1. Brasil
  2. Colunistas
  3. Destaques
  4. Governo do PT

2018: Hora de “fazer o diabo”, de novo

22 de novembro de 2017 - 18:55:42

Se há algo que sabemos sobre as  potências das trevas é que elas não mudam de caráter nem de objetivo.

 

Novamente é quase três da madrugada na  necrópole da República. Hora de cultos satânicos, quebrantos e esconjurações. Ágeis como drones, bruxas esvoejam entre lápides e ciprestes. Taumaturgos de colarinho branco presidem cerimônias.

Quem ainda não percebeu, em breve será arrastado para as consequências destes dias. Neles se reproduz o ciclo repetitivo e funesto muito bem definido por Dilma em 14 de março de 2013. Antecipando, então,  campanha eleitoral em João Pessoa, ela afirmou que “Nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição, mas quando estamos no exercício do mandato, temos que nos respeitar”.

O público presente talvez tenha tomado a primeira oração como exagero e a segunda como compromisso. No entanto, o diabo foi feito e o desrespeito derrubou a casa. Um ano e pouco mais tarde, já com a disputa eleitoral em marcha, ante público de seu estado natal, Lula disse a Dilma: “Eles não sabem o que nós seremos capazes de fazê, democraticamente, pra fazê com que você seja a nossa presidenta por mais quatro anos neste país”. Os meses seguintes contêm minuciosa narrativa daquilo que, de fato seria feito, “democraticamente”, para assegurar mais quatro anos para a presidenta. É do diabo que estamos falando.

Se há algo que sabemos sobre as  potências das trevas é que elas não mudam de caráter nem de objetivo. O discurso de Lula aponta para a volta ao seu pior estilo, aquele anterior à carta ao povo brasileiro, com ódio exacerbado, afinação bolivariana e cheiro de enxofre.

Cenários como os que se desenham para 2018 fazem parte da nossa tradição presidencialista. As “virtudes” tomadas em maior conta no recrutamento dos presidenciáveis jamais influiriam na escolha de executivo para uma pequena empresa que almeje sucesso. Mas, se é para presidir a república, tendo voto, qualquer um serve.  Causa angústia saber que, periodicamente, apostamos o presente e o futuro do país num cassino eleitoral matreiro, desonesto, onde, em acréscimo a tudo mais, sequer as urnas são confiáveis.

Em menos de um ano saberemos quem dirigirá a república no quadriênio entre 2019 e 2022. Até lá, vamos para o mundo das trevas, onde tudo é incerto. A irracionalidade do sistema de governo e o vulto dos poderes em disputa, concentrados em uma única pessoa, levarão insegurança e instabilidade ao desempenho dos agentes econômicos. Dependendo do lado para onde for a carroça, cairá a Bolsa, subirá o dólar, cessarão os investimentos. Afinado com as bruxas, o parlamento só se interessará por doces (agrados e favores) e travessuras (contas ao pagador de impostos). Tudo virará moeda nas mãos de quem tocar o sino na hora do diabo.

A revista The Economist divulga um índice de democracia pelo qual 167 países são pontuados em relação a processo eleitoral e pluralismo, funcionamento do governo, participação política, cultura política e liberdades civis. Entre os 20 primeiros lugares, apenas os dois últimos são presidencialistas. E nós estamos no 51º lugar. Um dia a ficha cai e exorcizamos esse modelo político.

* * *

O Brasil não era assim
Se você ainda não está naquela fase da vida em que a gente começa a ser chamado de tio ou de tia, talvez não saiba o que vou lhe contar: o Brasil não era assim. É muito possível que professores lhe tenham dito que o Brasil é uma zona desde que os portugueses fizeram um loteamento no litoral brasileiro. Mas isso é falso. Nossa tragédia federal, estadual, municipal, fiscal, educacional, judicial, eleitoral, familial e moral não a herdamos de Portugal.

O que você vê e denuncia é deliberada construção da corrente política que se assenhoreou da consciência do povo brasileiro. Para alcançar esse objetivo, incutiu-lhe o que de pior se pode coletar na filosofia e no pensamento político contemporâneo. Não, não se chega ao ponto em que estamos sem que isso seja produto de deliberadas ações políticas e culturais.

