Foro de São Paulo


Cuba, líder do tráfico humano

O Estado cubano “é provavelmente o maior e mais rentável traficante de pessoas do mundo”.
Com estas palavras, testemunhou recentemente ante o Congresso dos Estados Unidos a diretora executiva do “Archivo Cuba”

[1]
, Maria Werlau, detalhando como Cuba administra o gigantesco negócio do tráfico humano através de inúmeras entidades estatais.

O governo cubano começou em 2005 uma exportação misteriosa ao Brasil, durante o governo de Lula da Silva, de tecidos humanos e outras glândulas e partes do corpo humano de origem desconhecida.

Diálogos de paz na Colômbia: a guerra primeiro, a política depois

spNenhum país, por sólidas que sejam suas instituições cívicas, está isento destes indivíduos que pensam que a gestão pública é um campo de batalha, na qual o uso de qualquer arma está justificada.

Nas propostas e operações políticas mais tolerantes e plurais, subjazem, em algumas ocasiões explicitamente, certas expressões de violência que às vezes se concretizam gerando um ambiente de confrontação que pode derivar de cruentos conflitos, situação na qual é aplicável a expressão de Carl von Clausewitz de que “a guerra é a continuação da política por outros meios”.

Por sorte, para benefício do cidadão e da comunidade, a maioria dos que incursionam na gestão pública são partidários do debate de idéias e propostas. Rechaçam qualquer manifestação de violência além das paixões que a controvérsia gera, e são partidárias da conciliação por meio do diálogo e das negociações.

Simón Trinidad e a vingança das FARC

As FARC estão novamente reconstruídas graças a um falso “processo de paz”, e estão pressionando a justiça americana e ao próprio presidente dos Estados Unidos para que libertem Simón Trinidad (foto).

Os assaltantes trabalharam em segurança, sem correr riscos e aproveitando a escuridão da noite. A matança foi executada em poucos minutos, sob um fogo cerrado de fuzis de assalto. Duas famílias camponesas que estavam festejando o ano novo em suas humildes residências, foram baleadas de maneira miserável. Dezesseis pessoas ficaram sem vida e seis outras foram gravemente feridas. Entre os mortos havia quatro crianças e seis mulheres. “Não gritaram nada, não nos avisaram nada, simplesmente se limitaram a disparar contra minha casa, na qual estávamos pelo menos umas 15 pessoas”, pois havia ali uma festa familiar, contou Felipe Amaya, um dos sobreviventes, que perdeu um filho de oito anos. Entre os feridos havia três crianças e três adultos, quase todos com feridas de bala no tórax, em braços e pernas.

Gregoriano

psdurer

Que sobra nesta nação? … Ladrão.
Quais deles os mais polutos?… Corrutos.
Quem ganha grandes espaços? … Devassos.

O Demo alarga os seus passos,
Seus domínios se desdobram
Numa nação onde sobram
Ladrões, corrutos, devassos.

Ao comemorar 25 anos, o Mercosul mostra a quem serve

Rodolfo Nin Novoa e María Solange Díaz durante a apresentação do selo comemorativo dos 25 anos do Tratado de Assunção que criou o MERCOSUL. (Foto: Pablo Vignali)

No dia 25 de abril, a presidência pro tempore do MERCOSUL, na pessoa do chanceler uruguaio Rodolfo Nin Novoa, realizou um evento no prédio da instituição para comemorar os 25 anos do Tratado de Assunção que estruturaria a criação do bloco inicialmente formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Estiveram presentes os chanceleres e vice-chanceleres dos países membros, além dos deputados que compõem o Parlasul – Parlamento do MERCOSUL -, incluindo a Venezuela que foi adicionada ao bloco ilegalmente, quando da suspensão do Paraguai em 2012.

Bye, bye, Dilma…

É relevante que os povos da região se rebelem contra o Foro de São Paulo. Porém, nada mudará na América Latina até que os Castro deixem o poder em Cuba. Por enquanto, bye bye, Dilma…

Em um fato político sem precedentes na região sul-americana, mais de dois terços da Câmara de um total de 513 deputados votaram a favor da destituição de Dilma Rousseff como presidente do Brasil. A derrota de Dilma foi, sem dúvida, o golpe mais duro ao que Hugo Chávez chamou de “Socialismo do Século XXI”, do qual são expoentes todos os governantes da região na atualidade, inclusive Juan Manuel Santos Stalin Kerenski que conseguiu o impossível: destronar Maduro em impopularidade.

Curiosa reunião semi-secreta em Bogotá


Esperam que uma “comissão da verdade” diga que as FARC sempre foram os bons do processo.

Os assistentes ao seminário adotaram a linha de Havana: o que há no Brasil é uma “tentativa de golpe de Estado da direita reacionária” e deve-se reeleger Lula.

Como a Venezuela não enviou delegados ao seminário, ninguém pôde perguntar pela militarização desse país com ajuda da Rússia. Idêntica frente à compra recente de armas pesadas da Nicarágua a Putin.

Jair Bolsonaro e a comunicação social

Infelizmente, existem coisas que são permitidas à esquerda, mas não a nós.

O dia 17 de abril de 2016 ficará marcado em nossa história como o primeiro passo objetivo dado pelo Brasil contra o comunismo do Foro de São Paulo. No entanto, a belíssima e emocionante vitória da democracia deixou um sabor residual amargo na boca de quem, como eu, apóia o deputado federal Jair Bolsonaro em sua pré-candidatura à Presidência da República.

Em seu breve discurso preliminar à declaração de voto favorável ao impeachment de Dilma Rousseff, não se pode dizer que Bolsonaro tenha “mitado”. A menos que consideremos mitológico condensar tantos equívocos de retórica em meros 55 segundos.

A blitzkrieg discursiva do PT: ecos do Foro de São Paulo e da Internacional Socialista

Nenhum outro partido atentou tanto contra a democracia constitucionalmente delineada como o PT.

Respaldados pelas recentes declarações contra o impeachment da presidente Dilma, emitidas pela Internacional Socialista[1] e por parceiros do Foro de São Paulo [2], o PT, juntamente com as suas organizações satélites, com os artistas-Rouanet e outros artistas esquerdistas voluntários, com os intelectuais orgânicos e com os jornalistas oficiais do partido, estão jogando pesado para retomar o controle da narrativa dos fatos.

A reconstrução

Terra arrasada, economia destruída. Agora sabemos que Lula e sua gente instituíram a economia do crime, entrópica em si mesma. Destrutiva em mais alto grau.

O que vemos é que todos os governos alinhados com o Foro de São Paulo estão sucumbindo vítimas de sua própria incúria, incompetência e má fé.

Parece que o impeachment vai se impor porque foi formada uma sólida maioria contra o PT e suas práticas perniciosas, que se estende até o Congresso Nacional. Na semana que entra poderemos ter o desfecho, mais rápido do que muitos imaginariam, com a conclusão do impeachment na Câmara de Deputados, para o devido julgamento do Senado Federal. Se A Câmara de Deputados, por maioria absoluta, decidir pelo impeachment, não caberá a Dilma Rousseff que não a imediata renúncia, a única coisa sensata a fazer, imitando o gesto de Fernando Collor de Mello.