OEA


Guerra é paz, paz é guerra

Enquanto no Brasil o assunto na mídia, nas redes sociais e conversas de botequim gira em torno dos mega-escândalos exibidos na “Operação Lava Jato”, a Venezuela arde e sangra, em meio a um mar de miséria, fome, repressão e assassinatos de gente inocente e desarmada, sem que no Brasil as pessoas se dêem conta. Poucos […]

A OEA contra a Colômbia

Narciso Isa Conde, testa-de-ferro de Chávez, ladeado por Jesús Santrich e Iván Márquez, dois membros do Comando Geral das FARC abrigados em acampamentos na Venezuela.

Graça Salgueiro comenta o domínio que o Foro de São Paulo exerce sobre a OEA e apresenta mais uma prova da aliança do PT com as Farc no Foro de São Paulo: uma declaração do Partido Comunista da Catalunha.

No último dia 22 a Assembléia Permanente da OEA reuniu-se extraordinariamente, a pedido da Colômbia, para denunciar a Venezuela de abrigar em seu território 1.500 terroristas das FARC e ELN, além de mais de 80 acampamentos fixos. O embaixador colombiano ante a OEA, Luis Alfonso Hoyos, apresentou provas em fotos, vídeos, mapas, depoimentos de desmobilizados, além de correspondências comprometedoras encontradas em computadores de guerrilheiros abatidos (vejam mais detalhes aqui). Ao finalizar sua exposição, Hoyos disse que não se tratava de uma “guerra política” mas que seu país apenas desejava a cooperação da Venezuela no combate ao narco-terrorismo, sugerindo que se criasse uma comissão internacional para visitar os locais assinalados e averiguar se procediam as acusações.