Senão, vejamos. Estímulo a toda possibilidade de conflito entre classes sociais, entre masculino e feminino, entre brancos e negros, entre homossexuais e heterossexuais, entre filhos e pais. Deliberada confusão entre autoritarismo e exercício da autoridade. Contenção da polícia e proteção ao bandido; vitimização deste e culpabilização de sua vítima. Redução da autoridade paterna, demasias do ECA, diluição do sentido de família num caleidoscópio de variantes afetivas. Laicismo e interdição à religiosidade e à moral cristã. Incentivo político e tolerância judicial a ações violentas contra a propriedade privada. Desumanização do humano e “humanização” dos animais. Justa proteção à flora e à fauna, às reservas naturais, aos santuários de procriação e desova, em berrante paradoxo com o estímulo ao aborto. Recursos públicos para a marcha das vadias, parada gay e marcha pela maconha. Hipertrofia do Estado, corporativismo e aparelhamento da máquina pública. Escola com partido, kit gay, ideologia de gênero. Desvio de recursos das atividades essenciais do Estado para abastecer os fazedores de cabeças no ambiente cultural, tendo como resultado a degradação da arte e do senso estético. Combate sistemático ao bem e ao belo.

O consequente crescimento da criminalidade, da insegurança e das muitas formas de lesão à vida e ao patrimônio das pessoas é respondido com desencarceramento, abrandamento das penas, abandono do sistema carcerário e desarmamento da população ordeira.

Ter posição adversa aos itens listados acima é obrigação cívica, dever moral. É uma justificada repulsa que não atinge diretamente quem quer que seja, mas atitudes e condutas que, estas sim, afetam a vida das pessoas, suas famílias e a sociedade. Portanto, são males políticos e morais e, por motivos que saltam aos olhos de todo observador, provêm da mesma banda do leque ideológico. Qualquer exceção é ponto fora da curva e como tal deve ser vista. As naturezas são diversas, mas bebem água na mesma fonte.

No entanto, se você os denunciar, se mostrar a malícia de sua natureza e a necessidade de mudar diretrizes na vida social e política, surgem os xingamentos: Discurso de ódio! Preconceito! Censura! Fascismo! Direita raivosa! Quem perambula, ainda que eventualmente, nas redes sociais, por certo se depara com esses adjetivos sendo despejados sobre aqueles que cumprem o dever cívico de rejeitar o intolerável.

A situação e os problemas descritos decorrem da sistemática destruição dos valores que a eles se opunham quando o Brasil não era assim. Para os destruir, investiu-se contra a família como instituição fundamental da sociedade e se combateu a Igreja até a anulação de sua  influência.

 

http://puggina.org

 

 

  • Roberto Lima Oliveira

    Excelente descrição do caos no Brasil!

  • Sandro Lopes

    De acordo com quase tudo. A exceção fica por conta da igreja, que no Brasil abriu as suas portas a uma pauta “progressista”, que vai desde invasão de terras, proteção exacerbada aos indígenas e a mãe natureza e pasmem, sacristias transformadas em diretórios partidários.

    • Luis Campos

      A questão indígena é talvez a única que me impede de aceitar a direita. Acho isso uma perseguição descabida. Além de tudo é contra o princípio da propriedade privada: por que ninguém pergunta quantos porcentagem das terras estão na mão de poucos latifundiários???

      • Sandro Lopes

        Luís as reservas indígenas ocupam cerca de 11% do território nacional e não produzem nada.

  • Lucas Santos Amaral

    O Brasil não foi fundado em 2002… ele foi sepultado em 2002… alguns estão tentando ressuscitá-lo… mas tá difícil… as ostes de mãra estarão dificultando tudo para os filhos da luz atinjam sua liberdade…

    • Otavio

      A ocupação cultural esquerdista da década de 70 resulta nisso, Lucas. O auge, a excelência, o cume dessa ocupação se deu em 2002. Com tudo dominado, o movimento esquerdista tem o aval de reescrever a história e julgar que o Brasil só é divido em duas eras : Antes e depois de 2002. É basicamente a mesma linha de raciocínio que a China e a Coréia-do-Norte aplicam na massa ignara. Porém, aqui no Brasil, o mecanismo é muito mais sofisticado e duradouro. Não tem mais volta. O Brasil como a gente conhecia morreu !

