Fidel Castro


Guerra é paz, paz é guerra

Enquanto no Brasil o assunto na mídia, nas redes sociais e conversas de botequim gira em torno dos mega-escândalos exibidos na “Operação Lava Jato”, a Venezuela arde e sangra, em meio a um mar de miséria, fome, repressão e assassinatos de gente inocente e desarmada, sem que no Brasil as pessoas se dêem conta. Poucos […]

A queda do Muro, o Foro de São Paulo e a América Latina

Não se sabe, e talvez jamais se saiba, quantos milhões de dólares do Estado venezuelano o tenente-coronel Hugo Chávez pôs nas mãos de Lula da Silva e Marco Aurélio Garcia, sua mão direita e homem encarregado da Conexão São Paulo-Caracas, para ganhar a presidência do Brasil em 2003.

Chávez cumpria com obediência um compromisso selado com Fidel Castro, seu pai putativo: montar o ex-sindicalista metalúrgico de proveniência trotskista na presidência da primeira potência sul-americana e desde lá estender a mancha do castro-chavismo por toda a região. A julgar pelos milhares de milhões de dólares anuais e os mais de 100 mil barris de petróleo diários oferecidos a Cuba desde então, a mão com que se auxiliou o PT para entrar no poder pela porta grande há de haver sido extremamente generosa. Tanto, como para que Chávez aparecesse intempestivamente quando lhe dava na telha e nas ocasiões mais inoportunas por Brasília para ver como cresciam os lucros de seu investimento político. Passar a vê-lo em funções, mesmo que rompesse o protocolo e perturbasse o Itamaraty, era um direito adquirido.

Morreu Huber Matos, verdadeiro herói cubano

Morreu em 28 de fevereiro, em Miami, aos 95 anos, Huber Matos Benítez, revolucionário cubano de 1959. Ele foi o primeiro a passar pelo infindável martírio que a adesão de Fidel ao marxismo-leninismo, posterior à sua malfadada revolução, impõe ao povo de Cuba. Presto minha homenagem a esse valente cidadão, verdadeiro herói, com todos os méritos e dores inerentes a tão qualificador substantivo. Em reverência a ele transcrevo um trecho do meu livro “Cuba, a Tragédia da Utopia”.

***

São vários os casos emblemáticos na caminhada de Fidel sobre cadáveres rumo ao poder absoluto, sempre secundado pelo mano Raul. Um deles é o do comandante Hubert Matos. Na hierarquia revolucionária não havia coronéis nem generais. O posto máximo era o de comandante. Huber Matos entrou em Sierra Maestra e em combates que se seguiram, após intermediar uma operação considerada decisiva para a vitória de Fidel: o fornecimento de armas e munições, em meados de 1958, para a arremetida final contra o exército de Batista. Ganhando o posto de comandante e contando com a confiança de Fidel, passou a divergir dele quando percebeu o alinhamento comunista de seu líder. Ele relata sua amarga experiência no livro “Como llegó la noche”.

Allende e Pinochet: o mito e a realidade

O dia 11 de setembro de cada ano é sempre lembrado pelas esquerdas do mundo inteiro como o dia do “martírio” de Salvador Allende. (O 11 de setembro de 2001 será também lembrado pela mesma esquerda como o ataque bem sucedido contra o coração financeiro do capitalismo americano, com a derrubada das duas torres gêmeas do World Trade Center.) Em seu maniqueísmo vesgo e primário, o 11 de setembro é lembrado como o dia em que o “bem” foi vencido pelo “mal”. No caso, o “mal” sendo encarnado pelas Forças Armadas do Chile, com Augusto Pinochet à frente. Esse o motivo de Pinochet estar sendo demonizado até hoje pelos comunistas e socialistas do Chile, e pelo juiz Baltasar Garzón, ex-deputado socialista espanhol, o qual começou a caçada a Pinochet em Londres. Devido a essa perseguição, Pinochet respondeu, até sua morte, em 2006, a mais de duas centenas de processos no Chile e em outros países, enquanto muitos líderes assassinos da esquerda mundial andam leves e fagueiros pelo mundo sem que nada lhes aconteça – a começar por Fidel Castro –, já que têm garantido as bênçãos e a defesa do juiz Garzón e de toda a corja que o segue nessa campanha revanchista.

As esquerdas até hoje não aceitam a derrubada de um mito que haviam criado para si: nenhum país socialista jamais foi derrubado por forças “reacionárias”. No Chile, esse mito ruiu no dia 11 de setembro de 1973, quando o governo socialista de Allende foi para o beleléu.

Os Santos e sua militância castro-comunista

A verdade é que Juan Manuel Santos, desde seus jovens anos de universitário, já admirava Che Guevara e Fidel Castro.

Uma vez eleito presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos continua os planos de Fidel Castro e do Foro de São Paulo.

