Gayzismo


Criado o Bacharelado em “Estudos de Gênero e Diversidade”

Educação brasileira e seu fracasso total: criado o Bacharelado em “Estudos de Gênero e Diversidade”  Do @Confucio_CdD: Brasil: não basta figurar nos piores rankings educacionais do mundo, tem de criar “Bacharelado em Estudos de Gênero e Diversidade” para promover o lixo e criar meninos de recados de ONGs globalistas. Quando você acha que o país […]

Marina Silva: 5 motivos para não votar na criatura


Seguindo a cartilha ideológica da esquerda, Marina Silva e a Rede Sustentabilidade promovem a destruição da família brasileira, através do fomento da Ideologia de Gênero.

Há censura de opinião no Facebook?


Em países latino-americanos comandados pelo Foro de São Paulo, como a Venezuela, Colômbia, Equador, Argentina e Brasil, entre vários mais, o Facebook está fechando contas de usuários que falem contra esses governos de esquerda.

Pouco depois do massacre dos soldados no Cauca, pelas mãos das FARC que contaram com a cúmplice decisão de Juan Manuel Santos, do ministro Pinzón e do comandante das Forças Militares, General Rodríguez de não utilizar o apoio aéreo para combater os terroristas, publiquei um vídeo no Facebook que mostrava a cena do crime, a prova de que os soldados foram pegados dormindo, obedecendo a ordem de Santos, do ministro e da cúpula militar de não responder ao fogo, não atacar os bandidos e crer cegamente que eles não os atacariam em cumprimento da promessa do “cessar fogo unilateral”.

Rede Fale com Dilma: lacaios do PT representam evangélicos?

Os “idiotas úteis” da Rede Fale não passam de esquerdistas toscos aduladores do PT, que na hora de se oporem a aberrações como o gayzismo e o aborto não falam absolutamente nada.

Cristão não deveria falar abobrinhas. Mas não diga isso à Rede Fale, que não faz outra coisa a não ser plantar e “profetizar” abobrinhas.

A organização, que é defensora da “teologia” da Missão Integral, era completamente desconhecida no cenário nacional — até ser convidada oficialmente para estar em reunião com a prezidenta Dilma Rousseff para representar os evangélicos.

A lógica perversa do aborto

Em alguns países da Comunidade Européia já não é mais possível formar-se em medicina, se o estudante recusar-se a praticar um aborto em seus últimos anos de graduação.

O aborto está amplamente legalizado no mundo desenvolvido e no continente asiático. Na Europa, na América do Norte, na Austrália e em países da Ásia. Com pouquíssimas exceções (onde se legalizou) o número de abortos tem aumentado a cada ano, especialmente após a sua aprovação, nos Estados Unidos. Em 20 anos, o aumento foi espantoso: 200 mil para mais de um milhão e meio por ano. O número de abortos também cresceu a cada ano, sem nenhuma diminuição até hoje na Espanha, Inglaterra, Canadá, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália, Índia, Rússia, Cuba e muitos outros. Com isso cresce gradativamente a banalização da vida, em todos os aspectos. O aborto, que era antes um crime, passou a ser propositalmente propagandeado, primeiro como um problema de saúde pública, depois como um direito das mulheres, considerado não mais como um mal menor que a sociedade tolera por uma questão de saúde pública, mas explicitamente um novo direito humano, o direito de matar, por qualquer motivo, o próprio filho não nascido. 

Caso Marco Feliciano: a CNBB não me representa

Tadinha da CNBB. A pauta abortista e gayzista dos direitos humanos é “incompreendida”. Como devemos compreender uma entidade dita “católica” apoiando tudo aquilo que é contrário à sã doutrina da Igreja?

O deputado do PSC e pastor Marcos Feliciano, atual Presidente da Comissão de Direitos humanos da Câmara dos Deputados, revela muitas limitações intelectuais. Por vezes, ele faz declarações errôneas e infelizes no âmbito da religião, da teologia e da política. Entretanto, o pior vício dele não é o seu discurso. Dentro de um país genuinamente democrático, falar bobagens é um direito constitucional. Ser idiota está amparado por lei. Idiotas é que não faltam na Comissão de Direitos Humanos, atochada de petistas, comunistas, socialistas, gayzistas e abortistas. O deputado Jean Wyllys, a senadora Marta Suplicy e o ex-presidente Lula falam asneiras a granel e até agora, para espanto de alguns, ninguém se escandalizou com isso.