      • Rafael

        Não mudou nada, sempre foi essa terra violenta, excludente e racista, em 2002 a única coisa diferente foi o simbolismo de um partido vindo da esquerda chegar ao poder, mas tão logo chegou conciliou com o que tinha de mais atrasado.

        • Jorge Lima

          Rafael você realmente acredita que a esquerda nunca dominou esse país? Que mentalidade revolucionária , é só uma invenção de Olavete? Que o PT se corrompeu ? Que o povo brasileiro de verdade é o MST? O Brasil vai mal há muito tempo , 2002 foi o avançar da longa marcha da vaca para o brejo.

          • Rafael

            Ocupou quando Jorge? Nas regencias? No Primeiro Reinado? No Segundo? Na Era Vargas? Na época do JK? Jango? Quando a esquerda teve preponderância política? Quando teve dinheiro para manter deputado, senador, fazer seus projetos passarem? Em 2002 o Lula precisou fazer uma carta dizendo que era de esquerda mas nem tanto, fazendo um governo de conciliação de classes,a onde nenhuma pauta de esquerda avançou de verdade. MST não é povo brasileiro, é parte dele.

            Entenda a esquerda nunca teve o controle do Estado, nunca teve poder real. E está apanhando já faz quatro anos…Sem reagir.

          • Mr.SpyBR

            Sim, fomos governados pela esquerda, desde a saída dos militares. Ou Tancredo era de direita? Sarney?
            Todos. Mas todos mesmo. Alternando-se entre Mencheviques/Fabianos que não são dados à força, mas sim à aplicação lenta e gradual do marxismo cultural, e Bolcheviques. Esses últimos tiveram um a avanço formidável em polarizar de vez a nossa sociedade, lançando todos contra todos. O poder de convencimento é tão forte que mesmo noticiando-se que mais de 40 milhões do patrimônio do Lula estão bloqueados, ele continua convencendo muita gente de que é “do povo”. Mas isso vc sabe, Rafael, apenas é mais um pra tentar passar a imagem de que isso é conspiração…

          • Lucas Santos Amaral

            Na verdade, essa “guerra” de faz de conta de facções esquerdistas é só pra jogar pra galera… no final, não há UM deles que não estejam alinhados… a anta destruidora de economias só caiu porque foi muito “INCOMPETENTA” na gestão do estado…rsrsrsrssss… ou tiravam-na ou ela afundava com toda as ratazanas socialistas juntas, incluso os ratos vermelhos de primeiro escalão… isso os vemelhinhos não admitem… passar privação ou correr o risco de uma tomada de Bastilha pela plebe rude ensandecida e sem rumo… 🙂

          • Lucas Santos Amaral

            “Quando estou forte me faço de fraco… quanto estou fraco me faço de forte…”… essa é velha, rafinha…

      • Lucas Santos Amaral

        Tenho algumas razões para acreditar que há uma saída a longo prazo… mas para lhe dizer algo a mais tenho que pesquisar mais… trabalho de formiguinha…

      • Renato

        Eu só discordo em relação à data – o auge dessa ocupação se deu com a promulgação da Constituição de 88, uma constituição toda ela intervencionista e com foco no desenvolvimento pela via estatal.
        Na minha opinião, quem faz as leis, é porque já está no poder. Pelo que sei, em 88, os espaços estavam todos ocupados – na eleição de 89-90, tirando Caiado, todos os demais eram intervencionistas/socialistas. Já não havia ali um único liberal. E nas universidades e repartições públicas era evidente a supremacia deste tipo de pensamento que, à época, apesar da queda do muro de Berlin, não encontrava grande crítica ou oposição aqui no país. Hoje sim podemos dizer que se desenha o fim dessa hegemonia. Mas estamos ainda no início.

