1. Colunistas
  2. Cultura
  3. Destaques
  4. Globalismo

A afirmação mais imbecil que já li em 70 anos de vida

3 de janeiro de 2018 - 17:25:56

Charge de Ricardo Almeida.

“Cristo representou avanços no humanismo, mas alguns cristãos transformaram certos valores em dogmas” é, com certeza, a afirmação mais imbecil que já li em setenta anos de vida. Supera, na brevidade de uma linha, todos os feitos lingüísticos da Dilma Rousseff, a qual tinha ao menos o atenuante de proferi-los sem outra autoridade intelectual que não a de um diplominha falso, ao passo que o autor dessa belezura, segundo o seu currículo Lattes, é doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Bruxelas (1984), mestre em Planejamento Econômico e Economia Internacional pelo Colégio dos Países em Desenvolvimento da Universidade de Estado de Antuérpia (1976) e professor em não sei quantas universidades.

Um dogma é, por definição, uma verdade definitiva revelada pelo próprio Deus, ou, em sentido pejorativo, uma afirmação meramente humana, arbitrária, desprovida de evidência ou prova, que pretende, de maneira explícita ou implícita, ter a autoridade de uma proclamação divina.

Quem proclamou os dogmas do cristianismo foi o próprio Jesus Cristo, e não “alguns cristãos”. Foi Ele, e não algum Papa ou teólogo depois d’Ele, quem disse: “O céu e terra passarão, mas as minhas palavras não passarão” e condenou às penas do inferno quem alterasse a forma ou o sentido delas.

Portanto, das duas uma: ou essas palavras são dogmas em sentido estrito, ou são apenas opiniões humanas investidas da pretensão abusiva de passar por verdades divinas. Jesus é Deus ou é um farsante que tenta passar por Deus. “Tertium non datur.”

Ao dizer que Jesus se limitou a defender “valores” ou preferências, sem a autoridade dogmática que lhes teria sido conferida “a posteriori”, Paulo Roberto de Almeida (foto) opta resolutamente pela segunda alternativa, apenas desculpando o farsante por meio da alegação de que teria contribuído para “avanços no humanismo”.

O humanismo, por sua vez, não tem nada a ver com humanitarismo e amor aos coitadinhos. Se Paulo Roberto de Almeida lhe dá implicitamente essa acepção, é para melhor ludibriar os leitores após ter-se ludibriado a si mesmo. O humanismo é um movimento com muitos séculos de história, que começou com um esforço para dar à literatura humana o mesmo valor e importância das Sagradas Escrituras, subiu de tom no “ottocento” com Feuerbach, Stirner, Strauss e Marx reduzindo Deus a uma invenção dos homens e culminou no século seguinte com Antonio Gramsci instituindo a “terrestrialização absoluta do pensamento”, a proibição total e definitiva de qualquer interesse que transcenda a esfera dos assuntos econômico-sociais. Coerentemente, o “Manifesto Humanista” assinado por algumas centenas de celebridades em 1933 já propunha explicitamente a substituição do capitalismo pelo socialismo, e sua segunda versão, de 1973, a dos governos nacionais por uma autoridade supranacional – a essência da ideologia globalista que, segundo Paulo Roberto de Almeida, não existe nem age.

Ao contribuir para esses “avanços”, o grande feito de Nosso Senhor Jesus Cristo teria consistido, segundo a lógica de Paulo Roberto de Almeida, em sumir discretamente do cenário e ceder lugar à Assembléia Geral da ONU.

*

Além de chamar antiglobalismo de globalismo, para confundir-se a si mesmo e a seus ouvintes, Paulo Roberto de Almeida ainda reduz essa idéia à crença vulgar de que uma cabala de bilionários dirige secretamente a História do mundo — e acredita, ou finge acreditar, que, contestando essa lenda urbana, demoliu os meus argumentos. Puro teatro. Na verdade, eu mesmo refutei em termos categóricos a teoria (se chega a ser uma) da cabala onipotente, no mínimo pela razão de que, como apontei no debate com o prof. Duguin, há três globalismos em disputa, cada um limitando a esfera de ação dos outros. Mas para quê um debatedor há de respeitar a inteligência do adversário? Mais fácil é reduzi-lo às dimensões da sua própria microcefalia e esmurrar no banheiro um anãozinho de papelão para não correr o risco de subir a um ringue de verdade.

*

Pela primeira vez na vida me senti ofendido pelas palavras de um oponente. Não pelo tom injustamente pejorativo com que ele se referia a mim — isso é o de menos –, mas pela sua cara de pau de demolir num instante o respeito que eu tinha pela sua pessoa e substitui-lo pela dose mais alta de vergonha alheia que já tive de engolir. Eu não queria ter visto isso. Se pudesse, fingiria que não vi.

 

 

  • Walace Freitas

    Estes dias atrás estava contigo num debate não muito debatedor, para o canal Brasil Paralelo. Visto muito claramente a ininteligência desse sujeito, nada pragmático. Só acho que a Verdade sempre vence. Obrigado Ovalo por mais uma vez nos abrir os olhos. Grande labor é este o seu de intelectualizar pessoas como eu, também ininteligente e nada pragmático. Mas escuto o que busco: A VERDADE. Morrestes, deste sua vida para salvar pessoas desconhecidas. Nenhum mérito é seu, nenhuma honra tu mereces, se quando chegar a hora e estiverdes no chão. Mas tem posto muitas pessoas na sanidade da alma. Enfim, se fosse descrever tudo daria outros dois textos do tamanho desse seu. Mas que Deus tenha piedade de todos nós. E Obrigado pelo serviço prestado com tanto amor e devoção. És tua vocação.

