Foro de São Paulo


Forças desarmadas, poder de matar, cartéis e Anatel: duas notas

Dias atrás eu tive o desprazer de ver gente que confia cega e desesperadamente em nossas Forças Desarmadas comentando que o que há de mais mortal e de melhor relação custo/benefício na aviação, que são os caças Sukhoi (na foto, SU-30MK2), não seriam páreo para nossa FAB e suas sucatas voadoras.

O que acontecerá com o Brasil? Hangout com Olavo de Carvalho, Joice Hasselmann, Bia Kicis e Allan dos Santos

Olavo: “O fundador da sociologia, Émile Durkheim , já tinha descoberto que a capacidade que as sociedades têm de PERCEBER A ANOMALIA é limitada. Então, quando uma loucura dura muito tempo, ela vira normal, e ninguém mais repara. E isso está acontecendo no Brasil há mais de meio século. Só que agora despertou a consciência: “ah, o país está louco mesmo, tudo isso é loucura, nós estamos vivendo uma alucinação e TEM QUE PARAR JÁ, se não vamos todos morrer. Agora é a grande chance, ESSA TOMADA DE CONSCIÊNCIA TEM QUE SER APROFUNDADA, e não pode parar tão cedo, nós temos realmente que REFAZER O BRASIL, refazer as instituições. Nossas instituições? A Nova República FOI FEITA PARA ISSO. A Nova República é do PT e do PSDB, para eles ficarem por cima eternamente.”

O crime organizado existe em toda parte. A diferença do Brasil é que crime organizado se apossou do Estado inteiro. É este processo que nós temos de compreender e saber como é que vamos desmontar“.

Outros comentários de Olavo de Carvalho no hangout, transcritos por Carla Farinazzi:

“Em 93, enquanto o PT estava cortando cabeças e fazendo o movimento pela ‘ética’, o partido já estava montando o serviço de informações que depois serviria de base para Mensalão, Petrolão etc.”

Antipetismo fajuto, Temer, e o órgão comunista chamado CNBB

Como é possível que uma nação esteja inerme diante de um grupo de psicopatas?
O que aconteceu e o que acontecerá com o Brasil?

Descubra aqui: http://www.seminariodefilosofia.org/politica-e-cultura-pre-lancamento/

*

Metade dos que dizem combater o PT querem fazê-lo salvaguardando a boa imagem do comunismo. Por isso falam apenas em “corrupção” e jamais no Foro de São Paulo.

A reunião Kerry-Farc em Cuba

O encontro do Secretário de Estado John Kerry em Cuba com os cabeças das FARC, articula conotações geopolíticas internacionais do interesse dos Estado Unidos sobre o Caribe, a linha política pacifista exterior de Barack Obama frente a países de tendência anti-ianque, e as conveniências partidaristas democratas no tenso período pré-eleitoral que se vive nos Estados Unidos. Isso foi o que pontuei em entrevista de análise política com o jornalista Carlos Montero, do programa Café CNN, que se transmite desde Atlanta, Geórgia, para as pessoas de fala hispânica do mundo.

Diário do Olavo: intervenção militar, retórica política e Lula, o psicopata

Uma intervenção militar deveria ter ocorrido tão logo se revelaram os planos continentais do Foro de São Paulo e a montagem do esquema de corrupção criado para sustentá-los. Quando alguns patriotas entusiastas começaram a clamar por ela em 2015, já era tarde. Uma próxima oportunidade, só em caso de agressão externa, uma ameaça que deveria ter sido abortada, no máximo, até 2005, quando Lula fez o seu célebre discurso no décimo quinto aniversário do Foro. A imprevidência é, como sempre, uma das forças históricas mais decisivas.

*

Tanto a longa omissão das Forças Armadas quanto sua possível ação tardia em face de uma agressão externa que poderia ter sido evitada, terão sido tremendamente impatrióticas. NADA no mundo, nenhuma esperteza, nenhuma estratégia, nenhum cálculo inteligentíssimo, substitui a ação correta e justa inspirada pelo verdadeiro amor ao bem.

Lula sabe que não engana Sérgio Moro, por isso esperneia

Foi a sua mais hilária, surreal e trágica coletiva de imprensa, como o verdadeiro Macunaíma, chorando às pitangas, expressando raiva em seus olhos esbugalhados, e mesmo assim, contando vantagens, e tentando persuadir com a retórica, chantagem e emocionalismo, o irrealismo de suas bazófias.

