Cuba, líder do tráfico humano

O Estado cubano “é provavelmente o maior e mais rentável traficante de pessoas do mundo”.
Com estas palavras, testemunhou recentemente ante o Congresso dos Estados Unidos a diretora executiva do “Archivo Cuba”

[1]
, Maria Werlau, detalhando como Cuba administra o gigantesco negócio do tráfico humano através de inúmeras entidades estatais.

O governo cubano começou em 2005 uma exportação misteriosa ao Brasil, durante o governo de Lula da Silva, de tecidos humanos e outras glândulas e partes do corpo humano de origem desconhecida.

Cubanos, não tenham medo!

A nação cubana leva décadas em franca deterioração. Seus filhos são os que devem restaurá-la.

É uma demanda que se ouve em Cuba desde há décadas, porém que lamentavelmente não foi atendida pela maioria dos ilhéus que reclamam a governos estrangeiros, os direitos e oportunidades que possivelmente não foram capazes de exigir em seu país.

A “ressurreição” de Stalin na Rússia

O culto de Stalin está voltando na Rússia de Putin: veneração do túmulo na Praça Vermelha, Moscou.

Os comunistas russos declararam 2016 o “Ano de Stalin”, em comemoração pelos 80 anos da constituição soviética redigida por ele em 1936.

O líder marxista dizia que era “a mais democrática do mundo”, embora tenha sido o ponto de partida para o massacre de milhões de seres humanos, escreveu o jornal “El Mundo”, de Madri.

Países socialistas e BRICS lideram fluxo de dinheiro ilegal


Países socialistas lideram fluxos de dinheiro ilegal.
Confira relatório mundial completo em PDF.

A demagogia “progressista” e socialista se empenha em atribuir aos países livres com economias prósperas e às suas classes dirigentes todos os males da corrupção e das ilegalidades financeiras.

China exporta modelo de repressão da Internet

A agência oficial chinesa de notícias Xinhua pediu o fim do “livre fluxo da informação” para acabar com a primazia dos EUA na Internet. Como que ecoando vozes do PT (ou vice-versa?), o órgão comunista afirmou: “Chegou a hora de reestruturar o governo global da Internet”.

Em outubro de 2015, um representante chinês propôs na Assembleia Geral da ONU a imposição de um “código de conduta” sobre a web mundial, com o evidente beneplácito da Rússia e dos governos bolivarianos.

O presidente comunista chinês Xi Jinping abriu na cidade de Wuzhen a segunda Conferência Internacional de Internet, segundo informou o jornal espanhol “El Mundo” em dezembro. O país não podia ser mais mal indicado, pois a China comunista esmaga a Internet com uma vigorosa e injusta censura e uma espionagem policialesca.

Putin confessa: “sou comunista”

“Eu gostava muito e continuo gostando das ideias socialistas e comunistas”, reafirmou no dia 25 de janeiro o presidente Vladimir Putin durante o 1º Foro Inter-regional da Frente do Povo de Todas as Rússias, em Stavropol, no sudoeste da Federação Russa, segundo a agência de Moscou Interfax.

E para afastar qualquer dúvida, acrescentou:

“Vocês sabem que, como mais de 20 milhões de cidadãos soviéticos, eu fui membro do Partido Comunista da URSS. E não somente fui um membro do partido, mas trabalhei por quase 20 anos para uma organização conhecida como Comitê para a Segurança do Estado”, o nome por extenso da KGB.

400 milhões de abortos na China: Esse é o futuro “verde” proposto na COP21?

Mais um aborto forçado: agentes da planificação oficial prendem Zhong Xuexiang, em 21 de janeiro 2014.

O governo da China comunista informou por meio do jornal oficial Diário do Povo que todo ano pratica 13 milhões de abortos. Desses, 62% são feitos em mulheres com idade entre 20 e 29 anos, na maioria solteiras, segundo a agência ACIPrensa.

1958: o plano comunista e os acontecimentos na América hoje

Nota de Heitor de Paola:
Entre 1958 e 1960 o Politbüro do PCUS, reconhecendo as deficiências industriais e agrícolas e a crise geral do sistema (soviético) (…) causada inclusive pelo vazamento dos crimes de Stalin (…) elaborou uma nova estratégia de dominação mundial. Sielepin, então Diretor do KGB (…) demonstrou que não havia mais lugar no mundo para levantes populares vionletos. A nova estratégia de longo prazo, baseada inclusive nos estudos de Gramsci e um retorno a Lenin, visaria objetivos intermediários. (…) Foi planejada então a futura Perestroika, finalmente implantada por Gorbachev em 1985.
(Trechos do livro O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial, cuja 2ª edição sairá nos próximos dias).

Cleon Skousen, um ex-agente do FBI escreveu “The Naked Communist” (O Comunista Nu), que foi publicado em 1958. Ele listou 45 áreas nas quais acreditava que os objetivos comunistas seriam aplicados para transformar radicalmente a América. Alguns anos mais tarde, em 1963, a lista de Skousen foi introduzida no Congressional Record (Arquivo do Congresso) dos EUA pelo deputado Albert S. Herlong Jr. (D-FL).

O arquipélago cubano

Meio milhão de seres humanos passaram pelo Gulag de Cuba. Como a população total de Cuba é de apenas cerca de onze milhões, isso dá ao despotismo de Castro a maior taxa de encarceramento político per capita na terra.

Nota do editor do site TruthRevolt:
A polícia cubana prendeu líderes dos dissidentes cubanos no domingo, numa tentativa de impedi-los de encontrar o Papa Francisco enquanto ele estava celebrando sua primeira missa em Havana. Nesta ocasião, TruthRevolt republica o artigo de Jamie Glazov de nossa edição de 26 de dezembro de 2014, que apresenta uma análise aprofundada da brutalidade cruel e sádica do regime de Fidel Castro.

Louco de raiva eu vou manchar meu rifle de vermelho, abatendo qualquer inimigo que cair em minhas mãos! Minhas narinas se dilatam, enquanto saboreiam o cheiro acre da pólvora e de sangue. Com a morte de meus inimigos preparo meu ser para a luta sagrada e juntar-me ao proletariado triunfante com um uivo bestial.
Ernesto ‘Che’ Guevara, Diários de Motocicleta

O insólito Alan Gross


Alan Gross não desfrutou de nenhuma das vantagens dos espiões cubanos nas prisões norte-americanas.

Há ao menos dois informativos que pretendem apresentar eventos ou situações difíceis de entender e aceitar. O mais conhecido é o “Acredite ou não” de Ripley, mas também há o micro radial “Nosso Insólito Universo”, no qual narram-se acontecimentos extraordinários, eventos misteriosos e estranhos, para os quais é difícil encontrar uma explicação.

Em qualquer destes exemplos caberia a decisão de Alan Gross de se somar aos que trabalham a favor das viagens a Cuba e procuram incrementar as relações comerciais entre os Estados Unidos e a ditadura insular, sem exigir do governo de Havana mudanças substanciais nas injustas leis que o conduziram à prisão, as mesmas que possibilitaram o fuzilamento de milhares de pessoas e o encarceramento de centenas de milhares.