pedofilia


Rombo da cultura oficial

O governo Temer anunciou que o déficit primário das contas públicas em 2017 saltou de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões, enchendo de som e fúria a mídia amestrada. De fato, para um “quadrilhão” que derrubou o gangsterismo da dupla Lula/Rousseff em nome do repúdio às  “pedaladas fiscais”, a trolha do rombo deficitário, na […]

Boas notícias, meu povo feio: agora somos todos pós-bonitos!

Este freak show exibido pelo UOL nada mais é do que outro desdobramento da deturpação de valores característica desta geração de seres humanos mimados pelo conforto advindo do capitalismo. No mesmo blog, aliás, é possível deparar-se até mesmo com vitimização de pedófilos. Eleger determinados extratos sociais supostamente desfavorecidos, sob um ponto de vista qualquer; apontar […]

Universidades brasileiras: incubadoras da nefasta ideologia de gênero

Beijaço gay de alunos integrantes da militância LGBT da UFMG ocorrido em abril: não há ativismo gayzista sem auto-vitimização e criminalização de qualquer opinião discordante, por moderada que seja.   A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sediou uma palestra da pesquisadora britânica Zowie Davy, no auditório do Centro de Ciências da Saúde (CCS) no último […]

O retorno (planejado) à brutal sexualidade pagã

Os progressistas sexuais alegam que estão a dar início a um “admirável mundo novo” repleto de liberdade, mas a sua “nova” moralidade é tão antiga como as montanhas. Quantas vezes já ouviram os progressistas sexuais alegarem que aqueles de nós que defendem a moralidade sexual e o casamento tradicionais estão “do lado errado da história”? […]

Anthony Weiner na mira da Justiça

Os principais nomes da cúpula do Partido Democrata dos EUA envolvidos nos mais sórdidas esquemas de pedofilia e exploração sexual da história política do país, com direito a rituais satanistas. Enquanto isso, a grande mídia se esforça em ocultar sob a cortina de fumaça chamada “Fake News”

EUA: a segunda revolução americana e a pedofilia dos Clinton

Steve Pieczenik explica o golpe civil e respectivo contra-golpe que estão em andamento agora nos EUA. Assista e atente para o fato de que ele não faz ameaças ou coisas do gênero. Ele explica o que está acontecendo, quem eles são, o que já fizeram e prevê o que podem vir a fazer.

Steve Pieczenik tem uma lista enorme de serviços prestados ao governo americano. Especialista em política externa, gerenciamento de crises internacionais e guerra psicológica, ele serviu sob os presidentes Gerald Ford, Jimmy Carter, Ronald Reagan e George W Bush.

Neste segundo vídeo, Pieczenik deixa claro: não só Bill, mas também Hillary, está envolvida com pedofilia:

Turquia: proliferação generalizada de estupros infantis, apagão na mídia

Letreiro eletrônico no Aeroporto Ataturk em Istambul exibido no mês passado: “aviso aos passageiros! Você sabia que a Suécia tem o maior índice de estupros do mundo?” O tuíte foi publicado em resposta a um tuíte da Ministra das Relações Exteriores da Suécia Margot Wallström em sua página oficial: “a decisão turca de permitir relações sexuais com crianças menores de 15 anos deve ser revogada. Crianças precisam de mais proteção, não menos, da violência e do abuso sexual.”
(imagem: captura de tela da Reuters)

A Turquia mais uma vez ameaçou rasgar um polêmico acordo que trata dos migrantes e enviar centenas de milhares de candidatos a asilo para a Europa se, em questão de meses, não for concedido aos seus cidadãos isenções de visto para a União Europeia.

Revista Veja: Alfred Kinsey ficaria orgulhoso


Aos poucos o grupo Abril parece caminhar para a mesma encruzilhada que desnorteou a Globo: com a queda brutal do interesse da nova geração pelos veículos tradicionais, executivos de cabelo branco e herdeiros entediados chamam blogueiros hipsters para dar conselhos sobre “como atrair a juventude”.

A pedofilia vai à escola

Essa educação sexual, se não está dedicada a disseminar a ideia de que o corpo humano, já na mais tenra idade, é um parque de diversões eróticas, o produto de seu trabalho será inequivocamente esse.

Você já parou para pensar sobre o motivo dessa farta produção de literatura voltada à educação sexual nas escolas? Não vou nominar obras para não fazer publicidade de lixo pedagógico, mas há de tudo. O famoso kit gay não foi o primeiro nem o último material pernicioso. O Ministério Público chegou a intervir, em alguns casos, para impedir a distribuição. Há publicações que, explicitamente, estimulam experiências auto-eróticas, heterossexuais e homossexuais. Um desses livrinhos vem com a recomendação, aos pequenos leitores, de que devem conservar o referido “material escolar” fora do alcance dos pais…

A questão que me interessa aqui é a existência de uma pedagogia da educação sexual que anda a braços com a pedofilia. É estarrecedor. Todo esse material que de um modo ou de outro chegou a alunos ou a bibliotecas de escolas tem rótulo de coisa pedagógica. Quando suscita escândalo, é defendido com a afirmação de estar destinado a professores ou a adolescentes. Falem sério! Professores e adolescentes precisam de livro sobre sexualidade, com figurinhas para público infantil?

Uma experiência pessoal, a pedofilia no mundo árabe e o mito do Islã moderado

Uma experiência pessoal vivida há alguns poucos anos serve para demonstrar a inexistência de islamismo moderado. Quero reparti-la com vocês, leitores.

Isso não significa, e isto quero esclarecer logo de cara, que não existam muçulmanos moderadores. Existem. Não posso negar a realidade. Conhecemos por nome: Muhammed Zoabi em Israel, por exemplo. Wafa Sultan, a lutadora pelos direitos humanos das mulheres sob o Islã. Poucos. Cabem numa mão, talvez. Em um universo de 1,5 bi de pessoas. Frisando: SABEMOS SEUS NOMES. E isso é o grave. São tão poucos, que se tornam matematicamente irrelevantes, muitos deles, tendo abandonado sua fé inclusive, como o caso de Sultan.

Logo, um fenômeno organizado chamado “islamismo moderado” inexiste, não porque eu não queira, ou porque seja “radical” ou qualquer outra pecha que queiram me dar, mas simplesmente pelo mesmo motivo pelo qual disse que indivíduos existe. Macrossociologicamente falando, são irrelevantes. Não entrariam em uma margem de erro.