A decisão do juiz Sérgio Moro, de obrigar o ex-presidente Lula a depor por meio de uma ação coercitiva, na manhã da sexta-feira, no dia 4 de março de 2016, foi certamente um dos fatos mais relevantes da história recente do Brasil, com implicações, consequências e desdobramentos que poderão ser um divisor de águas. Moro acertou o alvo ao deflagar a “Operação Aletheia”, e poderá estar fazendo a verdadeira reforma política, que é o grande anseio do povo brasileiro, exausto das espertezas de Lula, que há décadas encarnou Macunaíma, o herói sem nenhum caráter. Acertou o alvo porque, à frente da Operação Lava Jato, o juiz Sérgio Moro atinge o cerne de toda a problemática, que é a questão moral, pois a crise que vivemos atualmente é mais do que política ou econômica, mas profundamente moral. Com isso ele presta um grande serviço à nação brasileira, na medida em que trabalha para fazer cumprir a lei, pois a democracia é não só a garantia das liberdades individuais, mas sobretudo [justamente para fazer valer a liberdade com responsabilidade], o cumprimento da lei.

Colômbia: Santos e as FARC contra a democracia


Santos cumprimenta “Timochenko”, líder das FARC, com o “beneplácito” de Raul Castro.

As FARC exigem a demolição de toda a oposição liberal, conservadora e centrista contra os planos pactuados em segredo com Santos em Havana.
As FARC exigem essa destruição.

1. As manobras desesperadas de Juan Manuel Santos em curso contra o ex-presidente Álvaro Uribe (a captura injustificada de seu irmão Santiago, a tentativa de deter arbitrariamente os dois filhos do ex-presidente e senador, e as intimidações contra o ex-ministro Oscar Iván Zuluaga, presidente do partido Centro Democrático – CD), não é um capricho de Santos, nem o resultado de trâmites legais dentro do Ministério Público. É o resultado de compromissos secretos que Santos pactuou com as FARC no marco do processo de paz. Há uma relação direta entre esse mal-chamado “processo de paz” e ofensiva bestial de Santos contra o senador Uribe, sua família e o maior movimento político de oposição do país, o CD.

Terrorismo do ELN está sincronizado com as FARC

A onda de terror desatada nas últimas semanas por parte do ELN contra os colombianos é uma ação sincronizada e planejada em Cuba e Venezuela, por parte dos cabeças das FARC e ELN.


Em entrevista transmitida simultaneamente pelos canais RCN e NTN24 da televisão colombiana para o resto do mundo, no dia 16 de janeiro, conversei pelo jornalista Jefferson Beltrán, do reconhecido programa La Noche dirigido por Claudia Gurissati, para analisar a inexplicável presença do senador esquerdista Iván Cepeda em uma homenagem ao sacerdote terrorista do ELN Camilo Torres em El Carmen de Chucurí, os nexos do ELN com as FARC na atual onda terrorista, os crimes de lesa-humanidade destes bandos terroristas contra os colombianos e a incidência destes fatos no desenrolar das conversações de paz em Havana, Cuba.

 

Em minha exposição, pontuei:

Colômbia vs. FARC: o que revelam os incidentes de El Conejo

AS  FARC mostraram que podiam amarrar o Exército em um setor-chave de nossas fronteiras. O que acontecerá da próxima vez?

No dia 18 de fevereiro, o Exército da Colômbia perdeu uma batalha contra as FARC. Entraram massivamente com ajuda interna e externa no município de Fonseca (Guajira) e realizaram, durante várias horas, um barulhento ato de propaganda armada e de intimidação. Não mataram nem seqüestraram ninguém, parece, mas humilharam e aterrorizaram o país. O Exército da Colômbia durante essa obscura jornada não moveu um dedo para impedir esse atropelo.

 

O Exército foi paralizado, pois aceitou ser paralizado. Hoje seus chefes devem estar envergonhados com o espetáculo miserável que deixaram a população civil de Fonseca e de El Conejo totalmente à mercê de esquadras de narco-terroristas armados até os dentes.

A chapa está esquentando

No artigo anterior eu havia comentado que o ano de 2015 havia fechado com reveses para o Foro de São Paulo e agora parece que o cerco está se fechando, embora isso não signifique, de maneira alguma, que o fim dessa organização criminosa esteja chegando.

Aqui no Brasil as operações de incontáveis nomes e etapas realizadas pela Polícia Federal, estão chegando perto do chefão mas ainda é cedo para cantar vitória. Entretanto, embora tenha sido divulgado no Brasil mas sem qualquer repercussão (oxalá, fizeram uma “operação abafa”), o delegado que assina o relatório da “Operação Acarajé” cita com firme convicção que a empresa Odebrecht pagou propina ao ex-secretário de Transportes do governo Cristina Kirchner, Ricardo Jaime – que hoje (25.02) foi processado por “malversação de dinheiro público” em irregularidades no reparo de vagões de trem da empresa Belgrano Norte -, e Ollanta Humala, ninguém menos que o presidente do Peru, apadrinhado e eleito pelo Foro de São Paulo.