Teste seu esquerdismo

A esquerda brasileira alcançou o auge de seu poder com a vitória eleitoral de Dilma Roussef para presidência da nação em 2010. Depois de 8 anos de FHC e mais 8 anos de Lula, a esquerda já garantiu, no mínimo, 20 anos ininterruptos de comando do país.

E assim seria mesmo caso Dilma não tivesse vencido. Em todas as últimas três eleições presidenciais, não havia um único representante de algo que pudéssemos caracterizar vagamente de “expressão política de direita”.

Quando muito, observaram-se algumas vozes isoladas ou forças descaracterizadas e fazendo mil e uma concessões ao discurso esquerdista reinante.

Resenha: Soberania ou Submissão

Os globalistas de hoje raramente expõem seus interesses essenciais ao debate público; ao invés disso, escondem seus objetivos em termos de “direitos humanos universais”.

(C-FAM) O Senado dos EUA poderá votar nesta semana a ratificação do mais recente tratado de direitos humanos da ONU, sobre pessoas com deficiências. Importa realmente se os EUA ratificam tais tratados? Um recente livro publicado por um intelectual de longa data em Washington DC diz que importa muito. John Fonte do Instituto Hudson argumenta que cada tratado drena o sangue vital de nações democráticas ao armar uma legião de ativistas que querem substituir a soberania pelo governo mundial.

Fonte diz que mais de cem países já adotaram cotas sexuais para cargos eletivos depois de ratificar a Convenção sobre a Eliminação de Discriminação contra as Mulheres (conhecida pela sigla em inglês CEDAW). Vinte e duas ações mudaram suas leis sobre assistência à infância. E a Noruega exige que 40% das diretorias de empresas sejam fixadas na base de sexo.

Demolindo Otávio de Ramalho

É fato amplamente reconhecido na psicologia da criação literária que os escritores de ficção tomam como material de base os fantasmas que povoam as suas obsessões interiores.

O sr. Rodrigo Constantino, que estreou no teatro do mundo, uns anos atrás, invadindo comunidades no Orkut (especialmente as minhas) para ali meter à força mensagens em apoio dele mesmo assinadas com nomes imaginários, diz que, ao mencioná-lo en passant nos meus programas de rádio, estou mendigando a sua atenção. Dois dias depois de colocada essa declaração no Youtube, ela tinha 250 visitantes. Bastou aparecerem dois artigos contra ela no Mídia Sem Máscara, e horas depois as visitações tinham subido para 3.763. Quem escreve uma coluna intitulada “Mundo às Avessas” é o dr. Emir Sader, mas em matéria de inversão o sr. Constantino não fica atrás: no universo dele, foi a formiguinha que mandou o elefante baixar as calcinhas.

O esgotamento eleitoral do PT e o esquerdismo de Lúcia Guimarães

Nivaldo Cordeiro comenta a falência do modelo econômico do PT, a corrupção nunca antes vista que o partido de Lula e Dilma trouxe às instituições e o ímpeto com que o PT tenta impor sua revolução cultural, o fomento da imoralidade pura e simples. O articulista do MSM também analisa o desconhecimento do que é o conservadorismo da parte de esquerdistas como Lúcia Guimarães, sempre deslumbrados com a ideia do estado interventor.

O artigo do poeta Ferreira Gullar publicado na Folha de São Paulo (‘O real cobra seu preço’) neste domingo (1º) traz uma excelente análise sobre o possível esgotamento eleitoral do PT no campo eleitoral. O modelo assistencialista implantado por Lula e continuado por Dilma Rousseff está estrangulando a economia e esse estrangulamento está visível a olho nu, com a morte da indústria e o sacrifício na infra-estrutura, sem investimentos necessários. O modelo econômico está arruinando a Nação e cobrará seu preço eleitoral.