Canadá


“Licença social”: mais um truque sujo da esquerda

Justin Trudeau: legitimando, com um jogo de palavras espúrio, um conceito criado pela militância ecofascista para sabotar iniciativas que fomentem o crescimento econômico.   Licença social é uma daquelas expressões, assim como “apropriação cultural”, ou — tempos atrás — “sociedade civil”, que parecem simplesmente aparecer de repente na existência lexical, quase como vindas do nada, […]

Justin Trudeau: “evangélicos são a pior parte da sociedade canadense”

Comentário de Paula Félix: “Negros são a pior parte da sociedade canadense.” “Gays são a pior parte da sociedade canadense.” “Índios são a pior parte da sociedade canadense.” “Mulheres são a pior parte da sociedade canadense.” “Deficientes físicos e mentais são a pior parte da sociedade canadense.” “Muçulmanos são a pior parte da sociedade canadense.” […]

Alerta do Canadá: o “casamento” gay destrói os direitos fundamentais

Do Veritatis Splendor:
Você sabia que o Canadá é um dos primeiros países do mundo a reconhecer legalmente o casamento homossexual? Isso já faz mais de 10 anos! Muitas pessoas acreditam que o casamento homossexual apenas equipara direitos e não fere a liberdade de ninguém. Na realidade, ele redefine o próprio conceito de matrimônio, paternidade, educação e acaba tendo consequências muito práticas na vida de todo cidadão. O casamento gay é apenas a primeira linha de uma longa agenda ativista de metas que visa em última instância uma reorganização de toda a sociedade. Se você acha que isso não é do seu interesse, talvez se surpreenda com o relato abaixo.
 

Um alerta do Canadá
Dawn Stefanowicz
N.d E: Para conhecer um pouco da história de Dawn Stefanowicz, leia o artigo ‘Criada sob a guarda LGBT e contrária ao “casamento” gay‘.

Nos é dito todos os dias que “permitir a casais do mesmo sexo o acesso a designação de casamento não irá retirar o direito de ninguém”. Isto é uma mentira.

Quando o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi legalizado no Canadá em 2005, a paternidade foi imediatamente redefinida. A Lei do Casamento Gay Canadense (Bill C-38) incluiu a determinação de apagar o termo “paternidade biológica” e a substituir por todo o país com o termo “paternidade legal” através de uma lei federal. Agora todas as crianças possuem apenas “pais legais”, como definido pelo Estado. Apagando através da força legal a paternidade biológica, o Estado ignora um dos direitos mais básicos das crianças: o direito imutável, inalienável e intrínseco de conhecerem e serem formados pelos seus pais biológicos.

Poderá o casamento igualitário resultar em perseguição religiosa?

Está cada vez mais evidente que as virtudes da família cristã não estão incluídas no grupo das ideias “toleráveis”.

“Parece que uma barreira religiosa foi criada para o mercado de trabalho, com a qual um cristão que queira agir conforme suas crenças religiosas quanto ao casamento não será mais capaz de trabalhar em muitos ambientes.”

DALLAS, 25 de janeiro de 2013 – No início deste mês, 1.067 padres, bispos e abades no Reino Unido criaram uma grande agitação ao assinarem o que está sendo chamado de uma das mais longas cartas abertas já escritas na história política da Inglaterra.

Politicamente correto – a vingança do marxismo

FrontPage Magazine: Você faz a perspicaz observação da forma como o politicamente correto gera o mal “devido à violência que leva a cabo nas almas das pessoas ao forçá-las a afirmar ou a aludir coisas em que não acreditam, mas que não podem questionar.” Pode falar um pouco mais disto?

Theodore Dalrymple: O politicamente correto é propaganda comunista em ponto pequeno. Durante o meu estudo das sociedades comunistas, cheguei à conclusão de que o propósito da propaganda comunista não era persuadir ou convencer, mas humilhar, e desde logo, quanto menos estiver de acordo com a sociedade, melhor é. Quando as pessoas são forçadas a permanecer caladas quando lhes é dita a mais óbvia das mentiras, ou pior ainda quando são obrigadas a repetir elas mesmas a mentira, elas perdem o seu senso inquisitor. Concordar com mentiras óbvias é co-operar com o mal, e em menor escala, tornar-se também maligno.  A capacidade da pessoa de resistir a qualquer coisa é corroída e até destruída. Uma sociedade de mentirosos emasculados é mais fácil de controlar. Eu acho que se examinarmos o politicamente correto, ele tem o mesmo efeito e é suposto que tenha.

Aprendizado escolar domiciliar

No Brasil, país onde tudo está dominado, não temos nem essa saída. Segundo o ECA, é dever dos pais matricular os filhos na “rede regular de ensino”. Se a rede for pública, a orientação moral, religiosa e política será ditada pelo Estado.

A palavra educação é um contêiner tão abarrotado de significados e conteúdos que a gente muitas vezes se emaranha em conceitos a clamar por definições. Não vou entrar nessa. Meu objetivo é outro. Ninguém recusará que o ser humano tem várias dimensões e que a formação de todas seja conteúdo do contêiner. Ali está, por exemplo, a formação das dimensões ética, religiosa e política do ser humano. A questão que submeto à reflexão dos leitores é esta: a quem cabe primazia na formação ética, religiosa e política das crianças? Não hesito em afirmar que a imensa maioria dos adultos que me leem sustentarão, a esse respeito, não apenas a prioridade, mas a fundamental responsabilidade dos pais.

Conservadores extinguem registro de armas longas no Canadá

O recadastramento periódico brasileiro jamais teve o objetivo de gerar melhora na caótica segurança pública. Tem, sim, o veio totalitarista que tenta impedir o cidadão de exercer o seu direito conquistado no referendo de 2005.

No último dia 15 de fevereiro, o Parlamento Canadense aprovou, com o voto de todos os deputados conservadores e com apoio de muitos deputados de esquerda, o fim da exigência de registro para armas longas. A lei segue agora para o Senado, onde a previsão é de que seja aprovada sem maiores surpresas.

O mito do bebê sem sexo

O que não surpreende ninguém é que esses próprios pais se classificam como esquerdistas políticos e ideológicos.

25 de maio de 2011 (AlbertMohler.com/Notícias Pró-Família) – No século XIX, o povo britânico ficou conhecendo um conto de fadas sobre “bebês d’água” por meio de um conto escrito pelo Rev. Charles Kingsley. Os bebês d’água entraram para o folclore, e gerações de crianças britânicas imaginavam os bebês d’água e seu conto.

Agora, diretamente do Canadá vem outra estranha história, mas esta não é um conto de fadas. Um pai e uma mãe do Canadá provocaram uma polêmica incontrolável por causa de sua determinação de criar seu terceiro filho como um bebê “sem sexo”.

O último a entrar apague a luz

O que ocorre nos EUA e nos países europeus é, na verdade, um fenômeno bem curioso, na qual a elite (classe política e ricaços) une-se às subclasses (pobres, minorias, imigrantes ilegais e welfare queens) para se perpetuar no poder.

Devem os países ricos acolher refugiados de países pobres, vítimas de violência, guerra, genocídio ou mera pobreza?