  • Rafael

    O Brasil não era assim,kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, por isso que eu gosto desse site, essa falta de vergonha de dizer bobagem é digna dos melhores humoristas.

    • Henrique Resende

      Risadinha é argumento de puta

      • Otavio

        Excelente, Henrique…. Risadinha matreira é argumento de puta.

    • Fred Coutinho

      Rafael, você está rindo da própria piada, uma paródia de você mesmo, humorista aqui é você, ou melhor, o palhaço aqui é você, mas o seu Circo é dos Horrores e você é apenas um idiota útil tentando distrair uma platéia incauta, mas agora o jogo virou e os questionamentos estão vindo sem a preocupação de parecer politicamente correto, estamos na era da verdade ou da mentira, da luz ou escuridão, infelizmente não posso curar você, é muita luz para um ser que só viveu na escuridão, e quando se coloca um ser da escuridão sob a luz, com certeza vai gerar incomodo, e a sua cura não será possível pois o incomodo da luz sobre você, sempre irá gerar um ódio.

      • Jose Carlos Santos

        Fred Coutinho desnudou a alma perdida que é esse tal de Rafael. Sujeito simplório incapaz de ver a realidade que o cerca.

        • Rafael

          Eu simplório? Em um site de gente que acha que o Brasil é dominado pela esquerda? Sério isso? Antes simplório do que delirante.

          • Lucas Santos Amaral

            Mas tu não sai daqui, né, trollzinho ???…

      • Renato Lorenzoni Perim

        Fred, permita-me uma contribuição ao seu comentário, com o qual eu concordo: esse rafael é um idiota INÚTIL, pois não serve pra nada. E ele não precisa de cura, precisa de caráter.

        • nando_dsqs

          Este Rafael é um troll imbecil sem QI algum.

    • Wellington Rossi Kramer

      Rafael é claro que você é mal intencionado, seus comentários buscam sempre inverter a realidade. A outra alternativa seria que pra burro só faltam-lhe as penas.

      • Renato Lorenzoni Perim

        Na mosca, Wellington. Esse rafael realmente não cansa de apanhar aqui. Parece mulher de malandro. Eita cara insuportável.

      • Rafael

        Kramer, esse site é muito curioso, é melhor do que o da revista “UFO” em matéria de conspirações, aqui só trocam os aliens pelos comunistas.

        • Insider

          Fique tranquilo! Estamos chegando…

    • Marcell

      Definição para Rafael: Segundo Engenheiros do Hawai “Eu presto atenção no que eles dizem, mas eles não dizem nada… ”
      Segundo Legião Urbana “… falam demais porque não têm nada a dizer… “

    • Tiago Ribeiro Santos

      “Contra negatem principia non est disputandum.”

    • Lucas Santos Amaral

      Rafinha… vc já é comédia em sí mesmo… não tente ultrapassar o limite da vitimização que vc pratica muito bem sob pena de perder o que vc tem de melhor na sua militância canina: a infantilidade gracejosa… fazer gracinhas não é sua praia… te falta o dom… fica a dica, amizade… 🙂

    • Mr.SpyBR

      Bem, só existem 2 tipos de gente de esquerda. O primeiro é o idiota útil, que qual vaca de presépio apenas concorda com tudo e sai por aí mugindo e irritando as pessoas com um sem número de disparates, preparados por aqueles do Segundo Grupo. Intelectuais Orgânicos, canalhas, a quem o cheiro do sangue dos milhões que morreram para que se atingisse em escala planetária o domínio do Comunismo. Canalhas, assassinos, vermes. Lixo humano.

      • Rafael

        Quanta raiva amigão.

  • Eduardo Prestes

    Tenho mais de 50 anos e posso afirmar que o Brasil não era assim. Em especial em relação à segurança. Antes da década de 80, era possível entrar em qualquer bairro da periferia das grandes cidades sem preocupações, havia respeito entre as pessoas, independente de idade ou situação social. O mesmo respeito que ainda se encontra em boa parte do interior do Brasil, nas pequenas cidades. A violência brasileira é, em grande parte, resultado de uma ideologia, que reivindica direitos sem deveres e criminaliza o cidadão que trabalha e prospera. A mentalidade revolucionária criou a barbárie criminosa de hoje.