  • Danilo Dalla Vecchia

    Parece-me que Dilmanta também tem currículo em economia .

  • SDJ56

    Poucos se salvam naquele “Instituto Milenium.” E Jair Bolsonaro está começando muito mal ao sinalizar que Paulo Guedes será o homem forte da economia, em seu governo, caso seja eleito.

    • Ellen Souza

      Concordo, ele uma vez participou de um hangout da radio vox com a graça salgueiro. logo logo ele fica sabendo.

  • Luiz F Moran

    Esse episódio é mais uma demonstração da miséria em que se encontra a nossa elite intelectual, se é que ela exista.
    Eu assisti ao vídeo desse encontro mediado pelo Brasil Paralelo onde pude observar o abismo intransponível de conhecimento que existe entre o Olavo e esse economista.
    Olavo foi educado demonstrando com fatos o que afirmava e que está disponível aos olhos de quem desejar enxergar (sem o menor esforço necessário). Olavo ainda ofereceu fontes e mais fontes ao economista, que, armado até os dentes com os seus “dipromas”, se limitava a torcer o nariz indignado e refutar o irrefutável.

  • Rafael

    E olha que de afirmação imbecil….

    • Lucas Santos Amaral

      Vc entende bastante, rafinha…

    • Eluis Ruano

      Falas das tuas proprias no curso dos teus tantos comentarios?

  • Osvaldo Pereira Júnior

    Um debate entre Olavo de Carvalho e Paulo Roberto de Almeida é debate de um debatedor só.

    É como um jogo de futebol que só um time joga e o outro só assiste. Não tem graça nem de assistir.

    Eu tentei assistir o debate mas não consegui pois só quem falava algo com a realidade era o professor Olavo.

  • Liliane Carlos

    É por causa daquela estratégia do socialismo: retirar o sagrado de Jesus tornando-o apenas mais um homem como todos os outros. Se quiser saber mais sobre isto, leia aqui http://carlosliliane64.wixsite.com/magiaeseriados

  • MRBlack Takitos

    Foi triste de ver o debate, os comentários do site do Brasil Paralelo estavam mais produtivos, era como ver um leão esmagando uma formiguinha… Pf. Almeida está anos luz atrás do calibre intectual do Pf. Olavo, este nem fez esforço pra derrubar os argumentos do Pf. Almeida, que cometeu erros simples de lógica e interpretação, como confundir um esquema de poder global com um processo natural civilizacional.

    Queria mesmo é ver o Pf. Olavo debatendo com mentes tão capazes quanto a dele. Sonho com um debate estilo disputatione de cunho religioso entre o Pf. Olavo com indivíduos do nível dele pra debater o assunto, como Augustus Nicodemus, Caio Fábio, Paulo Ricardo e companhia. Isso sim seria algo histórico e de grande produtividade e progresso nas discussões.

  • Helon Ferreira Souza

    foi realmente uma palhaçada ver Paulo Roberto de Almeida, mentir e achar que o seu público é um bando de idiotas, imagino a desculpa que ele fala pra si mesmo todos os dias pra poder conviver com sua verdades e desculpas. Como aprendi com Olavo o psicopata não raciocina de modo normal ele cria uma nova realidade da qual só ele acredita. Vergonhoso ver Paulo Roberto de Almeida

  • Evelyn Petter

    A questão, intrinsecamente, está neste trecho: ….”reduzindo Deus a uma invenção dos homens e culminou no século seguinte com Antonio Gramsci instituindo a “terrestrialização absoluta do pensamento”, a proibição total e definitiva de qualquer interesse que transcenda a esfera dos assuntos econômico-sociais. Principalmente a última frase.
    Mas, claro, tudo não passa de livre-arbítrio e conhecimento como apoio àquele.

  • Cláudio

    Nunca ouvi falar em Paulo Roberto de Almeida, e não sei como as pessoas se deixam influenciar pela opinião dos outros. Nunca precisei de líder, muito menos líder espiritual. Procurem estudar e trabalhar mais que a vida melhora automaticamente.

  • Ricardo Campos

    Prof. Olavo,… Parabéns!

  • Alberto Esteves Gemal

    Os jornais, as TVs e os meios de comunicação estão tomados por ativistas esquerdopatas. Parabens ao Prof. Olavo!

  • Eluis Ruano

    Asisti o hangout integralmente, sobre esse professor e diplomata aposentado observei que emprega a lingua falada com rara clareza e elegancia para oferecer somente, e tao somente, a mesma narrativa oficial de sempre; e evidentemente nao ha qualquer indicio de intelIgencia nisso, nada mais eh do que a boa e exigida performance de um funcionario publico que esta obrigado a defender os proselitismos do Estado e mais propriamente dos governos que gerenciaram a sua carreira. Esse Almeida nao tem o pensamento liberto, se nao eh verdadeiramente burro, ainda assim prefere atuar com se fosse pois ao que parece foi a melhor opção para a sua carreira. Para aqueles que nao sabem, um diplomata aposentando nas mesmas condicoes dele fatura R$530.000,00/ano a titulo de proventos de aposentadoria, logo, sujeitos como ele podem ate se entederem capacitados para diminuir Jesus e oferecer a ONU com sucedaneo