — e a maior parte da população do inferno é composta de mulheres, que se assemelham aos burros e cachorros quanto à habilidade de desviar a atenção do homem da reza, consequentemente anulando-a.

A Rússia e a bomba de pulso eletromagnético (EMP)


A Rússia vem desenvolvendo uma arma ultra-sofisticada que pode destruir a rede elétrica dos Estados Unidos e condenar à morte milhões de pessoas.

E pior: aliados de Vladimir Putin também já possuem ou estão em vias de obter tal arma, o que pode mudar o equilíbrio de forças a favor de nações inimigas da democracia.

O Nobel da Paz fajuto e o petróleo para a Noruega

Quando a presidente do Comitê Norueguês do Nobel, Kaci Kullmann Five (foto), anunciou, no passado 6 de outubro, a decisão de outorgar o Prêmio Nobel da Paz 2016 ao presidente colombiano Juan Manuel Santos, os observadores de todo o mundo ficaram estupefatos. O titular do diário italiano Corriere della Sera se perguntava se a eleição tinha sentido; o espanhol El Mundo o considerou inapropriado e The Wall Street Journal o rotulou de estranho. Depois de tudo, Santos obteve o prêmio por seu papel em um processo de paz de seis anos com o bando narco-terrorista FARC, cujo acordo foi rechaçado pelo povo colombiano. Só 17% dos possíveis votantes o respaldou. Kullmann Five alegou que o galardão foi concedido em reconhecimento ao trabalho realizado, com a Noruega como país fiador, e para alentar a busca da paz. Porém, o móvel real de tão extravagante decisão pode-se encontrar, como ocorre com muitos países que fazem parte do duvidoso processo de paz na Colômbia, em interesses econômicos, especificamente, petróleo.

Análise às análises de debates políticos

As análises que se fazem aos debates políticos, sobretudo os mais mediáticos, são tão ou mais importantes que os mesmos. Elas condicionam fortemente as apreciações do que teria acontecido nos debates, e começam a logo a fazer isso por antecipação, com o comentários sobre o que os candidatos supostamente dirão e que posturas irão adoptar. Há quatro formas genéricas de analisar um debate: (1) análise ao nível das propostas; (2) análise ao nível do confronto pessoal; (3) análise ao nível da eficácia dos debatedores face ao público; (4) análise ao nível da personalidade dos envolvidos. Em geral, as análises puras são raras, e os comentadores optam por uma mistura de cada uma destas variantes, mas quase sempre colocam uma ênfase maior num dos tipos. Cada uma delas tem os seus méritos e deméritos, obviamente.