    • Osvaldo Pereira Júnior

      Perfeitas colocações!

    • Sebastião José da Silva

      Concordo.

    • Rafael

      A violência brasileira é sim fruto de uma ideologia, uma que privilegia o dinheiro e não as pessoas, que joga mães e pais de família em ônibus lotados e sucateados por duas horas, privando seus filhos de cuidados, uma que arrebenta o meio ambiente, que privilegia o dinheiro e não as pessoas, que excluí e segrega pessoas por classe social e cor da pele. Não colega, não é a “mentalidade revolucionária” que causa a violência, pois o povo brasileiro não possui tal faculdade, e quando ousa ter é tratado como marginal (veja a matéria sobre o MST aqui mesmo nesse sítio), a esquerda nunca esteve no poder, nunca dominou o parlamento de forma eficaz, o máximo que ela faz é gritar, quando pode.

      • Leonardo Afonso

        Rafael dê exemplo então. Pare de usar dinheiro. Já que você diz que o problema é o dinheiro, então livre-se dele

        • tabajara_music

          Mas diga-se, essa foi engraçada: “privilegia o dinheiro e não as pessoas”. O que dizer a quem ignora completamente que o dinheiro é só um meio de troca…

        • fbl

          Esse maluco só fala bosta. Deve ser um esquerdopata desesperado achando que esta fazendo alguma diferença aqui.

      • Alemoon

        Putz rafael, eu até respeito sua opinião, mas discordo de você.

      • Leonardo Afonso

        Rafael uma pergunta, qualquer padaria de qualquer esquina em qualquer cidade do Brasil se vender o pão francês com lucro, você chamaria o padeiro de capitalista burguês opressor? O padeiro é dono dos meios de produção, dono do forno industrial, dono dos móveis e utensílios da padaria, dono de moto e carro para fazer entregas, faz buffet de festas, alguns até são donos do imóvel onde se localiza a padaria, o padeiro contrata funcionários para auxiliar na produção, para ficar no caixa, então pra você se o padeiro obtiver lucro com a venda de pães, roscas, bolos, etc, ele deve distribuir o lucro do negócio dele com toda a sociedade? Deve sair dando dinheiro na rua? O mesmo vale para tantos outros profissionais honestos, trabalhadores, pra você se algum pequeno empresário tiver sucesso e a empresa dele numa empresa grande, ele empresário deve doar todo o lucro pra todos porque é muito excedente, já lucrou demais, possui muito mais do que precisa para viver. Então Rafael entre num partido, seja eleito, forme sua bancada de deputados ou senadores, proponha uma emenda constitucional dizendo que todo empresário no Brasil que conseguir mais de 1 milhão de lucro deve distribuir socialmente com todos. Vai lá Rafael, implante sua justiça ao país, faça sua parte, distribua renda, ou melhor abra uma empresa, contrate funcionários, e distribua o lucro com todos

      • Osvaldo Pereira Júnior

        A violência brasileira é fruto de três coisas;

        1- Falta de aplicação da lei ou simplesmente ausência dela
        2- Desarmamento civil
        3- Intervenção excessiva do estado na econômia

        Um país que não prende ninguém (95% dos crimes não são solucionados) e quando prende o sujeito não fica nem 1 ano preso e quando fica preso tem até visita íntima e nutricionista igual em um SPA.

        Um país que desarma o cidadão de bem e honesto ao mesmo tempo que autoriza políticos ladrões a andarem armados.

        Um país que tem uma das maiores cargas tributárias do mundo, que estrangula o empreendedor e que leva milhões de empresários a falência, que quebra a industria nacional, que inventa direitos trabalhistas achados na privada somente para agradar eleitorado e etc.

        TODAS essas políticas são defendidas pela SUA ESQUERDA!

        Portanto a culpa é da maldita mentalidade revolucionária e por isso ela deve ser extirpada da vida pública e acadêmica o quanto antes.