Sabemos que o M-19 foi criado por membros das FARC e financiado pelos cartéis da droga na Colômbia. Sabemos que Enrique Santos Calderón foi um dos fundadores do M-19 e seu principal propagandista desde as páginas do diário El Tiempo. Porém, poucos sabem da militância castro-comunista do atual presidente Juan Manuel Santos, salpicado pela inteligência cubana com o cognome de “Santiago”.

Porém, comecemos pelo filho mais velho de Enrique Santos Castillo: Enrique Santos Calderón.

Contratação dos médicos cubanos: o que há por trás disso?

A vinda desses médicos cubanos ao Brasil serve a alguns fins: fazer doutrinação marxista e enaltecer a revolução cubana e, de passagem, enaltecer o governo brasileiro angariando votos para as eleições de 2014.

A propósito do burburinho que se formou a respeito da contratação de 6 mil médicos cubanos pelo Governo brasileiro, quero tecer alguns comentários e informar algumas coisas que me foram reveladas por um médico cubano, amigo meu de longa data. Por questão de segurança, pois ele ainda tem familiares vivendo na ilha-cárcere como “refém”, passo a chamá-lo de “Ernesto”. 

Substância negra fetal e a Drª Hilda Molina


“São muitos os que suspeitam de que a tirania castrista não trafica só drogas, prostitutas e escravos, mas também os embriões humanos que obtém, graças aos cem mil abortos que se praticam em Cuba todos os anos”

Foi sempre um bom negócio traficar com propriedades roubadas. Segundo o último número da revista Forbes, a fortuna pessoal de Fidel Castro alcança os 550 milhões de dólares [1], pelo qual é cinco vezes mais rico do que há dois anos. O líder de ‘roubolução’ obteve grande parte de seu capital das lojas de recuperação de divisas, onde 50% dos cubanos gastam os poucos dólares que recebem de seus familiares no estrangeiro. Um dos maiores êxitos de Fidel Castro é haver conseguido – graças a seus reféns – que os que fugiram dele, continuem trabalhando para ele.

Câncer de Chávez e colonização da Venezuela: verdade ou mentira?

Embora se poderia ver como Cuba se converterá em uma colônia venezuelana, a verdade é que é o contrário, pois quem impõe condições é Cuba e o Governo venezuelano as acata”.

Cidadãos cubanos, residentes e domiciliados em Havana, estão inscritos para votar EM CUBA nas eleições presidenciais da Venezuela.

Ontem eu recebi uma correspondência de uma amiga venezuelana que faz mudar todo o panorama político das eleições presidenciais que ocorrerão no próximo 7 de outubro na Venezuela. Trata-se de uma carta escrita por um cubano que diz trabalhar no CIMEQ (Centro de Investigaciones Médico Quirúrgicas), o hospital onde Chávez fez suas cirurgias e tratamento contra o câncer, e que por motivos óbvios se identifica apenas com iniciais. Não tenho meios de afirmar que o escrito seja absolutamente fidedigno e conforme os fatos, como tampouco o descarto, como mais uma das tantas versões que se tem dado ao caso. Como o estado de saúde do ditador venezuelano é algo que desde o início prima pelo secretismo e o mistério, e o que mais se noticiou foi histórias controversas, resolvi traduzir tal correspondência apenas como registro, caso venha a se confirmar posteriormente.

Palestra de Graça Salgueiro no CIRCAPE

No dia 13 de junho passado, fui convidada pelo Círculo Católico de Pernambuco (CIRCAPE) para proferir uma palestra cujo título foi “O avanço do comunismo na América Latina e suas conseqüências catastróficas na sociedade”.

Foi um encontro muito agradável e surpreendente, pois naquele dia chovia a cântaros em Recife e imaginei que poucas pessoas se disporiam a sair de suas casas, à noite, com toda aquela chuva, para ouvir uma palestra sobre um tema que não se discute muito por absoluta falta de interesse no que se passa ao nosso redor. Entretanto, e apesar desse inconveniente, para minha surpresa o auditório estava com quase cem pessoas e no debate que se seguiu depois, pude constatar com alegria que tratava-se de pessoas inteligentes e com conhecimento do tema.

Comisão da Verdade ou Comando Vermelho de Dilma Rousseff?

É importante lembrar que a criadora do Comando Vermelho, a presidenta Dilma Rousseff, também é “comandanta-em-chefa” das Forças Armadas, as quais ela deveria respeitar e não destilar seu ódio e sua patifaria sem limites.


A Comissão Nacional da Verdade, totalmente inconstitucional por driblar a Lei da Anistia e revanchista por ter entre seus membros apenas pessoas de esquerda (inclusive uma advogada que defendeu Dilma Rousseff em seus tempos de terrorista) que irão tratar apenas de um lado da questão, assassinando a história do terrorismo no Brasil, me faz lembrar o livro
 1984, de George Orwell e seus “Esquadrões de Reescritores”. O general Maynard Marques de Santa Rosa classificou a Comissão como sendo uma Comissão da Calúnia, afirmação que lhe custou o cargo de Chefe do Departamento-Geral do Pessoal. Eu prefiro chamar a revisionista Comissão da Verdade (CV) de Comando Vermelho de Dilma Rousseff.