Humor


Prefácio: O Manifesto Cartunista – A Esquerda na Mira do Humor, de João Spacca

N. do E.: Adquira o novo livro do cartunista João Spacca aqui. O Manifesto Cartunista – A Esquerda na Mira do Humor Prefácio de Heitor De Paola As trevas descem sobre a Gália Brazilis, as tropas bárbaras do César Vermelho avançam inexoravelmente sobre a cultura, a educação, sobre as mentes dos escribas, professores e artistas, […]

O ritmo moroso da Justiça

Um site obsceno

Quando a mulher repentinamente entrou na sala, o marido, num acesso de pânico, bateu a tampa do laptop com tanta força que o frágil fecho de plástico chegou a quebrar-se e cair ao chão.
— O que você tava vendo aí? — perguntou, desconfiada.
— Nada não, meu bem. É que me lembrei que está na hora do jornal — e então esticou-se para pegar o controle da TV.
— Muito estranho isso. Faz tempo que você não se interessa pelas notícias.
Ele deu um sorriso amarelo: — Eu me interesso, sim. Eu não gosto é da abordagem desses telejornais, essa coisa chapa branca. 
— Sei… 
O marido ligou a TV e começou a zapear entre diversos canais de notícias. Na ânsia de mostrar-se impassível, quase assoviou. Atento, conteve-se a tempo.— Posso acessar meu email no seu laptop? — tornou a esposa.
Ele fingiu desinteresse: — Ué, e seu celular?

Proposta para a Copa: cotas para japonês

Já que a moda são as cotas raciais, vou dar a minha contribuição.

Proponho uma lei de cotas para japonês em times de futebol. Isso mesmo, cada equipe deverá ter pelo menos um jogador titular de origem nipônica.

A razão disto é muito simples: trata-se de corrigir um erro histórico! Em mais de 100 anos de imigração japonesa, nenhum dos grandes times de futebol jamais teve um único jogador japonês de destaque! Apesar de constituir boa parte da população brasileira, a participação oriental no futebol é zero, nada, nadinha!!

Devemos boicotar o novo livro do Olavo de Carvalho?

CAMARADAS!

O partido da classe trabalhadora, o Partido Vanguar da Popular ©, é chamado para liderar as massas oprimidas na luta contra mais uma temível agitação ultrarreacionária e antiprogressista. Só o Partido do Povo está em condições de agrupar, educar e organizar a vanguarda do proletariado. Somente a submissão da consciência individual aos parâmetros normativos do Partido pode libertar a humanidade.

Diante do lançamento do novo livro do Olavo de Carvalho, O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota, questiona-se qual deve ser a atitude dos operários conscientes. Pela primeira vez surgiram divergências dentro do nosso Partido. A controvérsia, no entanto, é de natureza tático-estratégica.

O Rolex e o Celular

celjesusDigamos, por motivos de pura ironia, que seu nome seja Christian, uma vez que se mostrou tão irritado — em outra conversa velha de um ano, e que agora não vem ao caso — ao tratar das “desprezíveis” raízes cristãs (the christian roots) do Ocidente. Christian, um diretor de cinema brasileiro, basicamente de curtas-metragens, me foi apresentando como sendo curador de uma relevante mostra de cinema do Rio de Janeiro. “Não se preocupe”, me disse, “pelo que ouvi falar a respeito do seu filme, com certeza irei gostar muito”. Eu não estava preocupado, mas quis saber o que ele ouvira. “Ué, bróder, me disseram que seu curta é uma porrada no estômago. Fiquei curioso. Se eu curtir, ele poderá ser selecionado pro meu festival.” Corria o ano de 2007, ano em que eu rodara meu filme Espelho, a suposta “porrada no estômago”, e, naquele momento, estávamos na festa de encerramento de mais uma edição da Goiânia Mostra Curtas, taças de vinho à mão, enquanto, ao nosso lado, uma fila se formava para o bufê que já começara a ser servido. Era noite e o pátio da Secretaria de Cultura estava abarrotado de cineastas, atores, políticos, empresários e culturetes em geral, todos muito satisfeitos em participar de um evento do gênero. Era como se uma atmosfera cosmopolitana tivesse subitamente descido sobre a cidade. Nada como testemunhar que o cinema goiano, em particular, e o brasileiro, em geral, parecia ter finalmente tomado impulso — muito embora não se soubesse exatamente em qual direção…

Os Três Porquinhos Reaças

Era uma vez três porquinhos: Cícero, Heitor e Prático. Um belo dia, os três porquinhos decidiram sair da casa de sua mãe e construir as próprias casas. Cícero construiu para si uma casa de palha, Heitor, uma casa de madeira, e Prático, uma casa de tijolos. Cícero e Heitor construíram rapidamente suas casas, enquanto Prático demorou mais para construir a sua, já que era mais difícil erguer paredes de tijolos do que de palha ou de madeira.

Certa vez, apareceu um lobo nas redondezas. Movido por sua natureza predatória, o lobo quis devorar os porquinhos. Indo à casa de Cícero, o lobo bateu à porta. Cícero se escondeu, mas o lobo derrubou a casa com seu poderoso sopro, fazendo Cícero fugir. Em seguida, o lobo foi à casa de Heitor, que também se escondeu quando o lobo bateu à porta. Novamente, o lobo usou seu sopro poderoso, derrubando a casa do segundo porquinho, que fugiu para a casa de seu irmão Prático – onde encontrou Cícero, que fugira para lá antes.

A Marcha do Vadio, ou: Soneto do novo Calígula

O imperador devasso ressuscita no Brasil e faz o maior sucesso.

Pelado e altivo, sairei pelas praças

Com meu peru à mostra, ereto e duro,

E mandarei marcar com ferro em brasa

Quem nele veja algo de feio e impuro.

A Marcha do Vadio, ou: Soneto do novo Calígula

O imperador devasso ressuscita no Brasil e faz o maior sucesso. 

 

Pelado e altivo, sairei pelas praças

Com meu peru à mostra, ereto e duro,

E mandarei marcar com ferro em brasa

Quem nele veja algo de feio e impuro.

                         

Do alto dos templos tocarei punheta

E por força de lei será proibido

Conjeturar que há nisso troça ou treta

Ou coisa de maluco pervertido.

 

Mostrar o pau em público é um direito,

O cume da moral e da beleza,

Ao qual ninguém pode negar respeito.

 

Sou o novo paradigma, pois tarado

É quem sente conforme a natureza

Em vez de ceder tudo à moda e ao Estado.

Gente decidida é outra coisa…

Enquanto esquenta a disputa entre os republicanos para a escolha do anti-Obama, do outro lado do mundo há um pessoalzinho, louco para armar uma guerra contra o Ocidente, sem nenhuma dúvida sobre quem deve ser o próximo presidente dos EUA.