      • Francisco Cavalcante Carvalho

        Parabéns pela bela análise.

        • Rafael

          Obrigado

      • Kmr Telecomunicações

        Voce não conta 8 anos de FHC, * de Lulla e 5 de Dilma?? è isso que a esquerda faz, discurso de liberdade e igualdade , se encastela no poder, se compõe com a super elite, dá uma quirera pro povo e SAQUEIA TUDO!! PORQUE SÃO BONS, SÃO HONESTOS, SÃO JUSTOS! SÓ MENTIRA E HIPOCRISIA.

    • Alemoon

      Particularmente os escritos de Antonio Gramsci.

    • Ricardo Luis

      Concordo plenamente!

  • Bruno Vicentini

    Tenho 38 anos e, estou assustado como as coisas estão indo mal em nosso país. Nos últimos 20 anos descemos ladeira abaixo, aceleradamente à partir de 2002…

  • Sebastião José da Silva

    Puggina, excelente rabisco! (se me permite o gracejo), mas faltou deixar o link para a pesquisa do The Economist. Grande abraço!

  • João Sena

    Excelente texto. A que ponto o país chegou com a infiltração de ideias perniciosas. No momento atual , onde deputado no regime semi aberto, esconde queijo e biscoito na cueca para comer na cadeia, é o fim da picada.

  • Luiz F Moran

    É revoltante ver que esse vermelho ainda esteja em liberdade, e, mais revoltante ainda é vê-lo figurando em pesquisas eleitorais.
    Que abismo !

  • Luis Campos

    Vergonha esse tribalismo que quer arrancar dos índios pra dar à companheirada, no caso a latifundiária.

  • Leonardo Afonso

    Vejam como a violência piorou e muito no Brasil nos últimos 30 anos.

    Aumento de mais de 124% em 30 anos. Atualmente morrem em torno de 60 mil pessoas por ano no Brasil (uma bomba atômica de Hirochima por ano).

    Fontes:

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/taxa-de-homicidios-cresceu-124-nos-ultimos-30-anos-no-brasil/n1597408258382.html

    https://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=MS4

  • Renato

    Eu acho que nem sempre fomos assim – mas as sementes para que nos tornássemos “assim” já estavam bem plantadas há décadas. Clientelismo, personalismo, Estado grande historicamente foram a tônica de nossa política. Mas o ovo da verdadeira serpente foi chocado ao longo de toda a ditadura militar que, se no curto prazo nos “salvou” do comunismo, no longo prazo estigmatizou o pensamento de direita por décadas e permitiu que na redemocratização o poder fosse entregue justamente aos socialistas de 64. A Constituição de 88 é a serpente nascida: cristalizou a idéia de intervencionismo econômico, inchou o Estado e as contas públicas, ou seja, o mecanismo para que essa turma se eternizasse no poder – estão lá desde 85 e praticamente hegemônicos desde então.

  • fbl

    Alimentem esquerdistas e terão cada dia mais essa república bandida e burocrata, onde o que menos importa é gerar empregos e governar para todos. Como podem os brasileiros serem tão burros de acreditar nesses bandidos? Incrível.

  • Francisco Cavalcante Carvalho

    Com mais de 60, posso afirmar: O BRASIL NÃO ERA ASSIM.
    Na politica, educação, segurança etc.
    E , acredito, que ainda demora um pouco para jogarmos esse lixo fora. Pois ele está enraizado na nossa cultura. É um tumor que após cirurgia de retirada deixa o paciente precisando de tempo de recuperação e adaptação.

  • Rafael Nascimento

    Artigo perfeito do Puggina!

  • Insider

    As esquerdas temem o Levante! Somos fluidos como a água…invisíveis como ar puro…estamos por aqui!
    Nossas famílias crescem com as Bençãos de D’us, Altíssimo; prosperamos sob a miséria de pessoas que se voltam contra Ele e seus mandamentos! Em vinte ou trinta anos teremos um Exército à nossa disposição! Mas não derramaremos uma gota de sangue para alcançar o vosso poder: apenas a escrita que conquista os corações e os colocam na Senda Reta!