“Progressistas” se revigoram na tragédia moral do país

No dia 27 de novembro, zapeando na TV a cabo, passei pela Globo News exatamente quando a apresentadora do Estúdio I, Maria Beltrão (foto), perguntou aos universitários que completam a mesa do programa: “Qual o estreito limite entre o conservadorismo e a extrema-direita?”. De saída, Maria já entendia tratar-se de um limite “estreito”. E não […]

Flávia Tavares, uma criminosa – Olavo comenta entrevista à Época

Na matéria da Flávia Tavares, não há uma linha sequer que se aproveite, exceto como prova de crime de calúnia e difamação. * O problema da Flávia Tavares não é ser “esquerdista”. É ser simplesmente uma criminosa. * Não se deve jogar pérolas aos porcos, mas também não é certo julgar que alguém seja um […]

Análise às análises de debates políticos

As análises que se fazem aos debates políticos, sobretudo os mais mediáticos, são tão ou mais importantes que os mesmos. Elas condicionam fortemente as apreciações do que teria acontecido nos debates, e começam a logo a fazer isso por antecipação, com o comentários sobre o que os candidatos supostamente dirão e que posturas irão adoptar. Há quatro formas genéricas de analisar um debate: (1) análise ao nível das propostas; (2) análise ao nível do confronto pessoal; (3) análise ao nível da eficácia dos debatedores face ao público; (4) análise ao nível da personalidade dos envolvidos. Em geral, as análises puras são raras, e os comentadores optam por uma mistura de cada uma destas variantes, mas quase sempre colocam uma ênfase maior num dos tipos. Cada uma delas tem os seus méritos e deméritos, obviamente.

EUA: mídia blinda Obama e Hillary do fracasso na Líbia

Com um novo relatório do Parlamento britânico condenando a decisão do seu próprio país de ajudar a intervir na Líbia, a grande mídia começou a reescrever a história. O revisionismo da mídia visa reparar o legado danificado da política externa de Obama culpando outros países, especialmente França e Inglaterra, pela decisão de intervir na Líbia.

Um artigo da CNN escrito com tal propósito traz a manchete, “a intervenção na Líbia pela Grã-Bretanha levou a um crescimento do ISIS, constata investigação.” Angela Dewan escreve, “a intervenção militar da Grã-Bretanha na Líbia foi baseada em” inteligência imprecisa”e “suposições erradas”, conforme constatou reportagem divulgada quarta-feira, acusando o ex-primeiro-ministro David Cameron por não desenvolver uma estratégia inteligente para a Líbia. “No entanto, ela acrescenta,”os Estados Unidos se envolveram e desempenharam um papel fundamental. “

Horário livre para crianças e adolescentes é banido da televisão brasileira

bbA televisão brasileira, que já estava longe de ser recomendavel para qualquer pessoa – seja jovem ou adulto – que deseja sinceramente cumprir com os Mandamentos da lei de Deus, agora recebe carta branca do STF para apresentar conteúdos violentos e erotizados a qualquer horário do dia.

A nova regulamentação entrou em vigor no dia 1 de setembro, e foi comemorada pelas emissoras, que apresentaram o fato como um benéfico “fim das restrições à liberdade criativa” e uma possível redução de custos com seus departamentos responsáveis pelas censuras. “[A restrição de horários] era um ranço de subdesenvolvimento cultural do país”, de acordo com Gustavo Binenbojm, advogado da Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV).

Turquia: proliferação generalizada de estupros infantis, apagão na mídia

Letreiro eletrônico no Aeroporto Ataturk em Istambul exibido no mês passado: “aviso aos passageiros! Você sabia que a Suécia tem o maior índice de estupros do mundo?” O tuíte foi publicado em resposta a um tuíte da Ministra das Relações Exteriores da Suécia Margot Wallström em sua página oficial: “a decisão turca de permitir relações sexuais com crianças menores de 15 anos deve ser revogada. Crianças precisam de mais proteção, não menos, da violência e do abuso sexual.”
(imagem: captura de tela da Reuters)

A Turquia mais uma vez ameaçou rasgar um polêmico acordo que trata dos migrantes e enviar centenas de milhares de candidatos a asilo para a Europa se, em questão de meses, não for concedido aos seus cidadãos isenções de visto para a União Europeia.

Estão fazendo você de trouxa

Dias atrás ocorreram dois fatos aparentemente desconexos e que têm sido abundantemente explorados pela mídia de massa.

Fato 1: numa favela do Rio de Janeiro, uma jovem de 16 anos de idade manteve relações sexuais com dezenas de homens, boa parte deles menores de idade. O fato foi denominado “estupro coletivo”.

Fato 2: numa perseguição policial na zona sul da cidade de São Paulo, um menino de 10 anos de idade morreu atingido pelo disparo de um policial. Instantes antes, ele havia roubado um carro num condomínio com o auxílio de outro menino, de 11 anos de idade.

O surto de ocupações fascistas nas escolas

Bem feito para a Rede Globo que se presta para dar cobertura a uma traquinice daquelas e, depois, se sujeita a ser acusada, também ela, de fascista e de golpista quando cobre algum evento onde haja petistas.

A cena apresentada pela Globo News era inacreditável. Uma dessas que a gente costuma ver no YouTube, filmada por celular, em posição vertical e tela estreita, estava sendo exibida ao país por uma emissora de grande audiência, em tela grande e HD. O ato, transcorrido no palco do auditório de uma escola estadual do Rio, tinha certa imponência. Casa cheia. À mesa diretora dos trabalhos, um grupo de adolescentes comunicava ao mundo sua soberana decisão de encerrar a ocupação que já levava 56 dias. Sentado entre eles, o chefe de gabinete do secretário de Educação do Rio de Janeiro. Imagino que até a Unesco festejou a notícia. Ufa!

Crueldade prática

Lucas Pereira, assassinado por pervertidos.

Como seria bom não ter razão!

Semana retrasada, descrevi na minha coluna semanal na Gazeta do Povo a crueldade criminosa das instituições internacionalistas de fartíssimos bolsos que ora combatem a família, que corretamente percebem como enorme obstáculo à dominação ditatorial de toda a sociedade de que ela é a base. Entre tantos outros grupos, vitimam as pobres pessoas que da noite para o dia se convencionou chamar “transexuais”, aproveitando-se de seus problemas de identidade e autoestima para convencê-los não apenas de que são o que não são, como que devem esperar que toda a sociedade partilhe de seus delírios e os trate como membros do sexo oposto.

“Mamãe me acode!”

O que acontece na vida real dos desempregados não entra nas cogitações de sindicatos e centrais sindicais, partidos de esquerda e, tudo indica, Justiça do Trabalho.

Sou um leitor interessado no que escrevem colunistas, articulistas e editorialistas. Interessa-me menos o que as pessoas falam do que aquilo que escrevem. Verba volant, scripta manent, diziam os latinos. As palavras voam, o que se escreve fica. Por experiência sei, também, que quem escreve, pensa cada palavra, pesa seu efeito, verifica sua adequação ao conteúdo e à forma do texto.